Follow me on Twitter RSS FEED

Histórias de churrasco

Nas categorias
Aviso aos simpáticos e ansiosos leitores deste blog, que minha demora na atualização e consequente ausência de receitas e aventuras recheadas neste recinto se deve a um fator único, temporário e bastante importante: promovi, recentemente, uma reviravolta na minha vida profissional. Coisa de Viva la Revolución mesmo. Agora, estou trabalhando mais, mas mais gostoso. Como seria possível trabalhar gostoso eu deixo a cargo da sua imaginação, com apenas uma pista: não tem nada a ver com putaria, seu mente suja.

Vamos ao que realmente importa.

Já percebeu que sempre acontece alguma merda num churrasco? Ou melhor, um churrasco é um evento potencialmente provável para o acontecimento de alguma merda. E isso tem um motivo bem lógico. Na verdade mais de um.

Álcool. Esse é o nome da coisa. E não tou falando daquele que acende o fogo, não. É o álcool que a gente bebe, álcool que acende gente. Cana, mesmo. Breja, cachaça, caipora. Não existe churrasco sem álcool. Num churrasco, até existe aquele cara que não bebe e tal. Mas nunca vi um churrasco onde ninguém bebe. Isso não acontece. Não existe o "churrasco anual de confraternização de não-bebedores".


 - Dotô, chegou a cana que o senhor tava esperando pro churrasco!

Logo, se tem álcool, alguém fica bêbado. Ou mais de uma pessoa fica bêbada. Ou todo mundo fica bêbado. E é aí que acontece a merda. Historicamente, bêbado faz merda.

A isso soma-se outro fator. Filosofemos.

Conversando via e-mail com o Raphael, churrasqueiro profissional de BH e leitor desta espelunca, chegamos a um ponto que agora trago à mesa aqui, para discussão: já notou que churrasco sempre tem uma vibe boa? Sério, pensa nisso.

No começo deste blog, eu era super preocupado com os rumos que poderiam ter as discussões nos comentários, e moderava tudo e bla bla bla whiskas sachê. Depois de um tempo, percebi que nenhum, absolutamente nenhum comentário deste blog era negativo. As pessoas, desde o começo, comentavam suas impressões sobre a receita, tiravam dúvidas, davam dicas preciosíssimas, mas sempre na paz, numa vibe bacana. Nem modero mais os comentários. Por isso, eu acho que quando alguém pensa em churrasco, já esvazia a mente, já mete o sorrisão na cara.

Logo, podemos concordar que não existe churrasco sem álcool, assim como não existe churrasco de gente séria. Junta-se os pauzinhos, conta-se 2 + 2 e chegamos à conclusão de que gente pouco séria, com a cara cheia de álcool faz merda. O aritmético leitor concorda com o repetente escriba deste pergaminho?


- Tenho plena consciência das minhas faculdades mentais!

Começo, no próximo post, uma série sobre as merdas que eu fiz, ou já vi fazerem em churrascos. E dou a primeira dica: ainda não decidi se vou escrever sobre o dia em que eu montei nas costas da réplica do Cristo Redentor, se escrevo do dia em que a churraca expoldiu, ou se escrevo do cara que entrou num churrasco chutando o cachorro.

E você? Qual a sua história? Aposto que encheste a cara e fizeste merda, caro leitor. Não adianta olhar com essa cara de santo que eu sei bem o que vocês fizeram no verão passado.


- ... e aí eu falei: tem que virar essa linguiça aí, cumpadi!
- jura?

Quem quiser ter a sua história publicada, pode me mandar pra danielwalterrodrigues@gmail.com que eu publico as melhores. E ainda tem mais: o espírito da benevolência acaba de tomar a minha alma, e antes que você possa soletrar Zíbia Gasparetto eu prometo que vou sortear para os que participarem (ou mesmo comentarem) um vidro de molho chimichurri, preparado por mim. Como eu vou entregar isso, não sei. Mas promessa é dívida e eu agarântio.


12 comentários:

josi stanger disse...

E agora... vou ter que puxar pela memória pra lembrar de alguma coisa interessante... tudo por um vidro de molho chimichurri (que nem faço idéia do que seja - desculpe o mal jeito, mas é verdade...heheheh) que não me passa pela cabeça como se faz e nem como vc irá me entregar... hehehe... (vou ter que procurar no google)
Vou pensar e te mando uma historinha.
AH! fiz a receitinha da sua avó, com queijo, tomate, presunto e orégano! ficou muuuuuiiiiittttooooo bom e agora a criançada pede todo dia...rrrsss e eu tenho que ir pro fogão fazer a mistureba gostosa e é claro comer também. Quem mandou eu dar ouvidos (ou olhos) ás tuas dicas! Bem feito pra mim...

Um abraço
Josi

Daniel Rodrigues disse...

Oi Josi, tudo bem?

Ah, mais uma que caiu no conto do molho da vovó... Isso é mandinga da Dona Ivette, que inventou um molho tão bom, mas tão bom, que agora ninguém mais consegue parar de comer isso. hahahahaha
Que legal que vc gostou. Vou experimentar as dicas do pessoal, teve gente que colocou azeitona, outro colocou champignon... Bem legal.

Quanto ao chimichurri, tem a receita no blog. Mas te digo: é um molho argentino / uruguaio, com salsa, cebola, alho, pimenta, azeite e vinagre. Pra acompanhar carnes, principalmente churrasco, é sensacional!!

vc já tá concorrendo. Depois vemos como entregar, isso é o de menos.

Abração e valeu a visita! Se lembrar de alguma história, manda aqui. Aposto que vc tem uma, mas tá cheia de nove horas pra contar. hehehehehe
Daniel Rodrigues

Personal Grill disse...

Fala Daniel!!!

Legal demais que nossa discussão saiu dos limites do e-mail e ganhou uma citação neste seu novo texto.

Bem, eu vou ter que roubar o que você me falou, mas não colocou no texto e que acho que deva ter algo em comum. O lance dos nossos antepassados, lá do tempo das cavernas que dividiam sua caça, após ficarem por vários dias atrás de uma boa picanha de mamute, voltavam para fazer a festa das mulheres e crianças que o esperaram, isso tudo em volta de uma grande fogueira e (sei lá) acho que na época devia rolar alguma birita alcóolica. Por isso, essa vibe boa!

Agora, lembrar de casos que deram em merda...Até lembrar eu lembro, mas melhor deixar bem quieto. heheh Hoje em dia, não acontece mais nada, pois quando faço churrasco profissionalmente não posso beber e quando faço em casa a Dona Encrenca não me deixa voar muito não, ela corta minhas asinhas mesmo!

Agora, eita Molhinho da Vovó que está fazendo sucesso! Ainda não fiz, calma que vou fazer! Mas toda vez que eu leio esse título a boca enche d'água!!!

Abração Daniel!!!!

Anônimo disse...

Dá-lhe Daniel.
Cara, isso vai dar pano prá manga hehe!!
Tem 3 coisas que não tolero: Abstêmio, Agnóstico e Cerveja sem Álcool. Não tem como sobreviver sem algum percalço etílico na vida, senão a coisa fica incompatível com a vida.
Vou ver se acho algum pecado não expiado.
Abç
CSá

Daniel Rodrigues disse...

Raphael

Pode crer, a conversa foi mais além ainda, bem lembrada a situação do Neanderthal - o primeiro churrasqueiro da humanidade.

Nos churrascos profissionais, sei da sua conduta e sei que não dá mesmo pra encher o balde, mas e nos churras com os amigos? Aposto que tens lambança nesse curriculo aí. hehehehe

O molhinho da vó me surpreendeu. Nunca imaginei que um sanduíche pudesse fazer tanto sucesso num blog sobre churrasco :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Fala Carlos Sá, beleza, man?

Vai sim, mas o engraçado é que ninguém se anima a escrever. Acho que vou ter que mandar logo uma escabrosa pra animar o pessoal.

Aliás, hoje estarei com um amigo da época do colégio, e fizemos muita merda juntos. Certamente ele vai lembrar de boas, e aí eu mando o primeiro post. Na verdade já tenho umas 3 histórias pra desenvolver, mas quero ver se ele lembra de mais algum detalhe.

Abs
Daniel Rodrigues

André Ogrodoy disse...

Fala meninao, to aqui em Sampa agora, precisamos marcar akele chubrascow.

Vou com certeza lembrar de alguma historia sordida de churrasco....tipo naquele em que eu cuidava de uma churrasqueira pra 45 pessoas e tava pegando 2 minas. Entre um corte e outro eu saia de canto com uma, logico que isso nao durou muito tempo, e foi o caso em que o churrasqueiro acabou com o churraco....

Daniel Rodrigues disse...

Fala Ogrodoy

Opa, tá em sampa? Morando, definitivamente ou uma visita, só? Manda e-mail ae danielwalterrodrigues@gmaill.com

Hahaha, muito bom. O churrasqueiro achou que tava malandraço, comendo todo mundo. carne, mulher, o que pintava o fanfarrão traçava. Até a hora que deu merda.

Lembrou bem, pegação também rola em churrasco.

Abração
Daniel

Andre Godoy disse...

Po cara, fudeu mesmo, mas fudeu pro Palmeiras ehehehe!! O murici vai fazer o que ele faz de melhor!

Vai dar um titulo brasileiro pro Sao Paulo!!!

Brincadeiras a parte brother, vamos marcar sim akele churrascao, semana que vem vou fazer um pra comemorar minha mudança e chegada na casa dos moleque. Fica atras do Shopping Morumbi.

Qq coisa me manda um email, andre.godoy@tivit.com.br

Gde Abraço, e boa sorte com esse campeonato, melhor Palmeiras campeao que os bambi

Daniel Rodrigues disse...

Fala Ogrodovsk

Pois é, o verdão deu uma broxada daquelas.. e não ficou nem com vergonha. Não perco a esperança, mas acho mesmo que o titulo vai acabar caindo do colo da bambizada. raios!

O e-mail tá anotado aqui. Durante a semana a gente combina, se pans eu passo lá pra gente tomar uma

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Boa tarde Daniel, queria saber tua opinião sobre fazer churrasco no espeto ou sobre a grelha. Não sou profissional na arte do churrasco mas tb não deixo muito a desejar. Prá ser sincero, faço quase tudo na mardita grelha. Sei que isso para muitos é sacrilégio (ou como dizem, churrasco de paulista) mas no final das contas o importante é assar o bichano!!

Daniel Rodrigues disse...

Fala companheiro, firme por ae?
É assim... eu uso grelha pra quase tudo. Não vejo diferença nenhuma entre uma coisa e outra.

Só acho que faz diferença quando é uma carne temperada que pode sujar a grelha, fora isso... mesmissima coisa.

Alguém aí pensa diferente?

Abs
Daniel Rodrigues

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin