Follow me on Twitter RSS FEED

Abobrinha na churrasqueira

Se o teu carnaval foi como o meu, aposto um rim (o que sobrou, porque o outro derreteu) como essa quinta feira está sendo o dia mais comprido da história da humanidade, certo? A sensação é que durante os quatro dias de carnaval, quem foi assado foi o meu fígado, o meu baço, o meu estômago e o meu cérebro, e não as carnes deliciosas que fizemos na churraca. Mesmo tendo sido dilacerado pela cerveja e afins, posso garantir que foi um feriado daqueles que valem a pena.

E, pra um estômago desfigurado, nada melhor do que uma comida leve, não? E como aqui a gente fala de churrasco e saladinha é coisa de coiffeur e a gente desconfia desse pessoal, vou mandar aqui uma receita saudável, que fica uma delícia e as gatas piram: Abobrinha na churraca.

Faz assim, pega uma abobrinha grande, lava e corta ela em rodelas. Essas rodelas precisam ser meio largas, mais ou menos dois dedos de espessura, e eu estou contando que você não tem dedinhos de moça, nem um cacho de bananas. Estou falando de dedos normais. É importante que ela não seja fininha por dois motivos: o primeiro, porque a cereja do bolo tá dentro da abobrinha; segundo, porque ela diminui drasticamente de tamanho, e não queremos que ela caia pela grelha e torre no carvão, certo? Já que você vai preparar comida de mulherzinha, faz direito.

Bom, uma vez cortada a abobrinha, coloque numa bacia grande, pra você poder mexer sem fazer sujeira. Põe aí um pouco de azeite, de preferência um azeite bom, porque faz diferença. Não se esqueça de que a abobrinha não tem gosto de nada, e são os temperos que você coloca que fazem ela funcionar.

Agora, o segredo tá no alho frito. Coloque um pouco de alho frito, aqueles que vêm torradinhos, sabe? Não confunde com o alho assado, é o frito mesmo, aquele do frango à passarinho. Pra uma abobrinha grande, uma colher de sobremesa cheia já é o suficiente. Põe também um pouco de orégano, uma chacoalhada de pacote só. Costuma funcionar bem com alecrim e manjericão fresco também. Ou seja, assalta o armário dos temperos e sapeca na abobrinha, com moderação. O principal está no azeite, alho frito e orégano. O resto, você adiciona de acordo com o seu gosto. Só não vai me encher a abobrinha de frescurada, senão fica com gosto de armário dos temperos.

Mistura tudo, coloca um pouco de sal fino (o sal grosso não fica legal) e manda pra brasa. Pode colocar no meio da brasa, no mais quente da churraca. A abobrinha demora pacas pra ficar pronta, porque primeiro ela perde bastante água, pra depois começar a amolecer.

Como ela fica mais perto do fogo, a chance de ter alguma carne assando nos andares superiores da churraca é imensa, né? Então vou te mostrar o pulo do gato: posicione a abobrinha embaixo de alguma carne suculenta, daquelas que ficam perdendo líquido o tempo todo. Com isso, você faz a abobrinha com todos os temperos, além de um caldo natural de carne que dá o tchan na brincadeira.

Quando estiver ficando escura de um lado, vire pro outro utilizando um pegador. Garfo não ajuda muito, porque a abobrinha fica lisa como um bagre ensaboado, e porque ela diminui e passa no meio dos vãos da grelha. Bom, vira pro outro lado e monitora. Quando estiver escurecendo, tira, corta em pedaços pequenos e come. O melhor ponto pra ela é deixar ela tostar levemente por fora, e deixar molhada por dentro. 


essa abobrinha da esquerda tá querendo ficar pronta.
Se deixar tostar um pouco mais desse lado e virar, fica ótima.
Essa foto veio da receita de rocambole de fraldinha.

Fica muito, muito bom, por mais que doa a um amante da carne dizer isso de um maldito vegetal.
  • Dica 1: a melhor grelha pra fazer isso é aquela que tem um monte de buracos em forma de bolinha, mas em compensação é a mais chata de limpar. Mas é certeza de que a abobrinha não cai lá pra baixo.
  • Dica 2: Se você tem apenas daquelas grelhas de arames paralelos, pode colocar uma em cima da outra, em sentido invertido, fazendo uma grelha em X. 
  • Dica 3: Se a abobrinha cair lá no fogo, engole o choro e finge que não viu, torcendo pra ela queimar antes que alguém note a sua falta. Todas as tentativas de salvamento só vão aumentar a sua vergonha. Abobrinha no carvão é abobrinha morta.
  • Dica 4: Funciona bem em churraca responsa, em churraquinha pequena, em churraca elétrica, qualquer coisa.
  • Dica 5: decore essa receita (no sentido de gravar, não vai meter galhinho de planta em cima do prato), principalmente se você costuma fazer churrasco para mulheres. Elas adoram, dão gritinhos, pulinhos e batem palminhas quando você faz isso. Coisa de mulher, você sabe como é.
IPDA: Baratíssimo, uma abobrinha custa uns R$2,00, se você pagar caro.
Tempo de cozimento: umas 4 latinhas.
Rendimento: nunca faça só um churrasco de abobrinha. Além de dar um trabalho dos infernos, pega mal fazer churrasco sem carne. Então, como acompanhamento, uma abobrinha grande serve umas 2 pessoas.

Lembrando que este post é uma homenagem à mulherada que frequenta os churrascos lá de casa, e homenagear garotas sempre rende bom ibope. A idéia de preparar a abobrinha assim é totalmente delas, eu apenas deito na grelha e espero ficar pronto. Agradecimentos mais do que especiais à patroa Dani, Déa, Vandrope, Dani do Pão e Carlinha.

UPDATE: As garotas acima leram este post e me puxaram a orelha. Portanto, neste momento o escriba deste manuscrito encontra-se funcionando em mono. Se você é um leitor solidário, feche seu olho direito e leia-me assim como escrevo-o: em função mono.
O problema estava no alecrim, que, com 78% dos votos, foi eliminado nesse paredão. Aí, como a gente manda nessa casa mais do que o Boninho, botamos o Tomilho na receita. Conhece o tomilho? 
Se você pensou que é uma mistura de tomate com milho, errou. O tomate está para o milho como a Alessandra Negrini está para o Tiririca. Tá certo que ela é sem noção e casou com o Oto, mas é uma mistura que não funciona. O Tomilho é um farbusto aromático da família das labiadas. Grandes merdas, goooogle nos disse e agora sabemos. 

O que importa é que é um temperinho maneiro que vc pode achar em supermercados, ou plantar na sua casa e usar fresco, que é fresco mas é legal. Ou seja: tire o alecrim e bota o tomilho que ele é mais legal. 


Churrasco de galera - é carnaval!!!!

Nas categorias
São 14:08 da tarde de sexta-feira antes do carnaval e eu estou no trabalho, malemolentemente procurando alguma atividade entre as muitas que tenho pra fazer que não me leve à fadiga, que não demore muito pra ficar pronta e, principalmente, que não abale o espírito de Pierrot que se apossou da minha alma (a ficar ali até quarta-feira de cinzas). Ou seja, de todas as muitas atividades que tenho a fazer, todas ficaram para quinta feira, depois do carnaval, quando devo reunir o que sobrou de mim para, finalmente, abrir o ano comercial nesse nosso Brasil varonil.

Diante de tal situação, a única atividade a qual Pierrot dentro de mim permite se submeter é a de escrever neste blog. E este blog não faz parte do meu trabalho, logo, torçamos para que o patrão nunca saiba da existência deste post. E vamos parar de falar de trabalho, que isso está me deixando cansado.

Carnaval é bagunça, é beber até cair e me dá um dinheiro aí, é beijar a mulher do próximo, desde que ele não esteja próximo, é olha a cabeleira do Zezé, é coitado do jacaré e é, claro, churrasco. Todo mundo vai fazer ou participar de algum churrasco nos próximos 4 dias que vêm por aí. E churrasco no carnaval é sempre de galera. E você, bom churrasqueiro, deve tomar alguns cuidados.

Quem leva a carne? Quem leva a cerveja?
Quando eu estava na quarta série, fazíamos os famosos bailinhos no quintal da casa de alguém. Quem nunca participou de um evento assim que taque o primeiro chinelo. E nessas festinhas, as meninas levavam os salgadinhos, e os meninos os refrigerantes (faz tempo que eu não participo de uma festa com refri, viu). Num churrasco, é um pouco diferente.

Pedir pro pessoal levar a carne é meio perigoso. O churrasqueiro sabe escolher uma boa carne, tem a estratégia de que tipo de carnes vai fazer, peças que saem rapidamente, peças que demoram um pouco mais.. Se você pede pra galera levar carne, todo mundo corre no supermercado e compra a maior peça mais barata. Aí o churrasco corre um sério risco de ficar ruim e a culpa é sua, parceiro. 

O ideal é instituir a regra de uma caixinha de breja por pessoa, ou por casal. Assim você gasta um tutu com as carnes, e a casa fica cheia de brejas. Tá, comprar carne pra um regimento inteiro do exército de Napoleão pode ser um preju. Nesse caso, recomendo que acione dois ou três amigos próximos, conhecedores de churrasco, e peça a eles que levem uma carninha. No final, acaba ficando razoável.

Tá, todo mundo foi bacana e levou breja.... mas tá quente, inevitável. Você, astuto leitor, ode se antecipar à intempérie. Pouco antes do pessoal chegar, compre uma ou duas caixinhas, um saco de gelo e monte um belo isopor PERTO DE VOCÊ. Não se esqueça de que todos levarão brejas, e como a casa é sua, a sobra também é sua. Ou seja, essas duas caixinhas podem ser consideradas investimento, e não prejuízo.

Assim, você será o detentor da cerveja gelada, vai tomar todas enquanto prepara a comida, e todo mundo que bebe vai conversar com você, porque entre uma pegada de breja e outra sempre rola um papo com o churrasqueiro.

Mais algumas dicas:
  1. Carne se come com a mão. Não sirva em pratos, sob o risco de elouquecer a sua mãe, patroa, empregada ou a você mesmo com a montanha de louça pós-churrasco;
  2. Tenha um telefone à mão e monitore a quantidade de cerveja e carne. Se notar que algo está pra acabar, ligue para aquele amigo que tá atrasado e peça a ele. Ninguém se nega;
  3. Procure comprar bastante carnes como fraldinha, maminha, frango, linguiça toscana.. que saem rapidamente e custam barato;
  4. Uma boa peça de ponta de agulha seria muito bem-vinda, não acha?
  5. Nos churras de galera, farofa, pão, esse tipo de coisa acaba sendo bem aceito. Não dá pra alimentar 300 de esparta só de carne, né?
  6. Fique bêbado. O mais que puder, cuidando apenas para não cair dentro da churrasqueira. Fora pode, sem problemas. É que dentro, queima :-P
Acho que já tá legal assim. Passou um tempão, entrei mais ainda no espírito de carnaval e minha única preocupação agora é arrumar algum motivo pra enrolar e não trabalhar mais, porque hoje. PAREI.

Bom carnaval a todos, que Deus olhe pelos vossos fígados, e que o patrão jamais leia este post.


Receitas do alheio: bacalhau com cerveja

Nas categorias
Tenho pesquisado bastante sobre receitas na internet (você já percebeu que nós pesquisamos na internet antes de fazer qualquer coisa hoje em dia?). E nessas andanças gooooglísticas, encontro muita coisa bacana por aí, e resolvi abrir um espaço aqui pra iluminar as mentes nebulosas de vocês com conteúdo alheio.

O pessoal do Azbier é dos nossos. Primeiro porque o blog fala sobre cerveja, e quando o assunto é cerveja, a gente puxa uma cadeira e pede uma pro garçom. Se os caras gostam de breja, a gente gosta deles. Tudo pra molhar o bigode.

A receita de hoje é o Bacalhau com Cerveja. Logo de cara, fiquei meio ressabiado com esse lance, porque eu já disse aqui: a cerveja é minha e eu não vou dar pra carne nenhuma, muito menos pra um bacalhau. Mas logo compreendi e pude ver o quanto a receita dos caras é fácil e divertida de fazer. Consiste nisso aqui:

Tranque a mulher com o bacalhau e os ingredientes na cozinha. Pegue a cerveja e tome em frente à televisão, enquanto espera ficar pronto. 

Sensacional, não? É mais ou menos o que a patroa faz comigo aqui em casa quando quer churrasco: me tranca no quintal com as carnes e a churraca e fica esperando tomando breja. 

Vale a visita, acessa ae: www.azbier.blogspot.com. A receita de bacalhau está nesse link


A linguiça cuiabana do Adib

Nas categorias
Se você acha que linguiça só serve pra encher o bucho da galera nos churrascos, que só churrasqueiro pobre que faz churrasco de linguiça, é porque você ainda não conheceu a linguiça certa. Se você pensou que o escriba deste blog emboiolou-se, posso lhe assegurar que está redondamente enganado. Eu estou falando da Linguiça Cuiabana. E não é uma cuiabana qualquer, porque existem vários tipos google afora.

O primeiro a se entender é que ela chama-se Cuiabana, mas não é originária de Cuiabá. Reza a lenda que o cara que inventou a Linguiça Cuiabana foi um fazendeiro de Paulo de Faria, no interior de São Paulo. Mas a patente de tal guloseima foi registrada em nome dos proprietários de uma padaria de Nova Granada, que obviamente era um açougue, mas o português acordou com a macaca e trocou a linguiça pelo baguete. Deus salve o Gooogle, mas isso tudo nem vem ao caso.

Essa linguiça é produzida artesanalmente nos açougues interior afora, então as receitas são variadas e você não encontra em supermercado. Vamos falar especificamente da Linguiça do Adib. 

Nas estatísticas deste blog, pude notar que temos leitores em São José do Rio Preto, a 550km da cidade de São Paulo. Achou longe? Pois ande mais 130km estado adentro até a bela e pacata cidade de Jales, local acolhedor de porres homéricos deste que vos escreve. Então, achou longe? Ande mais um pouquinho até Santa Albertina, nos arredores de Jales. Assim que chegar a Santa Albertina, pergunte ao primeiro que passar onde fica o açougue do Adib, separe R$8,80 e encoste a barriga no balcão.

O Adib prepara a linguiça cuiabana sob encomenda, pois ela fica mais gostosa quando fresca. E fica melhor fresca porque tem leite dentro dela. Isso mesmo que você leu, leite. Sente o drama: a linguiça cuiabana é, em maneira geral, feita de carne bovina, mais especificamente a Alcatra (que já é boa por si só, imagine como ingrediente), queijo minas, temperos diversos e leite. Digo temperos diversos porque o Adib não é um açougueiro falador, e até o presente momento, não houve tortura capaz de fazê-lo revelar quais temperos recobrem tal iguaria. 

Bom, comprados os 2,5kg de linguiça cuiabana, metamos ela na churraca, não? Pra facilitar as coisas, vou fazer como o pessoal da novela, que entra no avião aqui e sai na índia no segundo seguinte. Pode esquecer os 600 e tantos kilometros rodados, todos os pedágios da Bandeirantes e da Anhanguera, a paradinha no posto Castelo pra comprar biscoito de polvilho e o trânsito na marginal ao chegar a São Paulo. O lance aqui é teletransporte: do balcão do Adib à avenida Paulista em 3 segundos. 

Pra preparar, você não precisa de nada mais do que paciência e muito, muito cuidado. Paciência porque demora um pouco, ela é uma linguiça densa (ui!) e cuidado porque ela é muito frágil. Você tem que fazer toda a sua força mental e espiritual pra ela não arrebentar. Senão o leite cai na brasa e aí, meu filho... joga nescau e esquece o churrasco. Vamos ao modo de preparo:

Deite, cuidadosamente, mas muito cuidadosamente a linguiça numa grelha só pra ela. Essa grelha deve estar fria, pois se estiver quente, corre o risco dela colar na grelha e furar na hora de virar, e nós não queremos isso, ok?. Na hora de por na grelha, larga mão de ser bichinha e mete a mão na linguiça (ui de novo), não pegue a cuiabana com nenhum instrumento. Faça um enroladinho com ela. Pelamordedeus, nao separe os gomos!! Tem leite lá dentro, e é lá dentro que ele deve permanecer, deu pra entender?

Preciso comprar uma máquina decente. esse carvão azul não tá certo, não.
Olja o queijinho querendo sair da pontinha dela. delícia!

Deixe a cuiabana no médio da churraca, sem receber labareda, mas também não muito longe do fogo. Fique atento, quando ela começar a ficar preta embaixo (não no estilo carvão, fique ligado na sua comida, parceiro), faça uma operação tipo missão impossível pra virá-la. Tire-a com grelha e tudo (por isso que eu falei pra usar uma grelha só pra ela), posicione outra grelha cuidadosamente sobre ela, e vire de uma vez. Se furar nesse processo, game over and insert coins. Mas vamos imaginar que você sabe cuidar de alguma coisa nessa vida e conseguiu cumprir essa parte do processo direitinho. Volte ela pro fogo. Quando ficar vermelho escuro, tire, deite sobre a tábua, corte e sirva.

Ao contrário de qualquer linguiça, que só serve, digamos, pra encher linguiça, a Cuiabana pode ser a rainha do churrasco. Como ela é extremamente saborosa, o povo come que nem louco e você pode fazer uma atrás da outra. 

Mas, pra isso, vai ter que viajar até Santa Albertina, que fica perto de Jales, que fica a 130km de São José do Rio Preto, que fica a 550km de São Paulo... ufa! 

Ah, os leitores que o Goooogle indicou lá de Rio Preto podem fazer uma visitinha aqui. Desde que tragam lembranças do Adib.

UPDATE: Num post mais recente, eu FIZ a minha própria linguiça Cuiabana. Chupa essa manga, Adib. Se quiser saber como faz, vai lá e lê.

IPDA, mas não tem no Pão de Açúcar (perdeu Abílio): R$8,80 o Kg.
Rendimento: 2,5kg encheram o bucho de umas 10 pessoas. 
Tempo de preparo: 3 brejas até virar, 1 breja depois de virada.



E dá-lhe Porco!! Alcatra de porco levanta a torcida

Nas categorias
Eu já gritei "porco" o mais alto que pude. As pessoas à minha volta também fizeram o mesmo. Umas 80 mil, todo mundo gritando porco, porco, porco.. É, eu já me emocionei com o porco. Já chorei de alegria, de tristeza, já me descabelei. Quando criança, meu sonho era fazer parte do porco. Vestir as suas cores e sair por aí, correndo na relva. Aliás, frequentemente eu me visto de porco. Foi meu pai que me ensinou a ser assim, e eu também ensinei os meus filhos. Definitivamente, o porco faz parte da minha vida. Amar a um porco dessa maneira é um sentimento que só uma categoria da população sabe o que é: os palmeirenses!

E diante disso, hoje este blog vai sangrar a própria carne, trazer o assunto de volta ao que nos interessa e escrever um post antropófago. Vamos falar de deitar o porco na grelha.

Quando se fala de churrasco de porco, logo vem à mente a famosa costelinha, ou a bisteca. Pois o porco tem carnes saborosíssimas a serem exploradas. Uma delas é a ALCATRA SUÍNA.

A alcatrinha do porco é uma peça de, mais ou menos, 1kg. O sabor parece muito com o da costelinha, mas não tem quase nada de gordura, o sabor é um pouco mais leve e a carne é super macia. Receita de sucesso pra qualquer churrasco, não?

Pra preparar, não tem segredo. É mais um tipo de carne for dummies, que qualquer um consegue fazer sem se mijar. Vamos à receita.

Costumo cortar a peça da alcatra suína em duas partes, e preparar só uma delas. Mas isso é uma opção pessoal, porque costumo fazer churrasco com várias carnes diferentes. Então, a menos que você receba um time de rugbi no seu churrasco, vale a pena fazer apenas meia peça pra ter variedade. Além disso, a outra meia peça vira pretexto pra outro churrasco.

De posse da meia peça, não fatie. Manda ela inteirinha pra grelha. Pode ser na parte de baixo, mais próxima da brasa. só cuide pra não subir labareda na carne, pra não torrar. Coloque sal grosso. A alcatra tem um sabor suave, não é pra fazer aquela camada bizarra de sal grosso em cima da carne. Não seja um animal, porque o porco já o é.

Deixe aquecer alguns minutos (uma meia latinha de breja), e vire do outro lado. De novo, ponha sal com toda a parcimônia que Deus lhe deu. Deixa ela ae. Vai virando ela de tempos em tempos, pra assar por igual.

A alcatra do porco, quando crua, é meio branca, meio rosa e macia até demais. Quando ela vai ficando pronta, escurece e fica um pouco mais dura. Dá pra perceber o ponto dela facinho. 

Pra ter certeza do ponto, tire uma lasquinha dela. Por dentro, a carne tem que estar branquinha. Se você notar que tem sangue, ou que tá meio rosa no meio, manda de volta pro fogo. Carne de porco, definitivamente, não dá pra comer mal-passada. Além de ficar ruim, ainda tem o problema do verminho que prefiro não comentar aqui. Você entendeu: assa até ficar assado. E a carne de porco tem uma vantagem: se você deixar passar um pouquinho, ela não fica ruim. só fica mais seca.

Tá bom? Experimentou? Tá branquinho e sequinho por dentro? Então tá pronto!! 

Corta ela em tirinhas bem fininhas, joga num prato e espreme limão em cima. Querido churrasqueiro, prepare-se pra conquistar garotas, fazer amigos e influenciar pessoas! Essa carne é tudo de bom.

A alcatra de porco é o tipo da carne barata, fácil de fazer e saborosa, mas que ninguém faz. Aposto um rim como o pessoal vai falar assim: "Uau, que delícia! Que carne é essa?". Aí nessa hora você faz aquela cara de que conhece um segredo que ninguém mais conhece e diz: "Alcatra de porco, meu caro Watson". E todos vão invejar a sua astúcia e sagacidade. Há!

Com essa carne, até corintiano grita PORCO!

IPDA: R$13,80 a peça inteira. E dá pra 2 churrascos. Logo, R$6,90. Brecinho de brimo.
Tempo de preparo: Umas 3 latinhas. 
Rendimento: Serve umas 4 pessoas, se não for a única carne do churrasco e se não forem 4 ogros.


Economize seu dinheiro. Não compre carne pré-temperada

Nas categorias
Eu sempre achei que carne temperada era coisa da ana maria braga. E pra falar a verdade, eu sempre estive certo e continuo achando isso. Se você quer fazer um bom churrasco, compre a carne sem tempero e sem nada, meta sal grosso e manda pra brasa. Salvo uma carne ou outra, churrasco em geral é carne crua + sal grosso + brasa = alegria.

Pois olha a cilada em que eu me meti ontem... Voltando de uma reunião, parei no melhor Pão de Açúcar da região, pois havia combinado um churras com os amigos e sabia que viriam umas 15 pessoas em casa, pelo menos. É, aqui em casa os amigos são bem tratados, é só falar de churrasco que aparece todo mundo :-) 

Minha vontade era fazer uma ponta de agulha, porque o comentário do Roberto no post da costela me deu vontade de encher a peça de manteiga pra ver qual-é-qui-é. Além do inferno que foi pra parar o carro no PDA, não tinha nenhuma pecinha de ponta de agulha. Só uma congelada, da Wessel, que parecia um espetáculo, mas não daria tempo de descongelar, e meter carne congelada na churraca é serviço porco.

Fazendo um adendo a respeito do timing: churrasco tem que demorar, parceiro. O legal é levar horas churrasqueando e enchendo a cara, não é como um jantar. Diante disso, é burrada encher o bucho da galera de uma vez, porque você mata o churras cedo. E é burrada também demorar pra sair carne, porque o povo fica com fome. Então você tem que comprar carnes que ficam prontas rapidinho, como fraldinha ou picanha, por exemplo. E carnes que demoram, como a ponta de agulha ou o cupim. Assim o pessoal sacia a fome com as carnes rápidas, e as demoradas vêm pra galera se lambuzar. O pessoal come o tempo todo sem se empanturrar.

Ok, adendo feito, estava eu no PDA procurando carnes pro segundo tempo. Ponta de agulha não tinha, então pensei num cupim. Cupim não tinha também. Chupa essa manga, Abílio Diniz: Eu estava no melhor pão de açúcar da região de moema, numa sexta feira às 18:30 e não tinha carne boa pra churrasco? Gol do paraguay hein parceiro!!

O único cupim que tinha lá era um daqueles pré-temperados, numa bela embalagem, onde vinha escrito: "Cupim ao alho". Pô, parece promissor, não? Levei, paguei 10,58 uma peça que devia ter 1kg. Uma excelente oportunidade aos olhos de qualquer incauto. Até eu caí nessa.

Cheguei em casa e comecei os preparativos, antes que o pessoal chegasse. Quando abri a embalagem, um cheiro delicioso. Até alí, estava diante dos 10,58 mais bem gastos do mundo.  Como todo bom cupim, segui o script: o boizim foi devidamente embrulhado e levado ao lugar mais alto da churraca, e ali permaneceu durante algumas horas. 

Na hora de abrir o celofane, a decepção. O cheiro já não era aqueeeeele, e a cor do cupim já não era mais aquela beleza. Até aí ok, porque o cupim sai cinza do celofane mesmo. Mas o cheiro me estranhou, porque ao abrir o celofane o cupim cheira bem demais. Esse não, cheiro de nada. 

Cortei a carne, e cautelosamente experimentei o primeiro pedaço. E sabe como tava? Macio, sinal que ele foi preparado direito. E o gosto? Meio amargo, esquisito demais, um lixo. Gosto de tudo, menos de carne. Nem servi. Foi pro lixo. Não dei nem pro cachorro. E olha que o dog de casa é um vira-latas hein!

Essas carnes temperadas são tão cheias de conservantes, aromas artificiais e o escambau que acabam perdendo o sabor da carne e só servem a quem não sabe de churrasco. Ou seja, a cor era rosinha e linda, e o cheiro era delicioso devido à quantidade imensa de quimica misturada na carne. Funcionava bem na prateleira do mercado, mas na hora que o fogo come as máscaras caem*. O famoso gato por lebre.

* Bial, explica essa pra gente

Daqui pra frente, se você se deparar aquela embalagem linda, com uma peça de carne suculenta e rosada dentro dela, corra longe. Embora eu seja adepto do carne/sal/brasa, dou uma dica que me fez custar 10,50: se quiser temperar a carne, faça isso em casa. Pelo menos você sabe o que tem dentro. 


Caminho das Índias - não vá por aí!!

Nas categorias
Nunca convide um indiano pra um churrasco. Lá na terra deles, isso é um insulto, coisa do capeta, é pior que chamar a mãe de coxinha e o pai de empadinha. Isso porque eles são um povo muito evoluído espiritualmente, têm um deus chamado Ganesh bem simpático, andam de elefante na rua e buzinam o tempo todo sem se irritar. Definitivamente, esse povo indiano é batuta. Só tem um probleminha aí... e o churrasco?

Já falei aqui que me babo toda vez que aquele pessoal da novela dá comidinha na boca da vaca, todo mundo feliz e contente por alimentar o animal sagrado e bla bla bla whiskas sachê. Por mim, metia a mimosa no espeto e vamo-que-vamo!!

Honestamente, respeito o vegetarianismo, desde que bem longe de mim e desde que não me chamem de canibal ou comedor de cadáveres. Mas uma coisa que eu não entendo são esses costumes bizarros baseados em tradições ou religiões. Deixar de lado um belo churrasco porque a vaca é sagrada, por exemplo.

Dá uma olhada no link que tinha no Terra hoje: "Refrigerante de urina de vaca é sensação na Índia". Caracoles, a única sensação que eu consigo ter com um lance desses é a de nojo absoluto. Pô, rapaziada, não seria muito melhor fazer como o mundo todo e aderir à Coca-cola? Essa aí, pelo menos a gente não sabe do que é feito. Agora mandar um mijo de vaca conscientemente.. Sente a situação: 

- Pô, mó calor aqui em Bombaim hoje, né?
- Só, deve estar fazendo uns 50 graus. Aquecimento global.. foda..
- Bora lá molhar a goela pra refrescar um pouquinho?
- Demorô! No seu elefante ou no meu?

.... 5 minutos depois....

- Ô Zé! Manda Gau Jal* aí que hoje eu quero ficar Bamboocha!!
- Puuuuutz esse refri tá demais!! Desce macio e reanima!

* nome do refri, tradução pra Água de Vaca.

Jisuis, sem chance. Bom, continuei lendo a reportagem - antes do almoço, diga-se de passagem, e pude perceber que, ou o jornalista que escreveu aquilo é um fanfarrão, ou a Índia eu tou fora, não conquisto nem no War. 

Não contente em fazer uma Fanta Mijo, os caras ainda consomem mijo e merda de vaca em diversas outras situações porque acham que isso aí tem propriedades curativas e milagrosas. Tá com gripe? Come esse teco de esterco aqui que melhora, filho. 

Pra finalizar a nojeira, eles ainda usam esterco e mijo de vaca pra fazer pasta de dentes e bebidas tônicas.  Aí fudeu tudo: neguinho bebe mijo de vaca, tem bafo de merda e se o redbull lá não dá asas, não quero nem saber o que ele dá. 

Tou fora!! Definitivamente, a Índia não é lindinha e fofinha como mostra a novela da globo. Lá não se faz churrasco, e os caras comem meeeeeeerdaaaaaa!!!!

Cabral, meu véio... Ainda bem que a nau se perdeu e você chegou no Brasil, meu filho. Ainda bem...


Costela ponta de agulha é o bicho

Nas categorias
Imagina o tamanho de uma ripa da costela inteira do boi. É mais ou menos do tamanho de um berimbau, e vai das costas até o peito. Então já dá pra imaginar que uma peça extensa dessa tem todo tipo de carne, certo? Sim, e onde queremos chegar com isso? A resposta é fácil, queremos chegar a mais uma peça de carne que tem nome esdúxulo que não condiz com a aparência física dela, nem com o tamanho, nada. Mais uma fanfarrice do primeiro açougueiro que fatiou o primeiro boi: A Ponta de Agulha

A Costela Ponta de Agulha é uma parte muito saborosa e macia da ripa de costela bovina. Fica localizada meio que embaixo do boi, na região da barriga. Veja o que o grande jedi Gooooogle tem a dizer:
É a grande peça constituída das massas musculares que recobrem as oito últimas costelas, a última esternebra, o apêndice xifóide e a região do vazio, obtida do traseiro-comum, na preparação do traseiro-serrote ou especial. 

O corte é obtido do traseiro-comum, por meio de incisão que se inicia na extremidade posterior do matambre, junto ao gânglio linfático pré-crural, atinge a ponta da anca (tuberosidade ilíaca), seguindo em linha reta até a sexta costela, a uma distância máxima de 4 cm da borda lateral da porção muscular do contra-filé.
Se você nunca viu a última esternebra, não acha que tem apêndice xifóide e concorda que a região do vazio é aquela que dói antes do churrasco, concorda comigo que isso aí não tem a menor importância. A menos que você tenha a pretensão de incorporar o Magaiver, sacar o canivete e destrinchar o boi você mesmo. Recomendo uma passada no supermercado, dá muito menos trabalho.  Mas taí, a título de informação.

Existem várias maneiras de preparar a Ponta de Agulha. Fazendo uma busca rápida na internet você encontra todo tipo de receita, mas a maioria vai concordar comigo: carne boa, você tempera com sal e pronto. Viadagem na comida é coisa da ana maria braga, e se você pensou em colocar uma pitada de páprica, decorar com tomate seco ou sapecar um pouquinho de alcaparra, recomendamos que saia do armário, acesse o site do louro josé e seja feliz. 

Pois então é simples assim? Sal e bota-no-fogo? Olha, caro churrasqueiro... Sim e não. 

Realmente, taca sal grosso na parte de baixo, põe um pouquinho mais na parte de cima, e mete no fogo. O segredo mora a partir daí.

Quando você manuseia a ponta de agulha, percebe que é uma carne mega macia, mesmo crua. Mas não ache que só por isso você deita ela, conta até 10 e fatia. Tem que esperar, e muito. Essa carne tem o mesmo estilo do cupim, se tirar antes da hora fica uma borracha e aí, parceiro.. o churrasqueiro toma vaia e a gente não tá aqui pra ver homem chorando.

O legal da costela é que vem com o osso no lado de baixo. É como se a carne fosse o seu colchão, e as ripas de costela, o estrado embaixo dela. Se você tem algum tipo de sonambulismo, recomendo que não leia este post antes de adormecer, sob o risco de acordar com um teco de espuma ou uma mola ensacada entre os dentes.

Qualquer um que já prestou atenção na sopa da mãe sabe: dentro do osso tem o totano, que é um lixo se você comer sozinho, mas fica muito bom se você tiver a paciência de tirá-lo pra temperar a carne. E na ponta de agulha, esse processo acontece naturalmente. Ou seja, você não está temperando a carne apenas com sal; tá temperando com sal e osso. 

E pra fazer isso, basta paciência. Tempere a carne com sal grosso, e coloque no alto da churraca com os ossos pra baixo. E quando eu digo alto da churraca, tenha em mente que você precisa de uma churraca responsa, de vários andares pra fazer uma carne assim. E, uma vez proprietário de tal instrumento da alegria, posicione a carne em questão no seu andar mais alto, cuidando para que o fogo esteja sempre forte, mas sem chamas e sem lambança. Ah, você entendeu: fogo forte e carne no alto.

Hoje eu vou quebrar um protocolo deste blog. Como é uma carne muito, mas muito demorada, não vou contar o tempo de preparo por latinhas de cerveja, porque se você bebe que nem mulherzinha, vai tirar a carne muito louco, e se você é um animal, vai tirar crua demais. Dessa vez, e apenas dessa vez, contarei em horas (sim, horas. demora muuuuito).

Deixe a peça de ponta de agulha virada com o osso pra baixo no andar mais alto da churraca por 3 fuckin horas. Sim, dá pra assistir o jogo do seu time, ler este blog inteiro umas 4 vezes e conferir o resultado da tele-sena 3 vezes. E não acha que tá pronto, não. Depois dessas 3 horas, vire a carne com o osso pra cima. Você vai notar que os ossinhos estão mais soltos, meio quequerendo sair pra fora da carne. Isso porque eles secaram e estão mais lisos, e a carne perdeu água e diminuiu de tamanho, apertando os ossos pra fora. Mas deixa o osso lá, não precisa tirá-lo. 

Voltando ao assunto: vire a carne do outro lado. Pelamordedeus, compadre: agora que você cumpriu metade do processo, não desça a carne. Essa é a hora que você faz merda por ansiedade, porque se queimar a parte de fora com fogo próximo, o meio continua cru, e duro. Deixa ela no mesmo andar, lá no alto. Por, mais ou menos, 1 e 1/2 ou 2 horas, dependendo da potência da sua churraca. Fica ligeiro, vai tirando umas lascas e experimentando. 

Quando achar que tá legal, experimentou e lavou a alma, vai tirando por pedacinhos, separados pelos ossos. Recomendo cortar pequeno e sapecar limão. Faz a festa.

O problema dessa carne é a estratégia. Não encha o seu eleitorado de carne antes, dose bem o que vai servir pra não deixar ninguém com fome, nem ninguém empapuçado. Assim, quando a ponta de agulha sair você vai ouvir muitos elogios. Cuide também de servir na hora que o carinha das batidas esteja fazendo um drink de aguarraz com suco de kiwi, porque isso fica bom e esse canalha não merece.

IPDA: Uns 15 reais uma peça boa, de 1,5Kg, e sal nem entra na conta. Tenha limão, não sei o preço.
Tempo de preparo: Sirva bêbado. Demora, você leu: entre 4 e 5 horas e a breja come solta nesse meio tempo.
Rendimento: a peça de 1,5kg serve bem 4 pessoas. Claro que essa não é a única carne do churrasco, senão você apanha.


Não meta o bedelho no meu churrasco

Nas categorias
Churrasqueiro é um bicho ciumento com a sua carne. Mas fica feliz quando todo mundo come ela. Putz, dificil explicar esses fatos se compreendidos ao pé da letra, mas a verdade é que todo churrasqueiro gosta de montar ali ao lado da churraca e cuidar de tudo ele mesmo. Sem interferência e sem palpite.

Aí chega aquele cunhado da vizinha. O cara é um mala, usa camisa pra dentro da bermuda, torce pra Inter de Limeira, não bebe e estuda mecatrônica. Só faltava ser vegetariano. Apesar de que, se vegetariano fosse, mandaríamos o rapaz visitar o site da ana maria braga ler a receita de quibe sem carne e este post não teria motivo de ser. Ok, o cara é mala, se veste que nem um coxinha, torce mal, sempre-sóbrio e estudioso. Já tá chato o suficiente, né?

Querido leitor, se você não se enquadra nas características acima, sabe que um babaca desses num churrasco com gente normal, que bebe, fala merda e torce pra time que tem torcida acaba ficando largado num canto, não se enturma. 

Uma vez não enturmado, o que esse cara faz? cola no churrasqueiro. Além de nerd criado pela vó, é fominha. Então o camarada chega como quem não quer nada, pergunta que carne é essa, dá uma examinada na churrasqueira.. pra puxar papo, diz que a carne tá boa, mas ele faria de outro jeito e tal... OPA PERA LÁ QUE PORRA É ESSA?

Parceiro, é o seguinte, vamos ser bem claros.

O churrasqueiro acorda com vontade de comer uma carninha. Pensa o dia inteiro numa carne legal pra fazer. Vai comprar, gasta uma grana, escolhe, corta, prepara, faz tudo... e maluco vem meter o bedelho???? Ah, parceiro, aí não hein!!


O churrasqueiro fanfarrão

Nas categorias
Churrasqueiro que é churrasqueiro não tem medo nem de juiz, malandro!!! Ouve essa história:

Tava navegando mares afora hoje, quando dei de cara com a seguinte notícia: "Convite para churrasco é anexado a processo no RS".

Pãããããtz!! Neguinho tava convidando geral pro churras do final de semana, mandou um bilhetinho pro juiz, que não viu e anexou ao processo. 

Sabe o nome disso? P-a-t-a-q-u-a-d-a. 

Abaixo, o recado encontrado anexo ao processo:

Churrasco de amigos na casa da Morgana, dia 06/12/2008, horário: 12h. O que levar??? Bebidas!!! Cada um leva seu fardinho!!! E a carne??? R$ 10,00 por pessoa, criança não paga. Quem vai??? Favor confirmar presença por e-mail e $$$ até dia 05/12, certo!!!??? Bem, mais uma vez um encontro de amigos, para colocar a conversa em dia, e desopilar fora da santa!!!

Dona Morgana sabe organizar churrasco, olha ae.. Cobrou 10 conto e o fardinho de breja. 

Pena que o churrasco já passou, senão eu aparecia lá. 

O link pra notícia: clica aqui


Coraçãozinho de frango no espeto

Um pacote de 500g de coraçãozinho de frango tem, mais ou menos, uns 40 corações. Estamos falando de 40 ex-frangos, que tiveram família, amigos, sentiram, amaram.. Toda vez que eu vejo um coraçãozinho de frango eu fico me perguntando... por qual galinha aquele frangote teria se apaixonado antes de ir pro espeto? Será que existe uma galinha triste, em alguma granja nesse mundão de Deus, botando ovo todo dia e sonhando com a volta do seu frango amado? Será??
A Rádio Atividade leva até vocês
Mais um programa da séria série
"Dedique uma canção a quem você ama"
Eu tenho aqui em minhas mãos uma carta
Uma carta d'uma ouvinte que nos escreve
E assina com o singelo pseudônimo de
"Mariposa Apaixonada de Guadalupe"
Ela nos conta que no dia que seria
O dia do dia mais feliz de sua vida
Arlindo Orlando, seu noivo
Um caminhoneiro conhecido da pequena e
Pacata cidade de Miracema do Norte
Fugiu, desapareceu, escafedeu-se
Oh! Arlindo Orlando volte
Onde quer que você se encontre
Volte para o seio de sua amada
Ela espera ver aquele caminhão voltando
De faróis baixos e pára-choque duro

Agora uma canção canta pra mim
Eu não quero ver você triste assim

Ei, ei, o que é isso? Isso aqui é blog de macho e a gente não tem dó de mandar neguinho pro espeto aqui, não!! Pode engolir esse choro e enxugar essa lágrima aí e vamos dar início à receita: coraçãozinho de frango na grelha.

Antes de assar, você tem que limpar os coraçõezinhos. Prepare-se para uma das coisas mais nojentas que um churrasco pode te proporcionar. Isso porque você nunca vai encontrar um lugar que os venda decentemente limpos. Nesta receita, vamos ilustrar uma bandeja comum do Pão de Açúcar. Ou seja: tive que limpar.

Na granja, quando eles separam as partes do frango, geralmente arrancam o coração de qualquer jeito, e junto com ele vem todo tipo de tranqueira. O mais comum é o coração vir com artérias, o que dá um gosto ruim ao coração, caso sua preguiça te impeça de limpá-lo.


Dá uma olhada nesse coração de cima.
O primeiro que adivinhar que órgão é esse que veio anexo ganha um saco de vômito da Xuxa.

Nessa foto tem todo tipo de tranqueira. Alguns, como o penúltimo, tem uma membrana de gordura que o envolve, outros tem a artéria e tem até um fígado ou qualquer outra porra de brinde. Concordamos que não dá pra meter isso aí na grelha desse jeito, né?

Não tem outra saída: respire fundo e meta a mão na meleca. Tenha em mãos uma faca afiada, senão você acaba destruindo cada coração que limpar. Além disso, uma faca afiada vai te ajudar a acabar essa nojeira mais rápido.

O principal é fazer um corte bem no meio da gordurinha dele, tomando cuidado pra não tirá-la completamente. 


Mantenha um pouco da gordura, você vai precisar dela.


Olha eles aí. Nem parecem os 4 elementos do mal da primeira foto.

Se você tirar toda a gordura, o coração vai secar completamente, e aí ele fica uma borracha. Ao contrário do que parece, o coraçãozinho demora um tempo pra assar. Além disso, churrasco sem gordura é coisa de vegetariano, e esses aí a gente manda visitar o site da ana maria braga, que lá tem um hamburger vegetariano que é Oh! Uma merda!

Depois de limpos os coraçõezinhos, você tem que colocá-los no espeto. Se você for um mestre na arte do equilíbrio, pode deixá-los sobre a grelha, mas garanto que carvão não precisa de coraçãozinho pra viver.

Recomendo utilizar o espeto duplo, porque assa uma montanha de coraçõezinhos de uma vez. Isso é importante, porque coração costuma fazer sucesso no churrasco, e a galera come de monte.


Todo mundo no mesmo sentido. Uma dinastia inteira de frangos no seu espeto.

Uma vez cheio o espeto, manda pro fogo, de preferência no segundo andar, que fica a uns 30cm do fogo! E com a gordurinha pra cima. Primeiro porque a parte de baixo demora mesmo pra assar. Segundo porque a gordurinha derrete pra dentro do coração, dando um sabor muito bom. Terceiro, porque é sobre a gordurinha que você deve colocar o sal. Logo, ele também derrete pra dentro do coração.

Quando a parte de baixo começar a parecer mais marrom, e ter uma aparência mais "sequinha", é hora de virar e deixar a gordura pra baixo. O espeto duplo quebra um galhão nesse lance de virar. Depois de uma cervejinha, pode descer o coração mais pra perto do fogo, com a gordura pra baixo. 

Sirva e faça o mundo feliz. Coraçãozinho é o tipo da comida que faz sucesso com todo mundo. A menos que você conte a história do amor do frangote pela galinha do vizinho...

IPDA: marromeno R$4,00 um pacote com 500g. Metade das 500g são lixo que você tira dele quando limpa. Mas ainda sim é barato. 
Tempo de preparo: 2 brejas na cozinha, e 4 brejas na grelha.
Rendimento: 500g faz uns 40 ou 50 coraçõezinhos. Serve como aperitivo.


Drumet crocante

Taí um título trava-língua. Duvido você falar "drumet crocante" mais de 3 vezes sem mandar um "cocrante" sequer.  E aqui funciona assim: se o título é ruim, a receita é boa. 

Essa é mais uma daquelas receitas campeãs de audiência (te cuida, plim-plim!!), que você deveria fazer em todo churrasco. Além de ser barata e leve, você ainda pode receber todos os personagens da novela das 8 na sua casa, porque é frango e não vaca.

Aliás, desviando um pouco do assunto, sou só eu que tenho pensamentos altamente gastronômicos quando passa aquele pessoal dando comidinha na boca da vaca na novela?

Tá, mas o assunto aqui é frango e não vaca, e se é vaca, a gente COME! Prepare-se pra fazer um fordúncio na sua pia. Essa receita FAZ MELECA. Mas impressiona as garotas, então faça a meleca, se limpe e receba os elogios. 

A receita consiste em drumet de frango chafurdado na maionese misturada com sopa de cebola. É, isso mesmo que você ouviu: sopa de cebola. E não, nós não vamos fazer a sopa, ok? Estou falando da sopinha de pacote, daquelas que você mistura água quente e tá feita a parada. E nem precisa preparar nada, vamos usar só o pó (maradona style?)

Mas, afinal, que porra é essa de drumet? E Deus salve o Gooooogle:

Drumet, no contexto da culinária, é a parte da asa de frango, muito apreciada em churrascos e molhos. Diferente da Tulipa, que refere-se a mesma parte, só que com a asa desossada. Muito apreciada em churrascos e almoços de família. Temperadas com canela em pó e molho curry. Para o churrasco ser completo colocar também alcatra e contra filé temperados só com sal grosso.

O camaradinha que escreveu essa explicação na Wikipedia já se meteu onde não devia: esquece essa merda de canela em pó no frango porque isso aqui não é a ana maria braga. Aqui a gente põe coisa SALGADA pra temperar a carne. O que importa é que você descobriu o que é drumet. O nome é gay, mas o frango é bom.

Bom, vamos começar pelo molho. Lance mão de uma boa maionese. Se você souber como faz a maionese caseira, melhor ainda. Na minha receita, usei uma maionese chamada "caseira" da marca Liza. Não vou colocar link e nem nada porque eu não tou aqui pra vender maionese. Te vira, marmanjão. Ah, e pra você ter uma noção, utilizei marromeno 500g de drumet, o que deu umas 7 pecinhas. 

Taca num pote umas 3 colheres de sopa de maionese. Não precisa exagerar, certo? Agora, pegue o pacote da sopa de cebola. Taca lá dentro marromeno 3 colheres, que deve dar meio pacotinho. 


Pra você ter uma idéia, isso aqui temperou 7 drumets. Não exagere, isso faz uma sujeira do capeta.

Beleza, mistura tudo. Virou uma pastinha meio esquisita. Agora taca os frangos lá dentro, e mistura bastante, até os frangos ficarem todos besuntados e isso aí virar uma verdadeira gororoba.

Se quiser, pode mandar os franguetes pra churraca agora mesmo. Ou pode adicionar um elemento a mais que costuma ser um UP pra qualquer comida: manjericão fresco.


Vendo assim, é a imagem do cão. Mas põe no fogo que eles ficam uma delícia.

Pra assar, é fácil. Frango não tem muito segredo. Pode virar, pode deixar perto do fogo que ele assa legal, pode deixar longe que só demora mais, faça o que tu queres, há de ser tudo da lei.. é só ficar ligado na casquinha dele, quando começar a ficar queimadinha, vai virando até queimar por igual. Se você já comeu um frango assado uma vez na vida, sabe qual é o ponto. Posso contar com isso, hã?

O legal é que a maionese seca, e o pozinho da sopa faz uma camada levemente crocante sobre o drumet, e o tempera por igual. Fica super gostoso, agrada as garotinhas, o sogrão, as crianças e os vizinhos. Recomendo agradar as garotinhas com moderação, principalmente se o sogrão estiver por perto.

Uma dica: tenha por perto um monte de guardanapos. Tem maionese pra caray aí, e vai, invariavelmente, sujar todo o seu instrumental. E você não vai ser burro de sujar outras carnes com maionese, não?

Ah, funciona legal nas churraquinhas de apartamento, tanto as pequenas de carvão quanto as elétricas.

IPDA: Menos de 10 reais pra 1k de frango. Baratim!!
Tempo de preparo: 1 latinha pra preparar o molho, 2 latinhas pra assar. 
Rendimento: 500g deu 7 coxinhas. Serve umas 2 pessoas, mas é bom ter outras opções.


Blog Widget by LinkWithin