Follow me on Twitter RSS FEED

Como preparar uma Kafta mutante

Nas categorias
No último post, falamos sobre as receitas recicláveis, aquela comida que tem a malemolência e sagacidade do batuta, capaz de ser bolo de banana num dia, e macarrão ao sugo no outro. Coisa de bamba.

Pois hoje vamos falar da comida mutante. Convoque o seu x-men predileto e vem comigo nessa aventura que começa de um jeito e termina de outro, tal e qual o mutante, que tem a perna de pau, o olho de vidro e a cara de mau. Aliás, esse não era bem o mutante, né? Mas enfim, sigamos com a nossa experiência genética que hoje eu quero ver o homem virar mosca.

Eu tenho um amigo chamado Zé. Até aí, morreu Neves, porque todo mundo tem um amigo chamado Zé. Mas segura o Neves aí, porque todo mundo tem um amigo chamado Zé, mas eu tenho um amigo chamado Zé Neves! É o amigo que já vem com trocadilho! E olha que, ao contrário do trocadilho, ele nem morreu, hein!

Zé Neves, mineirim de Cristais (abraço pra MG aí, gente!), certa vez me telefona, comunicando que estaria acompanhado de uma mineirada toda, gente que eu muito prezo, a caminho do famoso bar Mercedez aqui em são paulo. Mas não vou fazer propaganda, até porque eu nem me lembro se era no mercedez ou no mercearia. O fato é que o Zé, como mineirim, sorrateiramente movimentou todos em direção a tal boteco, determinado a fazer todo mundo experimentar um tal de bolinho de carne com canela.

Canelas. Carne. É disso que estamos falando.

Não, não é disso que estamos falando. Estamos falando de um bolinho de carne com canela. E eu, que sempre fui um defensor da comida-roots, da culinária rampeira, não conseguia entender porque não pedir uma porção de bolinho de carne e só carne e pronto. Mas mineirim é aquela coisa, né? Sorrateiramente, o Zé Neves me convenceu de que aquilo ali seria uma boa idéia, e "Ok, você venceu, batatas fritas bolinho de carne com canela" e lá vamos nós.

Quando o bolinho chegou, uma surpresa. E não é que aquele trem era bão mesmo? Bão dimais da conta, sô!

Por fim, tomamos chopp a noite toda, comemos todo o estoque de bolinhos e pagamos uma conta de um bilhão de reais na saída. Mas valeu a pena, porque o Zé Neves é um daqueles caras que sempre valem. Mas eu tive que engolir toda a minha robusteza e assumir que o bolinho temperado com canela era muito bom, ainda que parecesse receita da ana maria braga.

A questão é que não é sempre que a gente tem um bilhão de reais pra gastar numa conta de barzinho, ainda mais quando a gente nem lembra direito se o barzinho é o mercedez ou o mercearia, e decidi tomar coragem e preparar tal iguaria lá na minha cozinha, reduto da mais absoluta macheza e virilidade, que desta vez sucumbira à carne com temperinho doce.

Eis que o mais batuta dos leitores me pergunta mas-porque-diabos-tu-tá-falando-de-bolinho e ainda retruca onde-diabos-está-a-kafta?

onde está wally? onde está a kafta?

Pois é, aí que a porção mutante deste post se revela, porque se fritar vira bolinho de carne, e se enrolar no pau vira kafta. E, ruborizados, temos que admitir que preferimos a porção enrolada no palito.

Sem mais delongas, vamos à receita porque já fomos muito devagar com o andor e o santo é de barro, mas paciência tem limite.

Começamos com meio quilo de patinho moído. O ideal é pedir ao açougueiro que moa na hora, e moa duas vezes. Com isso, todos os nervinhos e afins da carne acabam sendo destruídos também, e carne não fica dura. Não se esqueça de que o patinho não é, exatamente, o orgulho da dona vaca, certo?

De posse do patinho moído, picote muito bem uma cebola pequena e mande pra dentro. Picotar muito bem significa exatamente isso que você leu: larga mão de ser preguiçoso e picota esse trem aí direito. Pensa comigo: você já tá fazendo uma comida meio afrescalhada que mistura doce com salgado, então vê se faz direito, pra ficar bom e te evitar vexame, ao menos.

Assunto compreendido, cebola picotada, aproveite esse surto de boas intenções e picote uns 3 dentes de alho. De novo, picota pequeno, sem preguiça, enfim. Não tou aqui pra te ensinar boas maneiras, e sim pra ensinar a fazer uma comida maneira. Obedece quem tem juízo (me senti o chuck norris agora).

Agora você vai precisar de um maço de marlboro sem filtro e um plano de saúde robusto hortelã, picada bem pequeninha também. Pro serviço ficar direito, lave o maço de hortelã e separe as folhas dos talos. Pro serviço ficar porco, não lava e não separa nada. Picota tudo de qualquer jeito: lesma, coliforme, talo, folha, tudo pra dentro da carne.

Hoje de manhã, não vi o criado-mudo posicionado ao lado da cama e dei uma bela tropicada seguida do mais temível dos palavrões. Então, faça como eu: meta a canela e mande tudo às favas!

Mete a canela na carne, parceiro. Isso não significa aplicar um round-house-kick no cachorro, e sim depositar o tempero no patinho moído. Não tenha dó, é pra ficar com gosto de canela mesmo. Pra 1/2kg de carne, pode depositar uma colher de sopa cheia, sem medo de ser feliz. Ah, canela em pó, ok? De pau aqui já basta o espetinho.

Sempre que usamos carne moída nessas coisas, a carne tende a ficar densa, e a comida fica pesada. A dica pra deixar mais leve, e render mais, é jogar um pouco de farinha de rosca. Se você é um cara cuidadoso e quer que a sua receita fique realmente gostosa, pode ralar um pão velho, que ele vira uma farinha de rosca bem gostosa. Se não é cuidadoso, mas ainda assim quer que a receita fique boa, veja no mercado mais próximo, geralmente eles vendem pão moído.

Uma boa golada de farinha de rosca, provavelmente uma colher se sopa cheia. Pra ajudar a misturar a farinha com a carne, você pode jogar um ovo la dentro. Mas esta parte pode ser dispensada. Se você acha que esse negócio de botar ovo é coisa de galinha, não bote ovo, a cloaca é sua.

Ponha sal com a parciônia que Deus lhe deu e misture. Tá pronto.

Pronto em partes, claro. Agora a parte mutante da receita entra em ação.

Se quiser fazer pequenas bolinhas e fritar, faça isso. Frite bem, a farinha de rosca fica crocante, bem gostoso.

Se quiser enrolar no palitinho e mandar pra churraca, faça isso. Sirva no ponto, nada de bem passado, e não deixe vermelho, pois o espeto desmonta.

A receita é fácil e gostosa. O amargo mesmo é admitir que o mineirim te levou no bico, te fez comer uma coisa que você não queria e você ainda gostou.

Custo: Aproximadamente R$10,00 no PDA. O maço de salsinha sai a R$1,30 e o resto é irrisório.
Rendimento: Se fritar, rende fácil uns 20 bolinhos. Se enrolar como kafta, rende uns 10 espetos.
Tempo de preparo: 3 latinhas na cozinha, duas latinhas na churraca. Rápido e fácil.


31 comentários:

João disse...

Deve ficar prá lá de bão! Vou fazer no próximo churrasco.
Abs
João

Anônimo disse...

Pow Dani, curti...Vou fazer este fds...Como tem canela, vc arrisca algum molho pra xuxar a carne ou não?
Bjs
Gue

Daniel Rodrigues disse...

Jão

Fica sim, vai tranquilo. O gostinho de canela é matador.

Abs
Daniel

Daniel Rodrigues disse...

Fala Guezinha, beleza?

Acho que não, viu. Quando fiz aqui em casa, estávamos só eu e a Dani (a minha esposa, pra quem não sabe). Demos uns pinguinhos de limão depois de pronto, ficou legal sim. O bolinho frito com limão fica bem gostoso.

Mas como a canela domina o sabor, pode servir sem nada que fica mto bom tb.

Beijoca
Daniel

Thaís disse...

Ué...kd a foto da obra de arte? hehehe...

Daniel Rodrigues disse...

Thaís, tudo bem?

Putz, não deu tempo, não. Como eu fiz pouco, afinal estava só experimentando, fritei metade, enrolei no palito a outra metade, e mandamos brasa, eu e a esposa.

Se eu parasse pra clicar, ela comia minha parte. aqui em casa as coisas são punks!!! hehehe

Abs
Daniel

João disse...

Olha a camisetinha dele!!!
kkk
João

Daniel Rodrigues disse...

heheheheheheheh

Homenagem ao dia das criançã, João. Vai ficar assim o feriado inteiro.

Essa foto eu ando com ela na carteira.. eu devia ter uns 2 aninhos. estou com a camisa do palmeiras, fralda, sandália de couro, bola no pé e cara de choro.. hehehehe

Parmera na veia desde pivete, cara.. Aqui não tem jeito não!

Abs
Daniel

João disse...

eheheh
Vc tem a idade de meu filho nº3 (Thiago)
Abs
João

Daniel Rodrigues disse...

É mesmo? Uia!!

Vi a foto da família no teu blog, achei que só tinha 2 filhos..

eu tenho a Júlia de 11 anos e o Rodrigo de 4 anos.

Abs
Daniel

João disse...

1 esposa, 3 filhas, 1 filho, 4 netos, 2 netas, 1 genro, 1 nora e 1 mãe (a sogra virou purpurina há 4 anos e era maravilhosa)

João disse...

Receita: Tucunaré com cerveja

Ingredientes:
2 kg de tucunaré
1 lata de azeite
2 pimentões
2 dentes de alho
4 cebolas médias
1 kg de tomate
sal a gosto
12 latas de cerveja bem geladas
1 mulher (Pode ser a sua mesmo)!!!

Modo de preparo:

Ponha a mulher na cozinha com os ingredientes e feche a porta.
Tome cerveja durante duas horas e depois peça para ser servido.

É uma delícia e quase não dá trabalho!

Daniel Rodrigues disse...

João

Pois é, eu tou chegando na idade de ter genro. Não dou 3 anos pra ter um pivete batendo na minha porta atrás da Júlia. Acho que eu mato esse safado :-)

Excelente a piada do tucunaré. Conhecia com bacalhau, acho que deram uma "regionalizada" nela hehehehe

Abs
Daniel

Daniel Rodrigues disse...

João

Aliás, pela foto vc parece novo pra ter isso tudo de neto, cara!

Começou cedo como eu (a Ju nasceu quando eu tinha 22), ou tá conservado em álcool mesmo? hehe

abs
Daniel

João disse...

Olha, amigo, periga mesmo! Minha filha ficou grávida com 15 e casou-se com 16, separou-se com 17, anulou o primeiro casamento aos 25 e aos 26 casou-se novamente. Sangue de espanhol+português+italiano ferve!rsrsrs

Daniel Rodrigues disse...

João

Nossa, que cedo!! Engravidei a minha então namorada - hoje esposa - aos 22, ela tinha 20. Cacilda, deu muito trabalho ter filho cedo. Como eu costumo dizer: não é pros fracos.

15, então.. a menina deve ter segurado uma bronca responsa, hein!!

O meu sangue não tem espanhol, mas tem alemão, pt, it, um monte de coisa.. hehehe.. a gente é tudo misturado, cara

Abs
Daniel

Sueila Luz disse...

Boa noite meu caro!

Então, concordo que faltou a fotinho..rsrs... mas mandou bem na receita e como sempre no humor que é impagável... nunca, ler receitas culinárias, foi algo tão interessante e divertido.

Diga-se de passagem, que a canela é muito versátil e vai bem tanto na versão doce como salgada... curti muito!

Ainda não vou experimentar, estou atualizando meu caderninho de receitas, me caso ano que vem, vou deixar pra fazer o futuro marido de cobaia... por hora vou enganando ele no arroz, feijão e ovo frito mesmo hehehehe...

Abraço lek... e óh... uma gracinha na foto hein? mtooo fofo!eu tbm era, aí cresci... já viu né? perdi a graça kkkkk

Boa semana pra tu..

João disse...

Prá arrematar o papo de netos, fui avô aos 36 anos.Faz 20 anos que durmo com a vovozinha, eheheh.
JB

Daniel Rodrigues disse...

Sueila, tudo bem?

Pois é, me surpreendi com esse lance da canela. Nunca imaginei que pudesse ficar bacana no meio da carne. Já tá querendo virar ingrediente recorrente aqui nas receitas.

Eu tb era fofinho. Aí cresci e a fofice sumiu completamente hehehehe
criança é sempre uma lindeza

Abs
Daniel

Daniel Rodrigues disse...

João

Cara, eu acho que não vai dar pra bater esse recorde aí... 36 é cedo hein!

Se você imaginar que eu tenho 33, e minha filha 11, pra que eu tenha netos aos 36, a Júlia precisa engravidar aos 13, pra ter filho aos 14 (fazemos aniversário em maio). Pra ela engravidar aos 13, já deve ter algum namoradinho começando a chegar e..... CADE ESSE MOLEQUE QUE EU MATO ELELEEEEEEEEE

hehehe

Abs
Daniel

João disse...

kkkk!!

Anônimo disse...

receita feita!!! Muuuuuuuuuitooooo boa!!! Valeu Daniiiii...
Bjs
gue

Daniel Rodrigues disse...

Aeee Gue

A receita fica legal, né? Já tom com vontade de fazer de novo :-)

Abs
Daniel

Ediclan disse...

Daniel,

Fim de semana prolongado e uma casa prá pintar.
O tempo feio de doer.
Deu tempo de pegar um churras na chácara de um amigo onde provei uma picanha a la Maria Braga(picanha de molho em suco de laranja aberta ao meio e recheada de bacon, e a gordura embatumada de manteiga, pode???). Estava nuito boa. Só demorou para ficar pronta. De volta do passeio fiz essa receita e a familia receosa da canela, aprovou e não sobrou nada.

Abçs e fique de olho nesses mulekes!!!
Ps. ainda bem que só tenho homens(18 e 15)

Ediclan

Daniel Rodrigues disse...

Falae Ediclan!, beleza?

O feriado foi terrível, né? Sabadão fui pra Itu (show o escambau, fui é jogar bola mesmo), lá estava um tempo maravilhoso. Voltei torrado de sol, por conta de uma hora e meia de jogo. Fala sério!!

Essa picanha aí parece legal, mas não sei se teria coragem de meter suco de laranja na piqueta, não... manda mais detalhes ae!

Já a kafta na canela.. foi a receita do feriado. Fiz duas vezes, a kaftinha simplesmente some da tábua. Fica levinha e saborosa, o pessoal come que nem doido. Aprovadíssima!

Abs
Daniel

Anônimo disse...

Fala Daniel.
Sou novo aqui no blog, mas já coloquei nos favoritos. Parabéns.
Manda alguma coisa sobre a panceta brother.
Abs.

Daniel Rodrigues disse...

Fala Parceirão, beleza?

seja bem vindo à casa, compana!!

Sobre a panceta? Eu falo, sim. Certa vez, fui num churrasco na casa de um amigo na Praia Grande. Ele serviu barriga o dia inteiro falando que era carne de jacaré. Teve gente naquele churrasco que acha que comeu jacaré até hoje :-)

Eu uso barriga de porco pra caramba! Até pra cozinhar, substituo pelo bacon sempre!

Ainda faço um post só sobre ela, boa idéia.

Abs
Daniel

Junia disse...

Deve ficar muito boa essa kafta! A canela cai muito bem nessas receitas "libanesas". Eu sempre coloquei um pouco de canela no kibe de forno que eu faço e fica muito bom!
Vou tentar fazer esse fim de semana.
Valeu pela dica!

Junia

Daniel Rodrigues disse...

Oi Junia, tudo bem?

Incrível, eu juro que nunca imaginei que canela pudesse combinar tão bem com carne.

Experimenta, não vai se arrepender!

Abs
Daniel

André disse...

Fala Daniel. Primeiro, muito bom o blog.

Se encontrar, experimenta usar uma tal de pimenta-da-jamaica pra substituir a canela. Esse trem tem outros nomes: "allspice" em ingles, "pimienta dulce" em espanhol. Dê uma cheirada, parece uma mistura de canela, louro e noz-moscada. Segundo um libanês, é isso que usam por lá.

Abraço

Daniel Rodrigues disse...

Fala André, beleza?

Obrigado, que bom que gostou do Gato na Grelha.

Bacana a dica da pimenta. Que eu conheça e com essas características, tem a pimenta síria.. Será que não estamos falando da mesma coisa?

Mas valeu a dica!

Abs
Daniel Rodrigues

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin