Follow me on Twitter RSS FEED

Como preparar uma picanha invertida, um espetáculo em qualquer churrasco

Nas categorias
Merda.

Não, caro leitor. Não estou lamentando a escalação do dunga, nem escolhendo meu candidato para as próximas eleições, e nem tampouco dei uma topada na quina da cama. Até porque, eu estou escrevendo aqui agora, e não creio que seja uma boa prática digitar andando pela casa.

Merda, segundo o gooooooogle, é uma expressão muito utilizada entre artistas de teatro. Fanfarrões, os atores costumam desejar "merda" uns aos outros antes de entrarem em cena, visivelmente camuflando uma vontade iminente de que o companheiro de cena perca um dente, peide em cena ou simplesmente esqueça o texto. Atores gostam disso, sempre faz sucesso depois, nas cenas dos bastidores. Taí o video show que não nos deixa mentir.

Mas que diabos tem a ver esse negócio de merda tem a ver com o nosso combalido Gato na Grelha?

Simples, caro leitor. Eu, o escriba desta merda deste surrado pergaminho, estou lhe desejando MERDA. Muita merda.

Desejo-lhe merda, porque daqui pra frente, o artista é você. Pode liberando esse seu lado toni ramos, pode encarnar a ana maria braga (piada pronta, isso), vista a sua roupa de Freddie Mercury, e tenha parcimônia pra não sair do armário, porque essa carne que vamos fazer aqui é capaz de te colocar nos mais altos patamares da moral que um churrasqueiro pode atingir com a sua platéia.

A picanha invertida é assim: algum afortunado virou uma picanha como uma meia, encheu de coisa dentro, costurou a boquinha dela e mandou pra grelha. Consegue visualizar?

Isso, faça aí o seu exercício de imaginação. Vá imaginando as coisas que eu vou te contando aqui, ok?

Feche os olhos e imagine a Luma de Oliveira pelada, esqueça a picanha e nunca mais abra os olhos.

Abre.
Aaaaaabre.
AAAAABREEEEEEEEE!!!!!
Amigo, sei que a Luma é uma delícia, muito mais gostosa do que qualquer picanha, mas se você não abrir os olhos, não vai conseguir ler o resto da receita, entendeu?

Tá enxergando? Posso continuar? Limpa a remela do canto do olho.

Então, começamos analisando a peça de picanha. Pra fazer essa receita, você não pode usar qualquer picanha não. Ao longo da receita, vou explicando porque. Por enquanto, entenda apenas que a picanha não pode ser muito pequena (menos de 1kg), nem ter muita gordura, e muito menos sujeira na contra-capa. Não sabe o que é sujeira na contra-capa? São aqueles nervos na parte de trás dela.

Ok, de picanha na mão, hora de meter a mão na massa.

O primeiro passo é limpar a picanha. Tire o máximo que puder da capa de gordura da picanha. Normalmente, as picanhas com uma boa capa são bem vindas, mas dessa vez, recomendo deixá-la mais magrinha. Pegue uma faca, cuidado com essa mão e vai retirando lascas da gordura. Ao contrário da Luma, você não deve deixar a picanha pelada, apenas retire o excesso. Um pouco de gordurinha vai fazer bem.

Se você é meio louco como eu, guarde essas lascas de gordura pra fazer linguiça posteriormente. Se você é louco inteiro, pode botar a gordura na grelha, esperar ficar douradinha e mandar a sua coronária pras cucuias. Se você é muito louco mesmo, misture chantilly, uva passa e maionese e saboreie na cozinha da ana maria braga.

- menina, sente o cheirinho dessa gororoba!

Isso mesmo, dona ana. Vai já pra baixo da mesa que a receita aqui é bruta.

Enfim, você tirou bem a gordura da picanha, certo? Ok, vire ela do outro lado, e certifique-se de que ela está limpa. Mas a picanha nem caiu no chão, pergunta-se o auspicioso leitor. Não, amigo, ela não precisa cair na lama e nem andar na boca do cachorro pra estar suja. Se ela tiver nervos, membranas e afins, tá suja. Larga de preguiça, afia a faca e começa a retirar essa caca toda. Isso tudo vai deixar a sua picanha dura. E você não quer servir uma picanha dura num churrasco, quer? Eu não quero, e não quero que você queira. Então engole esse choro e limpa logo esse negócio.

Beleza, de picanha limpa e magra, deite ela na tábua. A sua missão é fazer um corte nela, paralelo à gordura. Difícil explicar sem fotos, porque eu não tirei fotos, pra variar. Então vou ter que improvisar, sente o cheiro de photoshop chegando:

recomendo substituir a tesoura por uma faca.
no photoshop, foi o que deu pra fazer.

O lance é o seguinte, você mete a faca no bucho da picanha, e vai abrindo o corte por dentro. A picanha tem que fica como um envolope, mas tome muito, muito cuidado pra não rasgar as laterais e nem o bico. Use toda a sensibilidade que ouvir Love of My Life na adolescência lhe deu e chegue o mais próximo possível das extremidades, mas sem rasgar a picanha. Se rasgar, esquece que vai dar merda. Não no sentido da sorte, no sentido da merda mesmo.

A picanha vai ficar parecendo uma luva daquelas de cozinha. Aquela, que a gente usa pra tirar as coisas do forno.

E, já que ficou uma luva, meta a mão dentro dela. Isso mesmo, experimente e veja se serve na sua mão.

No meu caso, a mão de raquete do garotão aqui não deu, não. Tive que chamar a patroa e pedir a ela que emprestasse sua doce e delicada mãozinha pra enfiar dentro da picanha. Exatamente por isso que a picanha não pode ser pequena. Senão sua mão não cabe dentro dela. Ou você tem mãozinha do mickey, ou vai ter que comprar uma picanha de mais de 1kg. Vai no açougue, mede a picanha, compara com o tamanho da mão e compra uma decente.

Legal, uma vez que a picanha serviu, literalmente, como uma luva, começa a parte mais difícil: virar a bicha do avesso. O plano é o seguinte: um mete a mão dentro da picanha e tenta trazer o bico dela, enquanto outro empurra o bico pra dentro. Como virar uma meia, com a diferença que você não come a sua meia depois de virar. Pelo menos é o que eu espero.

Assim que o bico entrar, venha virando a picanha com cuidado, bem devagar. Não tenha pressa e não seja um ogro, pois a carne pode ter algum ponto mais frágil nas laterais, e rasgar. Aí, dá merda, conforme explicações anteriores.

na hora de virar, deixamos algum ponto mais frágil na lateral.
na hora abrir, rasgou e o queijo fugiu. Dane-se, ficou bom assim mesmo :-)

Agora tá fácil, você deve recheá-la. Você pode enfiar o que quiser dentro da picanha (não, necessariamente, o que quiser, mente suja do capeta). Recomendo seriamente queijo provolone cortado em cubinhos, com bacon e um pouco de orégano. Mas já vi gente que coloca pimentão, cebola, farofa, enfim, um monte de coisa. Minha próxima receita vai ser com catupiry e ervas. Ou seja: use a imaginação. Se você não tem imaginação, encha a picanha com provolone e bacon que funciona. Não precisa lotar a picanha, senão vai vazar e fazer lambança. Encha, mas seja comedido. No caso do provolone, nem precisei colocar sal, pois o queijo já é bastante salgado. Se usar coisas sem sal, salgue as coisas.

Chama a vó aí.

Hora da costura. Para que aquele recheio todo não vaze, você precisa dar um jeito de costurar a boca da picanha. Não me venha com essa história de que não sabe cozinhar. Eu sei. E sabe porque eu sei? Porque no meu tempo as camisas de futebol não vinham com os números impressos nas costas, como hoje. A gente tinha que comprar o número na papelaria, e costurar na marra. E como minha mãe não era, exatamente, uma serzideira, ela ignorava meus pedidos e se eu quisesse jogar com um número nas costas, tinha que me virar. Assim aprendi que espetar o dedão dói, descobri que tenho hipermetropia e, por fim, aprendi a fazer uns pontos porcos que prendiam o número na camisa, e agora prendem o recheio dentro da picanha.

Tal e qual o 10 nas costas do artilheiro, costure a boca da picanha. Uns 6 pontos já são suficientes, nem precisa ser muito bem feito. Como na famosa macumba, lembre-se daquele chefe chato, e pense que tá costurando o nome dele na boca do sapo.

A picanha tá quase pronta pra ir pra churraca. Na verdade, se você é ansioso e não acha ruim o velho ditado que diz que o apressado come cru (CRU, mente suja), manda ela pro fogo. Se você quer dar um agrado nela, esprema uns dentes de alho e passe por fora na gordinha (sim, ela fica gordinha, parece um bebezinho).

Ah, é interessante passar um pouco de sal grosso por fora dela.

Deixa na churraca, perto do calor, e sem deixar que as chamas encostem nela e abre uma breja. Mais outra. E mais outra. Pronto, se a tua churraca é quente e funciona direito, tá na hora de tirar.

Pra experimentar, retire um pedacinho do bico tomando cuidado pra não chegar no recheio, e veja a cor da carne. Se estiver muito vermelha, volte pra churraca. Essa carne não é legal malpassada, não.

Ok, se a cor estiver legal, retire, fatie e manda bala. Nesse momento, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. A picanha invertida te faz artista.

tá duvidando? dá uma olhada nisso.
não dá vontade de bater palmas pra ela?

Duas histórias engraçadas sobre a picanha invertida:


  1. Tenho um filho de 4 anos, que adora me acompanhar nos churras, prepara as carnes comigo, maior barato. No dia da picanha invertida, ele foi comigo no açougue, ajudou a escolher a peça, queria saber como fazia, a coisa toda. Na volta do açougue, ele começa a rir sozinho no carro. Perguntei qual era a graça, ele falou: "Pai, legal esse negócio de picanha DIVERTIDA!" hehehe. Aqui em casa a receita mudou de nome, chama-se agora Picanha Divertida.
  2. Minha prima, e melhor cliente da churrascaria lá de casa, me decepcionou. Disse que a picanha invertida ficou com gosto de pano de chão. Fila da mãe, pode deixar que eu vou aprontar uma pra ela no próximo churrasco. Se alguém tiver uma boa idéia de vingança, agradeço.
  3. Semana passada, estive em Penápolis, cidade da saborosa Sabrina Sato, e da respeitável família de uma amiga nossa. Fizemos a picanha invertida juntos, a N mãos, maior barato. Ficou todo mundo tão pilhado com a picanha, que quando ela saiu, o amigo que estava cortando a carne teve que desviar dos dedos na tábua, de tanto que o pessoal voou pra cima da picanha. Foi a primeira vez que eu vi uma peça inteira de picanha sumir em menos de 4 minutos. Taí a foto pra provar:

sente o enxame pra cima da picanha


Tempo de preparo: 2 breja na cozinha, 3 na churraca. Sirva feliz.
Custo: meio carinho, $30 da picanha e mais $10 do queijo. Mas vale a pena.
Rendimento: complicado, porque o pessoal acaba comendo mais do que comeria normalmente. Serve bem umas 5 pessoas. Mas sempre pode aparecer aquela prima magrinha que se revela uma ogra e come tudo sozinha.


32 comentários:

Personal Grill disse...

Bacana Daniel!

Mas lá vem eu de novo para discordar. Quer dizer, não uma discordância, porque o seu modo de fazer ficou bem legal. Menos sal por causa do recheio e picanha magra para não causar enfarte em quem for comer.
Mas a minha discordância é mais pelo meu paladar. Gosto de fazer, mas não gosto de comer. Quem me conhece até acha mentira pelo meu abdomem bem definido e em forma (de barril). O segredo dessa picanha nem é a inversão dela, mas sim dosar bem o recheio para que o principal não se perca. Principal esse que é o sabor peculiar da picanha.

Abraços meu camarada!

Daniel Rodrigues disse...

Fala Raphael, beleza?

Concordo, pouco sal e picanha magra. Mas nao foi isso que eu disse? hehehe

Pois é, eu sempre torci o nariz pra coisas com picanha. Achava que nada poderia deixar uma picanha melhor do que ela já é. Mas eu tava errado, isso aí é capaz sim.

Mas acho que parte do segredo é inverter sim. Porque a gordura derrete direto pra dentro dela, no meio do recheio, e isso faz sim uma baita diferença. Dias atrás, fiquei com preguiça de inverter, fiz o corte e recheei mesmo sem virá-la. A receita ficou meio seca, ficou com aquele jeito de que tava faltando alguma coisa, sabe?

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Fala aí Daniel,

Depois que conversamos por e-mail tomei coragem e inverti uma criança aqui em casa. Só acho que ela poderia ter ficado mais um tempinho na grelha e também acho que ela estava um pouco gordinha pra ocasião, não um Ronaldo, tipo um Adriano, mas poderia estar mais magrinha.

Tem nada não, copa do mundo taí e amanhã ja vai mais uma do avesso pro fogo.

Um abração

Raphael

Daniel Rodrigues disse...

Falae Raphael, beleza?

Ah, que legal que vc tb fez. Alias, agradeço, foi você que me pilhou a fazer.

Pra quem não entendeu nada, o Raphael me mandou um email perguntando o que eu achava da picanha invertida. aí eu pilhei e resolvi fazer uma, adorei.

Raphael, a picanha invertida tem que ser bem-passada. Não fica legal se tiver vermelha por dentro, infelizmente..

Abração
Daniel Rodrigues

Marina Vidal disse...

Daniel, faz dias que tu trocou o layout? Que susto... hehehehe

Daniel Rodrigues disse...

Oi Marina

Sim, passei um photoshop no blog.. E aí, curtiu?

pelo comentário "que susto", acho que não :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Oi Daniel, meu nome é Lucila, estava procurando uma receita de picanha no avesso pro meu marido, mas eu dei tantas risadas com sua receita que ele até ficou com ciúmes, eu falei: esse cara é muito engraçado e divertido....adorei ele. Nossa quase apanhei...brincadeirinhas, mas o ciúmes foi sério, nem sei se ele vai fazer mesmo ess picanha.
Parabéns pelo bom humor.
Abraços Lu e Beto o marido ciumento.

Daniel Rodrigues disse...

Oi Lucila, oi Beto, tudo bem?

Vou te dar uma dica: prepara a picanha invertida pra ele que o cara esquece esse cuime aí hehehehehe

Valeu pela visita!

Abração
Daniel Rodrigues

Rafael disse...

Gostei da receita e de como você escreve...
Se me permites, vou batizar a picanha invertida daqui de casa de picanha divertida tbm... Pois tenho duas filhas que me acompanham em todas as preparações de carnes e na degustação tbm... Vou apresentá-las direto pra picanha divertida Ok?
E pra essa sua prima que disse que a picanha tava com gosto de pano de chão, se fosse você, pegava uma carne baratinha e fazia recheada com um pano mesmo (lógico que limpo, fervido e higienizado), pra ela ver o que é carne recheada com pano de chão...
Bons churras

Daniel Rodrigues disse...

Rafael, beleza?

Pode usar a alcunha de picanha divertida, a criançada curte. Bebados também costumam gostar, se você esperar o pessoal embriagar e soltar a piada na hora certa, vai ganhar uns pontinhos hahahahaha

Pode deixar que a vingança da prima tá na manga. Vou preparar alguma coisa beeeem ruim pra ela.

Valeu!!!

Abs
Daniel

Ediclan disse...

Fala Daniel!!!

Já comi essa "picanha" melancólica há tempos.
E que saber não achei tudo isso. O recheio predomina.
POREM: continuo fiel á natureza dos carnívoros e picanha prá mim é com sal e às vezes um pouco de alho.
O cara que inventou isso de inverter a picanha, deveria ter feito isso com maminha, sei lá. Picanha é muito nobre para diabruras.


Ediclan

Anônimo disse...

Grande Chef.

Isso aí parece coisa da cozinha da dona Ana Maria Braga.
Cê vai arder na Mármore da Inferno.

Daniel Rodrigues disse...

Ediclan, beleza?

Concordo em partes. A picanha não é uma carne pra se fazer diabruras. Mas uma picanha invertida vale a pena fazer.

E tem que tomar muito cuidado com o recheio, dependendo do que você colocar, o sabor predomina mesmo. Já fiz com catupiry, não ficou legal, por exemplo.

Mas com provolone e bacon, não tem preço :-)

Abs
Daniel

Daniel Rodrigues disse...

Grande amigo Anônimo

Não sou chef, não... Mas confesso que esse negócio de rechear a costurar é mesmo meio ana maria braga hehehehe

E eu tenho medo do mármore do inferno. se fosse uma grelha, pelo menos... mas mármore???

Abs
Daniel

Vera D disse...

Gente!!! Tira a Ana Maria Braga de lá!
Blog com visual ótimo e prá lá de bem escrito!
A D O R E I!!! Parabéns, Daniel.

Daniel Rodrigues disse...

Oi Vera, como vai?

que bom que gostou... Esse post da picanha divertida é um dos meus favoritos mesmo.

ah, tem uma peculiaridade dentro dessa minha cabeça de bagre: eu esqueço as coisas que eu escrevo. Então eu volto num post antigo, e leio como se não fosse meu, e racho o meu bico com a própria merda que eu escrevi. Louco, eu? kkkk

Obrigado pela visita. Gostei do teu blog, fricotesdointelecto.blogspot.com. O nome é bem sugestivo.

Abs
Daniel

Serjusko disse...

Poxa, uma lingua de boi recheada, na panela, pingando agua de vez em quando, nham.... picanha(daquelas que nem precisa mastigar) eu curto com sal grosso, sangrando no meu prato.

Daniel Rodrigues disse...

Serjusko, compana..

A picanha, eu concordo com vc...

Mas lingua de boi não dá não... eu nunca experimentei, mas acho o aspecto tão feioso, que duvido que seja capaz de experimentar alguma vez... É bom mesmo, isso?

Abs
Daniel

Rodrigo disse...

Cara, muito bom seu blog. Humor e culinária de primeira. Só um senão prá sua kodak. Deixou a picanha com cara de placenta! Brincadeira.... Vou continuar seguindo! Parabéns

Daniel Rodrigues disse...

Fala Rodrigo, beleza?

Pois é, compana... A foto foi tirada no meio de muita pressão, porque as pessoas queriam comer aquela coisa urgentemente, e sabe como é gente com fome... Resident Evil total, né? heheheh

Mas vou te falar: essa receita, depois de pronta, sempre fica feia. Não tem como abrir a picanha lindamente, a menos que vc economize no queijo, o que eu acho que não vale a pena fazer...

É feio mas é bão, confia em mim :-)

Valeu, parceiro!

Abs
Daniel

Cristian disse...

Concordo totalmente, só quando você entra neste blog sempre que eu pego ansioso para começar a comer principalmente ir a um bom restaurante e comer um churrasqueiros gigante, parece delicioso.

Daniel Rodrigues disse...

ô companheiro, cuidado aí com essa coisa de querer comer um churrasqueiro gigante, isso aí pode dar o maior problema kkkk

Brincadeira, Christian.. Agradeço o carinho, que bom que lê o blog e bate a fome.. o mesmo acontece comigo :-)

Abs
Daniel

Patty disse...

Adorei a picanha, to fazendo em casa, mas cmo não tenho churrasqueira (isso msm, sou uma pobre infeliz sem churrasqueira), to fazendo no forno msm... tomará que fique boa...

P.S: tenho certeza de que a minha vai dar merda, a lateral rasgou e eu costurei (literalmente) com barbante... hehehehe

Daniel Rodrigues disse...

Oi Patty

Ah, dá pra fazer no forno sim, não tem erro.. quanto ao remendo com barbante... a arte faz parte do sucesso, querida. Não se preocupe kkk

PS: Li o Diário da Minha Obra, parabéns pelo blog, excelente idéia!

Abs
Daniel

Anônimo disse...

Meu nome é Leandro.

Daniel, mais um vez venho aqui te dar os parabéns. Essa picanha é show de bola!!

Um forte abraço

Daniel Rodrigues disse...

Fala Leandro, beleza?

Essa picanha é gostosa mesmo.. Os parabéns são pra ela :-)

Abs
Daniel

Aluizio Braz De Araujo Neto disse...

Daniel, gostaria de parabeniza-lo pelo blog.

Acompanho há tempos... Decobri qndo procurava uma receita de peixe na churraca...

Gosto muito de cozinhar, inventar algumas receitas.

Desde então, estou sempre lendo suas receitas, que já faz parte de todos os churras que preparo para os amigos.

As histórias que acompanham as receitas são o ponto alto...rsrs

Gostaria que pudesse ter mais atualizações, mas o marerial já publicado é riquíssimo.

Parabéns e um forte abraço!

P.S's:
1- Hj vou tentar preparar esta picanha invertida...;
2- Tenho uma receita de panceta, um espetáculo. Pra mim, panceta era só colocar sal e deita-la na grelha, mas com esse temperinho, vc nunca mais ira querer panceta "pura". Passe um e-mail que compartilho-a contigo.

Abraços!

Daniel Rodrigues disse...

Fala menino Aluizio!!

Obrigado pela preferencia... A frequencia de inclusão de receitas ficou dificil pra mim, pois minha vida mudou muito nos ultimos anos.. Mas o carinho pelo blog, pelo conteudo que tem aqui e pelos leitores continua firme e forte como sempre...

Vi teu email, parceiro... Eu não costumo fazer sobremesa em churrasco, mas concordo 100% com vc que realmente faz diferença.. Me manda a tua receita sim, eu vou publicar aqui, se assim me permite. Com o teu nome e os devidos créditos, lógico.

Grande abraço, obrigado pelo carinho, parceiro

Abs
Daniel

Anônimo disse...

Fala Daniel, blz?

fiquei na duvida em escrever pois o post é um pouco antigo e corro o risco de não ser respondido ( ate rimou. hehehe). Mas tudo bem, estou no serviço e por enquanto nada tenho a fazer. la vai minha experiência...Fiz a picanha invertida duas vzs e confesso que não acertei (rss). primeiro q embalei a carne com papel laminado, coloquei na churrasqueira, depois de um certo tempo tirei o papel e deixei dourar um pouco mas não passei nada por fora. gostaria de saber com vc se posso deixa-la direto na churrasqueira sem embala-la? e o que passar do lado de fora dela? nas duas vzs triturei no liquidificador calabresa, alho, cebola e um pouco d sal grosso, ficou uma pasta e misturei ao queijo provolone em cubos. sera q não deu mt certo devido ao papel? e tbm o q passo por fora dela?
uns amigos estão vindo de SP no próximo fds e gostaria de acertar dessa vez.

espero q tenha lido, desculpe o incomodo e um forte abraço.

ahhh...caso queira responder ou colar a resposta no meu email acho q ficaria mais fácil a minha visualização.
leandrodobf@hotmail.com

Leandro Ferraz

Daniel Rodrigues disse...

Falae Leandro, beleza?

Faz um tempo que eu não escrevo aqui mesmo, mas sempre respondo.. Se tem algum comentário sem resposta aqui no blog, é porque realmente eu não vi. Mas na medida do possível, eu ainda faço uma massagem cardíaca, uma respiração boca a boca ou uma desfibrilada aqui no blog sempre que posso..

Bom, vamos aos assuntos que eu acho que temos muito o que falar por aqui.

O primeiro assunto é o do papel laminado. Eu acho importante sim pra distribuir o calor por igual. Mas quando fiz, usei o celofane, que veda melhor a carne. Ou então deixar ela aberta mesmo, mas num local mais alto da churrasqueira.

Sobre bater os ingredientes, vai acabar virando pasta sim.. Acho que não faria isso não.. Porque derrete queijo, gordura da picanha, tudo junto.. Então acho que a calabresa inteira, cortada em rodelas pode ficar legal, assim como uns tequinhos de cebola (que as pessoas possam tirar, pra quem nao gosta)

Pra passar por fora dela, acho que apenas sal. Mas tem uma coisa que fica maravilhosa. Tem aqui no site uma receita de alho derretido, dá uma lida nela.. Aí vc derrete o alho e passa do lado de fora dela. Fica animal.

Boa sorte ai, parceiro!

Abs
Daniel

Anônimo disse...

bom dia, meu nome é Ricardo, sou fã incondicional de uma boa costela, então se me permite vou postar a receita que "inventei":
Tempera a costela como seu costume e gosto,
Faça uma cama de linguiça,
Ponha a costela em cima,
E em cima da costela coloque cebolas cortadas pela metade,
Embrulhe no papel alumínio e deixe na grelha, por aproximadamente de 4 à 5 horas.
Otrem fica bom pra CARVALHO !!!

Daniel Rodrigues disse...

Olha só, que boa dica!!!

Com a linguiça na mesma embalagem deve ficar bem molhadinha, dahora..

Valeu

Abs
Daniel

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin