Follow me on Twitter RSS FEED

Molhinho da vovó

Nas categorias
Não tenho como saber em qual dia e horário você estará lendo este post, mas eu posso te garantir que eu sei em que dia e hora estou escrevendo. E te digo: hoje é segunda-feira, e já passamos de meia-noite. Informação esta que me coloca numa saia justa, porque eu garanti que seria segunda, mas na verdade já passou da meia noite, transformando automaticamente essa segunda numa terça.

Ok, segunda ou terça, tanto faz. O que nós podemos concordar é que, salvo feriados ou aqueles dias da mais absoluta lambança, segunda ou terça não são exatamente os melhores dias da semana pra fazer um churrasco, não é?

Somando a isso o fato de que eu abusei da prerrogativa de ser carnívoro neste final de semana e devo ter comido, entre sexta e domingo, uma vaca inteira. Vaca, daquela que muge e come mato, de quatro patas e rabo abana-moscas. Limpe essa sua mente ruminante e decrete comigo: hoje não vamos falar de churrasco.

E tira a mão desse agrião aí, moleque.
Um adendo importantíssimo a respeito do agrião, que eu já vou te avisando agora, pra você não estranhar na hora: eu ainda vou escrever um post aqui sobre o agrião. Já notou como é gostoso comer agrião tomando cerveja? Sério, pára tudo e experimenta. Bom, tá avisado. Qualquer dia eu vou escrever sobre as propriedades embriagadoras da dupla agrião e cerveja, e não quero você fazendo beicinho (ui) e nem olhando feio pra mim. Tá avisado.
Onde eu queria chegar? Ah, aqui, na minha vó.

Vó é o maior barato, sou fanzaço da minha. Provavelmente da sua também. Porque casa da vó é sinônimo de comer bem. Taí a Dona Benta, fazendo bolinhos de chuva pro menino Pedrinho, lá no Pica-pau amarelo. E vou te falar: Perdeu, Narizinho, porque se a tua vó faz bolinho de chuva, a minha faz comida. E comida boa, não é qualquer bolinho, não. Dona Ivette, a nonna, manda bem até quando passa manteiga no pão.

E foi numa dessas que eu aprendi a fazer um verdadeiro manjar, uma maravilha da culinária Donivética, que você pode preparar na sua casa, aproveitando pra fazer amigos e influenciar pessoas.

Comida na casa da vó, mesmo que durante a semana, costuma ser almoço. Ela prepara com carinho, faz o show que ela bem sabe e serve aquele almoção fantástico.. Mas teve uma vez, que o combinado foi diferente, e acabamos marcando um jantar. Lanchinho, segundo ela.

Na hora marcada, chegamos, batemos um papinho e fomos pro lanchinho. Vovó vai pra cozinha e volta com um pão francês cortado ao meio, recheado com alguma coisa maravilhosa que parecia queijo+presunto derretidos, mas não era bem isso.

Não era bem isso, mas ao mesmo tempo era, então perguntei à nonna como é que ela conseguia fazer um simples sanduíche de queijo e presunto ficar tão bom, ela me respondeu e te prepara pra fazer o melhor lanche da história do pão francês.

O primeiro passo é picotar uma cebola. Uma cebola das pequenas, não queremos fazer um sanduíche de cebola, ok? Prepara uma faca afiada, engole o choro e liberta o Jason que há dentro de você. Queremos essa cebola bem picotada, pra você não sentir nacos de cebola no seu lanche futuramente, ok? Guarda a cebola picotada num pote.

Aproveita o embalo e picota, muito pequeninho, uns 2 dentes de alho pequenos. Não precisa colocar muito alho, mas se você não pô-lo, vai fazer falta. Seja comedido, picote e guarde em outro pote.

Isso, suje louça mesmo. Dê um migué e peça pra alguma garota lavar depois. Comigo, sempre funciona.

Agora, os tomates. Picote em pedacinhos, uns 2 tomates médios. Na verdade, esses tomates não precisam ser tão pequenos como a cebola e o alho, mas vale ter um certo cuidado.

O principal da receita é o queijo e o presunto, não? Então, picote uns 300g de presunto. Se você comprou fatiado, ponto pra você. Rapaz astuto! Fica mais fácil picotar, você deita todas as fatias na tábua, e faz um tabuleiro de xadrez sobre ela. Assim, ainda pode retirar alternadamente e arrumar uma diversão enquanto cozinha.

O queijo, por motivos óbvios, você não precisa picotar. Se não entendeu ainda, fica aí o mistério no ar. Mas confia em mim, não precisa picotar o queijo. Até pode, mas não precisa.

Seguinte, o preparativo é bem facinho, e tudo o que você tem a fazer é meter todo mundo na panela, respeitando minimamente uma certa ordem. Vamos a ela:

Deite, numa panela, umas 2 goladas de azeite. Mais ou menos o suficiente pra cobrir o fundo da panela. Não precisa por muito, animalesco leitor. Lembre-se que o queijo vai derreter, e ele já tem muita gordura. Pense na sua coronária e seja comedido no azeite.

Aqueça o azeite no fogo. Ou você também não entendeu porque colocamos o azeite na panela? Quanto mistério... Já sacou porque não precisa picotar o queijo?

Quando o azeite estiver quente, jogue toda a cebola picotada. Sempre digo que esse é o começo da mágica. A cebola faz barulhinho, fica bonita e cheirosa, quando frita no azeite. Coisa linda.

Alguns segundos depois, a cebola começa a parecer meio transparente, fica meio molenga. Essa é a hora que você pode encher o peito, e fazer todo mundo ouvir do Ipiranga às margens plácidas: A cebola tá fritaaaaaaa!!!

Joga o alho lá pra dentro, mistura. A coisa começa a ficar supimpa dentro da panela.

Na sequencia, hora do tomate se juntar aos seus amigos fritantes. Mexendo sempre. O tomate começa a dissolver, e fazer daquela fritura um verdadeiro molho. Parabéns, nesse momento você entendeu o que é fazer um refogado. Mas continuemos, estamos perto do fim.


Perto do fim.

Nessa hora, aposto que você já comeu a rainha branca, alguns peões e corre porque o cavalo preto tá vindo aí, e manda o tabuleiro de presunto pra dentro da panela.

Como o presunto é meio borrachento, ele vai ajudar a destruir os tomates. Vai mexendo.

Agora é o fim do mistério: Joga o queijo, picotado ou não, pra dentro da panela. Ele vai derreter com o calor, o que faz com que não importe nada, se ele estava picotado, fatiado ou com uma escultura de michael jackson. A única informação que você precisa ter é que ali existem 300 felizes gramas de queijo mussarela.

Só pra dar um agrado, você pode jogar uma colherada de orégano lá dentro. Tem tomate, tem queijo, tem presunto? Joga orégano, que esse é da turma.

Assim que derreter o queijo, é só cortar o pão no meio e rechear. Tou aqui, no aconchego do meu lar, confiante de que você sabe como fazer essa parte.

Divirta-se. Encha o bucho. Vá pela sombra.

Custo: Somando todos os ingredientes, deve sair uns 10 cruzeiros. Bem barato.
Rendimento: Bastante coisa. Sendo generoso na hora de rechear os pães, essa quantidade rende uns 10 sanduíches.
Tempo de preparo: Umas 3 latinhas, rapidinho e vale a pena.


22 comentários:

Personal Grill disse...

Comidinha da vovó é só força de expressão, porque de comidinha mesmo não tem nada, é comidona mesmo!
Como não tenho mais o prazer da presença das minhas avós, só me restou adotar a avó da minha mulher, cozinheira de mão cheia. Todo mundo fala de boca cheia da comida da mamãe, infelizmente não é meu caso, minha mãe é uma bela de uma preguiçosa na cozinha e depois da descoberta do diabetes, piorou! Agora é só na base das folhas e verduras. Quando ela quer comer bem, recorre a meus almoços de fins-de-semana, pois a Dona Encrenca tem as manhas na cozinha, só não presta para fazer doces, ainda bem, pois estaria com obesidade morbida uma hora dessa.
Cara! Essa sua receita, com certeza irei fazer. Que belo sanduba! Simples de fazer. Fiquei pensando em até encrementar colocando um baconzinho, mas a imagem da explosão atômica ilustrando o texto, me deu medo de alterar a receita da sua vovó.

Abraços!

Daniel Rodrigues disse...

E ae Mr. Personal Grill!!

É, acho que o melhor que a gente pode fazer é aproveitar, porque depois que não tiver mais avó por perto, não adianta sentir saudades, né?

Por isso que eu aproveito bastante a minha! hehehe

Olha, recomendo que você experimente o sanduba primeiro, e só coloque o bacon na segunda receita. Por dois motivos:

Primeiro que o sanduba tem um sabor suave, por mais que tenha alho, cebola, queijo.. É suave. O bacon pode roubar o sabor, não esquece que bacon é tudo ladrão. hehe

Outra é a gordureira. Pensa comigo, vc tem azeite. E tem que ter, não tem outro jeito de fritar a cebola. Aí depois vc mete queijo, que derrete e perde gordura. Aí vc ainda mete bacon.. Acho que pode ser demais.

Meu veredito: não cabe bacon na receita. Experimenta, faça sem o bacon. Aposto que vai concordar comigo.

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Com certeza vou fazer isso em casa! Minha patroa adora essas coisas com queijo derretido pingando gordurinha e minhas duas crias também gostam dum malfeito.
Valeu pelas dicas, descobri esse blog e fiquei viciado. Infelizmente moro num apertamento sem varanda, mas quando posso sempre assumo o comando da amada churrasqueira.
Abraço proceis do blog, parabéns e que vcs possam continuar comendo muito churras pra continuar com as receitas. Qualquer dia eu mando uma minha!
Paulo Victor Caparelli
pvcapa@yahoo.com.br

Daniel Rodrigues disse...

Fala Paulo, beleza?

Po, que bom que gostou, cara! Experimenta a receita e depois conta pra gente. Aliás, fiquei com tanta vontade ontem enquanto escrevia, que vou até fazer o molhinho hoje.. hehehehe

Manda receitas sim, eu experimento, e publico com os seus créditos. Já viu a sessão "receitas dos leitores", que tem aqui?

Valeu pela força

Abração
Daniel Rodrigues

Gustavo disse...

Caro brother!
coloquei uns champignons e coloquei presunto royale!
ficou mara maravilha!
grande abraço

Daniel Rodrigues disse...

Gustavo

Nossa, aí vc caprichou hein!! Presunto royale, nada mau...

e o champingon foi uma excelente dica!! no próximo molhinho, vou experimentar

Valeu!!

Abs
Daniel Rodrigues

guycamargo disse...

caramba fiquei um tempo sem o cpu e agora que voltou tava loco para acompanhar o seu blog. Meu vou fazer aqui o molhinho da vovó e depois retorno para mandar a minha impressão, mas pelo jeito ja´ganhou bastante pontos... cheiro e paladar são coisas imprecindiveis em comida e cebola e alho refogando são fundamentais. parabéns pelo blog.

Daniel Rodrigues disse...

Fala Guy

Po, valeu pelos elogios, fico feliz da vida de saber que alguém nesse mundão de deus tá gostando do que eu escrevo. hehehe

Sabe que eu vi uma matéria num discovery channel da vida, onde a tiazinha falava sobre essas paradas de cheiro e gosto. Putz, tem tudo a ver. Eu sempre achei que era meio doido porque eu faço as comidas, molhos, temperos, e vou fazendo e cheirando, fazendo e cheirando... e se o cheiro é bom, eu nem pus a comida na mesa e já sei que ficou animal.

Vou escrever sobre isso. Me deu uma boa idéia.

Sorte com a sua CPU aí! hehe

Abs
Daniel Rodrigues

Mesa pra 1 disse...

Essa receita merece ser filmada... se tu não filmar e me mandar, filmo eu!

:)

Abraços

Daniel Rodrigues disse...

Fala Parceiro!!

Po, muito legal o Mesa pra 1, já conhecia o blog.. Bacana vocês por aqui.

Olha, eu não sou um exímio cineasta, creio que meu intinto Fellini ainda não aflorou. Provavelmente não filmarei a receita :-)

Mas se quiser filmar, será uma honra pra este blog. Mande o link do vídeo, assim colocamos nos 2 blogs.

Quanto ao sanduba em si, repito o que disse pra todos os comentários: faça, é bom bagaray.

Abs
Daniel Rodrigues

Drica disse...

Parabens pelo blog. Voce ganhou mais uma seguidora. Fiz o molhinho e coloquei um punhadinho de azeitonas ( eu gosto muito) Ficou divino.
Abs

Daniel Rodrigues disse...

Drica

Nossa, que dica sensacional!! Picotar a azeitona e fritar junto da cebola deve mesmo dar um agrado... vou experimentar!!

Obrigado pelos elogios!!

Abração
Daniel Rodrigues

André Ogrodoy disse...

Fala Daniel, sussa ?

Muito boa a receita. Minha avo tambem é a Nonna.

Dona Norma costuma fazer algum MUITO semelhate a isso, que chamamos de Bruschetta.

Vou jantar essa parada ai hoje pra ver qualé q é

Abs!!!!

Daniel Rodrigues disse...

André

Vó nonna é a melhor coisa do mundo. hahahaha

A bruschetta, como eu conheço, é parecida sim. Mas a diferença, é que na bruschetta, o tomate é quem manda, e nessa molho, o queijo é quem manda. É mais líquido, um molho mesmo.

Agora que vai morar sozinho, tá dada a dica de um ranguinho fácil, gostoso e barato de fazer.

Abs
Daniel

Pereba disse...

É a primeira vez que acesso o blog. Já foi incluído em primeiro lugar na lista de favoritos. Show de bola!!!!!

Daniel Rodrigues disse...

Grande Pereba!!

Valeu pela visita ae, companheiro!! Tomara que se divirta acompanhando as nossas receitas por aqui!!

Abração
Daniel Rodrigues

ig0rf disse...

Gostei muito dessa receita.. mas fica a sugestão de colocar pelo menos uma ou duas fotos em cada post de receita, pra gente ter noção do que a gente tá fazendo e de como deve ficar o resultado! Farei hoje à tarde.. mandarei umas fotos pra você avaliar, hahaha

Abraço!

Daniel Rodrigues disse...

Falae Ig0rf, firmeza?

Seguinte, na ápoca que eu escrevi essa receita, eu ainda não tinha uma máquina decente.. Depois ganhei uma samsung maneira, então comecei a registrar as fotos da brincadeira. Vou atualizar os posts antigos tb, boa idéia.

Quanto à receita... faça, parceiro. Não vai se arrepender, esse ranguinho da vó é bão dimais

Abs
Daniel

ig0rf disse...

Bom, fiz e ficou uma DELÍCIA. Deu um pouco mais de trabalho que pensei que daria. Ficou sensacional! Mas... infelizmente não tive paciência de tirar fotos hahaha

Daniel Rodrigues disse...

Aeeee, parceiro!!

Isso aí, gosto de gente que põe a mão na massa! hehehe

essa receitinha é uma das favoritas, cara. Já tá superando a pizza de domingo à noite :-)

Dá um trabalhinho, mas depois vc pega as manhas e vai rapidinho. Hoje faço em menos de meia hora.

Abs
Daniel

ig0rf disse...

É.. e todo mundo aqui em casa gostou! A quantidade que fiz rendeu uns 6 sanduíches e só tive oportunidade de comer 1 e meio.. vai virar habitual!
Mas esse post aqui é mais pra elogiar a consideração que você tem pelos seus leitores em responder todos os comentários, inclusive muitas vezes, ajudando e tirando dúvidas! Seus posts são muito bons e essa consideração é muito bacana! Continue assim! E um abraço, valeu!

Daniel Rodrigues disse...

Ig0rf, parceiro

Po, valeu mesmo, mas a questão dos comentários vai um pouco além da minha boa vontade em responder a todos. Primeiro porque eu só respondo comentários porque há comentários. O que nos coloca em pé de igualdade. Nesse caso, valeu por comentar aqui :-)

Mas não é só isso. Eu acho maneiro pra caramba o jeito como o bonde toca aqui nos comentários. Todo mundo traz alguma informação, alguma opinião diferente, um incentivo, enfim... os comentários tem, sempre, o sentido de adicionar, de favorecer a quem tá lendo. Isso é mérito de todos nós, não de um em especial.

Olha como eu vejo a coisa: eu escrevi a receita, esse é meu trabalho aqui. Aí você leu, gostou, fez, comeu. Essa é a sua parte. Mas não parou, porque voltou aqui pra comentar, incentivar outros. Que farão o mesmo. Sacou onde mora a mágica? Todo mundo compartilha as experiências, é isso que move esse blog aqui. A troca!

Seja bem-vindo!

Valeu aí, parceiro!!

Abs
Daniel

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin