Follow me on Twitter RSS FEED

Fogo na bomba: como acender a churraca

Quando você chega num churrasco e vê ali aquela fumaceira, ossos e outros lixos na mesa, gente alegremente bêbada caída pelos cantos e toda aquela atmosfera tipo "o capeta passou por aqui" que fica depois de um churrasco, você, o curioso leitor, se pergunta: Meldels, mas como é que isso foi começar?

Eu te respondo: o churrasco começa, oficialmente, quando mete-se fogo no carvão. É como o tiro pro alto nos 100 metros rasos, o "atenção emissoras da rede globo para o top de 5 segundos", ou a luz verde na fórmula 1 que, tirando o rubinho, bota os pilotos pra correr, o willian bonner pra falar e as nossas queridas e saborosas carninhas pra assar. Risca o fósforo, 1 2 3.. Valendo!

E essa hora de acender a churraca é especialmente peculiar. Cada churrasqueiro tem uma técnica milenar. Algumas interessantes, outras bizarras. Vou comentar aqui algumas, que já vi pessoalmente:
  1. O famoso túnel de jornal: Funciona assim: o camarada pega uma garrafa de cerveja, faz um rolinho com o jornal, enrola na garrafa. Depois tira a garrafa, e coloca aquele negócio na churraca. Joga uma golada de álcool, e despeja o carvão em volta, deixando o meio oco. A técnica é interessante porque utiliza bem a passagem do ar no túnel, mas tem seus pontos fracos. O primeiro é que dá trabalho enrolar a parada, apoiar os carvões e o escambau. O segundo é que usa papel. Acho uma grande bobagem acender o fogo com jornal. Pensa comigo: a fumaça é expelida pra cima, certo? Aí, o caderno de TV queima os resumos de novela, a ana maria braga e o louro josé de uma só vez, e vira uma espécie de fuligem, certo? E o que tem logo acima do fogo, geralmente é a sua carne, certo? E aí essa fuligem gruda na sua carne e você pode aproveitar pra ler as notícias encrustradas na sua picanha. Show!
  2. Uma certa vez, um animal que não me recordo quem era, usou uma técnica qualquer, e na hora de acender, jogou no carvão a bituca do cigarro que ele tava fumando. Não interessa a técnica, se você for porco assim, quem merece ser queimado é você, e não o churrasco. Não se esqueça de que a sua churrasqueira é um local pra fazer COMIDA, e não uma lata de lixo.
  3. A terceira técnica é bastante interessante, o rodapé de latinha. Funciona assim: você pega uma faca e destrói a latinha, de maneira que você consiga retirar apenas o fundinho dela. Aí você joga um pouco de óleo de cozinha no fundinho, acende e monta um predinho de carvão em cima. Olha, essa é uma técnica muito legal, porque o fogo do óleo é muito mais duradouro, vai pegar no carvão de qualquer jeito, mesmo que ele não esteja muito seco. O único probleminha é a perícia metalúrgica necessária à execução. Primeiro você tem que destroir a latinha com uma faca. O que pode, além da latinha, destruir o fio da sua faca. Se você fizer isso com a minha faca, perdeu a amizade, isso é um fato. O segundo problema é que, além de destruir a latinha e, eventualmente, o fio da sua faca, você ainda corre um sério risco de destruir a sua mão. Principalmente se foi você o folião que entornou aquela latinha. Mais ainda se você enxugou aquela latinha e mais algumas iguais a ela. Ou seja: com aquele alumínio fininho e a sua delicadeza de parafuso de trator, corre o risco de se cortar feio antes do churrasco começar, e passar o churras todo na base do band-aid. Mico na certa. Essa técnica é só pros bons. Se tu é tosco, esquece essa.
  4. O incinerador maluco: Essa é pra você descontar aquela raiva extra. Funciona assim: Joga todo o carvão que conseguir carregar dentro da churraca. Depois, empunhe o vidro de álcool (por favor, nada de álcool gel ou outras franguelices. Estou falando de álcool 96 graus, coisa de gente grande). Ok, encharque o carvão. Assim mesmo, sem critério, sem carinho e sem perdão. Agora é só encarnar o Nero e acender o fósforo. Recomendo tomar uma certa distância, pois essa costuma mandar Roma pelos ares. É a técnica preferida dos mais sem-noção, mas admitamos que funciona. Se o objetivo é pegar fogo, essa pega.
  5. A minha preferida: Pão velho. Eu sempre guardo pão velho aqui em casa. Tem uma gavetinha na fruteira onde eu vou guardando os restos de pão. Sempre que preciso acender a churraca, pego um tequinho, jogo um pouco de álcool, coloco no fundo da churraca, cubro com carvão e mando um fósforo, tomando o cuidado necessário pra acender o pão. Cabou-se. O pão demora um tempinho pra terminar de queimar, isso é o suficiente pra pegar no carvão. Além disso, o cheiro do pão queimando é bem mais legal do que jornal ou óleo, né?

Técnica muito utilizada pelos exércitos pretos em Omsk, no Aral e no sul da Dudinka.
Compreende segurar cartaz do bigodudo, jogar álcool sobre o próprio corpo,
acender o fósforo e pular na churrasqueira.

Eu acho que todas as técnicas são válidas, desde que respeitem um certo índice de limpeza. Não utilize jornal, querosene, gasolina, essas coisas. Não esqueça que a sua carne vai ficar muito perto desses ingredientes, e qualquer cheiro ou gosto adicional na carne é bobeira.

No final das contas, o que interessa mesmo é conseguir acender. Uma vez acendida a churraca, tá dado o start no seu churras e daí pra frente é só alegria.

E você? Qual a sua técnica milenar pra botar fogo na parada?


30 comentários:

Anônimo disse...

Dá-lhe Daniel.

Pois então, quando baixa a Sindrome do Nero ninguém guênta, neguinho quer tacar fogo!!
Cada um tem sua arte pirotécnica e tal.
Gosto do óleo de cozinha "usado" (sempre tenho uma ou duas garrafas pequenas pet), faço um copo de papel higienico (enrolo na palma da mão várias voltas, fecho um dos fundos, formado de copo, inverto) coloco na parte de cima do monte de carvão -> coloco o óleo até + ou - a metade
-> fósforo ... that´s all.
Depois que pega fogo, é céu de brigadeiro, só vai.
É o princípio da pira olimpica caseira.
Funciona legal. Misturo lenha (pedaços pequenos) + carvão. .
*Antigamente fazia com álcool 96°GL como a grande maioria, aí me deram essa dica do óleo de cozinha usado, não parei mais.

Abração

CSá

Daniel Rodrigues disse...

E ae Carlão

Sabia que vc sairia com alguma técnica!! hehehe

Me diz uma coisa, agora fiquei curioso.. O papel é pouquinho, beleza, não deve subir pra carne.. Mas e o óleo usado? Não cheira, não? E a sujeira na churraca?

Concordo que o óleo, depois que pega... não tem bombeiro que apague. hehehe

Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Diga aí Daniel.

Tres voltas ao redor da palma da mão, são mais que suficiente.
Pode ficar tranquilo, não cheira nada e nem deixa sujeira.
O fogo fica bem centralizado no carvão (faço tipo uma pirâmide de carvão bem no meio da churrasqueira, coloco o ph no topo e acendo)
A carne só coloco depois que as brasas estão à ponto de bala.

Abração aí

CSá

Daniel Rodrigues disse...

Carlos

Legal, vou experimentar. Deve funcionar bem com o pão velho tb, não acha?

Gasto uma grana com álcool, de repente pode ser uma economia substituir pelo óleo velho.

Valeu a dica!

Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Fala Daniel, funciona com o pão velho (óleo + pão velho)na boa, e evita que o óleo usado vá ralo abaixo.
"Acendedor da Fiat Lux", comprei no Carrefour, fica acesso por 10 minutos aproximadamente. Legal também. Já usei há pouco tempo.

Abraço


CSá

Adriano Martins disse...

Fala, patrão..
Aqui em casa eu não uso mais o alcool 96...
Compro de galao no posto mesmo..
jogo uma lera de carvão e derramo uma golada boa, quase um litro, em cima de tudo, e deixo quieto...
é o tempo de tomar uma latinha e vc para de escutar aqueles estalidos do alcool penetrando (ui) no carvão...aí é só mandar o fósqui...não chega nem explodir...pega fogo de mansinho e por igual..
grande abraço

Daniel Rodrigues disse...

Para o Carlos:

Olha, já até separei um pote pra ir guardando o óleo velho. Solução ecológica, essa sua :-)

O acendedor eu não curto muito não. No geral, acho que eles tem muita quimica, fica cheirando no começo do churrasco.. Além disso é caro pacas..

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Para o Adriano

Álcool de galão... Agoooooora sim. Esse aí bota fogo até na água do aquario.

Uma vez estávamos num sítio, e a idéia era fazer uma fogueira perto de uma cachoeira. Claaaro que não foi fácil pegar fogo, né? Hora que encheu o saco, corremos num posto e mandamos um litro de álcool automotivo na madeira, pegou fogo a noite inteira. hehhe

So tenho um certo receio de armazenar, tenho crianças, cachorro e uma empregada desgovernada em casa :-P

Abração
Daniel Rodrigues

Newstein disse...

Caro Amigo!
Vou confessar, quando não tem cão a gente caça com gato, então quando não tem pão a gente encarna o Nero e funciona!
Sério, gosto de acender o braseiro com pão embebido em álcool, o cheirinho de pão (queimado) abre o apetite, funciona com um aperitivo antes da comida!
Amanhã vou "queimar" carne, aniversário da patroa, estão convidados!

Daniel Rodrigues disse...

Fala Newstein, beleza?

Pois é, o Nerão é legal mesmo. Nada substitui o "bum" do fosforo caindo no carvão embebedado... hehhee

O problema é que esse álcool é meio carinho, e quem faz churrasco com frequencia, é melhor usar um pãozinho ou algo do tipo. Gosto do pão justamente por isso, pelo cheirinho que fica... como vc bem disse, vai abrindo o apetite..

Olha, não convida de novo que a gente vai hein! hehehehe
Brincadeira, parabéns à patroa!!

Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Daniel , muito legal o seu blog ,descobri esta semana e ja devorei todo rs rs .
Te um metodo bem punk para acender a churraca , tenho um deste buj;oes de gaz de 2 kgs com um ma;arico na ponta, menos de dois minutos o fogo ja esta ardendo rs rs
Abraços

Daniel Rodrigues disse...

Fala Parceiro

Po, valeu aí, fico bem feliz que gostou das baboseiras que eu escrevo aqui :-)

Bom, se você acende com o maçarico, só me resta respirar fundo e admitir: ESSE É O CARA. Não brinca em serviço, não dá ponto sem nó e não perde por esperar. hehehehehe

Uma vez fui num churrasco daqueles de 200 pessoas, e o cara mandou um maçarico no carvão. Lembro de ter sido uma das cenas incendiárias mais legais que já vi.

Abração
Daniel Rodrigues

EDU disse...

E ai Daniel, td blz?

Eu tb uso esse esquema do óleo usado, mas em vez do papel higiênico eu uso papel toalha, 3 folhas é suficiente, faz um cone, bota no meio da churraca e põe o óleo. Taca fogo e toma uma breja (dependendo da velocidade que a pessoa tomar a breja, aumenta pra duas) e é só alegria. Não fica cheirando a óleo, o papel toalha não vira aquela nuvem de cinzas e nem precisa abanar... Bota fogo e deixa lá que acende lindamente...

Saudações Alvinegras...

EDU

Daniel Rodrigues disse...

Fala Edu, beleza?

Compana, vou te dizer que comecei a ler o teu e-mail sentindo um frio na espinha... por um minuto, achei que você acendia a churraca com papel higiênico usado :-P

Hehe brincadeira, eu vou experimentar essa técnica sim. Acho que o papel gordura deve ser mais legal, por que é mais espesso. Então a fuligem dele não deve subir nadinha mesmo.. Daqui a pouco vou pra casa e já vou esvaziar a frigideira. hahaha

Abração
Daniel Rodrigues

EDU disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK...Pqp, td bem fazer economia, mas assim ja é d+... Cara, pode fazer esse esquema que vc não vai se arrepender... :)
Abraço

EDU

Paulo Braga disse...

Fala Daniel!
Por aqui também uso a combinação Papel-toalha + óleo usado + breja(essa é pra min) + fogo = Churras!

mais na falta do papel-toalha, vai o papel higiênico mesmo, logicamente ainda novo..

como disse o Newstein, quem não tem cão, caça com gato, e se o gato nao caça, agente deita o gato na grelha!

UAHuahUAHUhauH

Abraços

Paulo Braga

Daniel Rodrigues disse...

Fala Paulo, Edu, Carlos

Ontem eu experimentei a combinação óleo + papel + cerveja. Peguei um teco do papel do saco de carvão, botei óleo (só que eu peguei óleo novo), taquei fogo e bebi a breja. sensacional. Valeu pela dica, vou economizar fortunas em álcool daqui pra frente.

E adorei a sua frase, Paulo. Quem não tem cão, caça com o gato. Se o gato vacilar, a gente deita na grelha. Genial!!!

Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Dá-lhe Daniel.
Viu como era moleza?
Já fiz com óleo novo uma única vez.
O resultado? Insuportavelmente insuportável hehe.
Tive que pegar um secador de cabelo emprestado para acelerar o processo. Claro, que a culpa não era só do óleo (novo), o carvão era um desastre( botar a culpa nos outros é bem mais cômodo e fácil).
A coisa funcionou por mera insistência.

Abração aí.

CSá

Personal Grill disse...

Papel higiênico + Óleo
Simples!

Bão demais seu blog.
Visite o meu:
http://personalgrill.blogspot.com/

Calma que estou começando!

Daniel Rodrigues disse...

Carlão, ficou animal.

Já tou guardando óleo velho pra fazer churrasco com o óleo da batata frita hehehe

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Raphael, boa sorte com o seu Personal Grill. Escreva com frequencia, compartilhe, você só tem a ganhar. Boa sorte mesmo.

Conhece o ceguinho no churrasco? Ele é churrasqueiro profissional tb, pode te dar uma força.. ceguinhonochurrasco.blogspot.com

Boa sorte, apareça por aqui mais vezes!
Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Oi, Meu nome é Érika e gosto muito do seu blog apesar de meio machão, tenho recomendado para meus amigos que tbem gostaram.
Gostaria de pedir uma boa receita de cupim assado pois o que eu fiz ficou muito duro, será que é presciso cozinhar um pouco antes de por no forno?

Daniel Rodrigues disse...

Oi Erika, como vai?

Obrigado pelo carinho, tomara que continue gostando das besteiras que escrevo aqui.

A parte da machesa é só estilo, você vai notar pelos comments que a mulherada participa pacas aqui. Inclusive vou participar de uma ação blogueira daqui a alguns dias, onde vou falar sobre machismo e outras bobagens. Vai vendo, garota!

Bom, o lance do cupim é... putz, o cupim é chato demais de fazer. Se você selar com celofane, tem que selar muito bem, deixar o tempo todo com calor uniforme (se venta na sua churraca, é dificil manter), com muita, mas muita paciência.. é dificil mesmo.

Já ouvi falar de gente que botou o cupim no forno com papel alumínio durante um tempo, e depois levou pra churraca. Acho que pode funcionar.

Deste uma boa idéia, faz tempo que eu não mando um cupim aqui em casa, vou preparar e em breve escrevo sobre ele.

Não liga pra essa nossa macheza não, moça. A gente é rude, mas tem um coração de ouro :-)

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Erika, de novo.

Vacilei, você falou em FORNO e não em churraca. Olha, acho que se você embalar direitinho em papel alumínio, dar um golinho de azeite e deixar bastante tempo, não tem erro.

Uma boa dica também é "selar" o cupim. Faz assim, acende uma frigideira, joga um golinho de azeite, espera esquentar e joga o cupim inteiro. Vai virando ele aos pouquinhos, até que a parte de fora dele fique levemente queimada. Isso dificulta a perda de líquidos da carne, e é isso que faz a carne boa. Carne molhada = carne gostosa, com o perdão do trocadilho :-)

Abração
Daniel

ivair delgado pacheco disse...

E aê Daniel, blz mano.
Estou visitando o seu blog pela primeira
vez, muito legal.
Tá de parabéns.
Eu costumo "queimar" uma carninha de vez em quando aki em casa, tem umas dicas bacanas, hehe...
Valew.

Daniel Rodrigues disse...

Falae Ivair, beleza?

Que bacana que gostou do blog, compana.

Seja bem-vindo por aqui!

Abs e bons churrascos
Daniel

Anônimo disse...

Adorei o blog...
Vai uma dica...

Deito a picanha ou alcatra no leite ou vinho (desses baratos mesmo) por uma hora.
Salgo com sal grosso, aguardo um pouco e... rumo à brasa.
Um espetáculo de sabor.

Abração...
FEBA

Daniel Rodrigues disse...

Fala FEBA, beleza?

Olha, boa idéia essa.. O leite parece meio estranho, mas vou experimentar sim.

Valeu a dica

Abs
Daniel Rodrigues

Hugo Laguna disse...

Fala Daniel!

Revolvendo o blog, me deparei com um assunto que me interessou muito, já que pesquisei bastante sobre isso.... Acender a Churrasqueira:

Meu amigos usam óleo usado, porém sem não esperar queimar todo o óleo, achei que fica estranho pois o "vapor" do óleo pega na cerne e esta fica meio ensopada com óleo, portanto não gosto.

Jornal também não uso pois pode conter chumbo na tinta, , mas em casos de urgência, vai.

Quando ainda morava com meu pai e tomava café da manhã, e tinha pão, usava o pão embebido no alcool, que acho muito bom assim. hoje morando sozinho, não compro pão, passo na padaria e como uma direto lá! hehe.

Pessoal aqui na minha cidade usa muito a lata cortada, mas não gosto que acabem com minha faca... então não tem jeito.


Por fim, como eu uso principalmente uma mini churrasqueira (http://2.bp.blogspot.com/-Mua8jUXezAI/Uh35z6bWxLI/AAAAAAAAAY0/bR_nMtNJcyk/s1600/churrasqueira-pequena-desmontavel-pesca-acampar_MLB-F-3226850941_102012.jpg) pois é somente eu e a mulher na maioria das acampadas, e por não ter como eu levar a minha de campana... uso um método que pelo que vi não foi citado aqui...


No camping, uso um tubo de barbecue HEINZ onde coloco alcool, que deve caber uns 400 ml e não vaza de modo algum. Além disso tenho um pote plástico com tampa de rosca que deve caber mais uns 200ml, onde coloco álcool, porém dentro desse pote vai umas rolhas de cortiça (não pode ser a rolha sintética) que ficam em "conserva" por ao menos 2 semanas (faço também com uma faquinha alguns furos para o combustível penetrar melhor nelas "nas rolhas"). Quando vou acender a churrasqueira, coloco uma rolha no fundo e o carvão por cima, fazendo um amontoado, depois espirro bem pouco álcool por cima só para eu não ter de ficar procurando a rolha no meio do carvão e Pronto!

A rolha fica pegando fogo por um bom tempo. além de que com 400 ml de alcool eu passo vários dias no camping, ainda sem ocupar espaço e levar muito peso.


Na minha churrasqueira de campana de caminhão, no fundo dela tem uma chapa com uma copinho de ferro soldado, aí só vai álcool mesmo....


Abraços!

Daniel Rodrigues disse...

Falae Hugo, beleza?

Cara, que contribuição legal!! Eu adoro isso, neste blog tem um leitor mais inteligente que o outro. Não sei nem porque voces lêem as coisas que eu escrevo, porque a cada comentário novo eu me convenço que vocês sabem muito mais do que eu :-)

Bom, eu tenho utilizado aqui sempre aquele fundinho do pão de forma, sabe? Eu vou guardando, depois embebedo com álcool e acendo. Ele queima durante um tempinho, o suficiente pra acender o carvão, e o cheirinho de pão é delicioso.

Mas essa dica da rolha realmente me chamou a atenção, parceiro. Achei sensacional, nunca tinha nem ouvido falar nisso. Mas achei uma idéia MARAVILHOSA.

Aqui em casa, eu e a esposa tomamos bastante vinho. E como eu tenho um gato muito louco em casa, deixo as rolhas pelo chão mesmo, por que aí o bicho doidão fica brincando com elas... Acho que vou fazer essa conserva aí que você falou.. Achei uma excelente ideia.

Vou deixar uma no álcool agora, porque vem um brother aqul em casa hoje a chance de rolar um churras é imensa kkk

Abs
Daniel

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin