Follow me on Twitter RSS FEED

Como preparar uma costela de cordeiro

Nas categorias
Olho pela janela e vejo uma belíssima tarde de sexta feira, e noto que acabei de receber 2 comentários no blog, de 2 leitores das antigas. Boa gente, esse pessoal. Isso me acalentou, porque pude notar que, além de mim, ainda existem outros seres cuja mente diabólica não consegue pensar em outra coisa, a não ser enrolar o máximo possível com o trabalho e poupar o que sobrou da sua mente para arquitetar o churrasco que acontecerá no pós-horário comercial.

Isso me lembrou que eu fui muito confuso no post anterior, e tou devendo uma receita bacana aqui pros churrasqueiros que lêem estas mal-escritas linhas. Mas eu explico a baixa qualidade: eu, ao contrário do que parece, não interrompo o meu trabalho pra escrever aqui. Vou naquelas, escrevo uma frase, ALT+TAB, escrevo outra, ALT+TAB e assim vamos. Num desses alt+tab da vida, aconteceu uma coisa terrível, tão terrível que eu não posso sequer escrever aqui. É como se eu tivesse sido testemunha de um crime horroroso, coisa de polícia mesmo. Quando tudo acabar, eu conto o que aconteceu, agora não posso. Mas então você deve imaginar que fica difícil alguém escrever sobre churrasco enquanto tem contato com a face mais nefasta desse bicho tosco chamado humano. E não, eu não cometi um crime, eu VI um crime. Mas deixemos isso de lado e voltemos ao trabalho porque a tarde está linda.

Ao trabalho, não. A todo o esforço possível a ser empregado na atividade de enrolar para não trabalhar. Com este cérebro condicionado, me veio à memória uma carne bem legal que eu fiz, fotografei, mas não registrei aqui.

Meninos e meninas, com vocês, a Costelinha de Cordeiro!!!!

Pois é, o cordeiro é um bicho ligeiro, e na mente do matreiro, vai direto pro braseiro, com uma pitada de tempeiro, faz a alegria do churrasqueiro, e se o melhor do Brasil é o brasileiro, mete logo num letreiro, a tal receita do cordeiro.

E traz a sanfona que hoje é dia.

Voltando ao assunto, você conhece o cordeiro, não? O cordeiro é o filhote do seu carneiro e da dona ovelha, que fica com esse nominho até os 4 meses, quando vira hominho, cresce a barbicha e o chifrão, e ele ganha o nome de cabrito, seguindo os passos do pai.

Pois bem, passeando tranquilamente pelas gôndolas do supermercado do Seu Abílio, deparei-me com a costelinha do cordeiro, linda e suculenta, olhando pra mim de dentro daquela bandeja de isopor, envolta num frio e sufocante papel-filme. Com os olhos marejados, acalentei a peça, cantei dois nana-nenês e levei pra casa, prometendo-lhe um lugar quentinho para espantar o frio da geladeira do supermercado. Não sem antes passar no caixa, pois aconselho a todos evitar a truculência dos senhores que ganham a vida evitando que pessoas levem coisas sem pagar nos mercados desse mundão afora.

Chegando em casa, preparei a caminha para ela, usando muito carvão vegetal, álcool e um pedaço de pão. Não aquele pão pra quem tem fome, mas sim o pão pra acender a churraca. Fósforos também são bem vindos.

Enquanto isso, achei de bom tom cobrir a pequena e indefesa peça de carneiro-nenem. Pra isso, despejei alguns goles de azeite extra-virgem num recipiente, e picotei 3 dentes de alho lá dentro. Na sequência, joguei um gole de vinho branco, só pra dar um agrado.

E, como cama de criança tem que ser colorida, picotei um maço inteiro de hortelã bem verdinha e misturei com o molho.

Uma dica importante: quando a carne é de cordeiro, todo o hortelã do mundo é pouco. Portanto, vá ao mercado e compre todo o hortelã que você puder carregar. Cordeiro e hortelã nasceram um para o outro.
Feito isso tudo, picotei duas bolinhas de pimenta biquinha, joguei uma mãozada de sal grosso e misturei. Coloquei a criança sobre uma bandeja, e cobri com carinho.

Enquanto isso, a caminha lá na minha churrasqueira já estava quentinha, faltava só deitar o bebezinho. Assim procedi.

Deitei na grelha, cobri cuidadosamente com o cobertorzinho que fiz pra ela, cantei um ou dois bois-da-cara-preta e deixei ela ali, descansando e se aquecendo.

Quando se fala de costela, não interessa se é de porco, de boi, de cordeiro, de taturana ou da luciana gimenez. Você sempre tem que deitar na churraca com os ossos virados pra baixo. Isso porque a membrana que liga os ossos vai endurecer levemente e proteger a carne das labaredas, e ajudar a armazenar os líquidos lá dentro. Além disso, os ossos vão esquentar muito, e assar a carne a partir deles. A tudo isso, deve-se aliar boas doses de paciência, pois costelas costumam demorar. Portanto, deita com os ossos pra baixo, abre uma cerveja e espera. Abre outra e espera mais um pouco. Cabou? Abre outra e espera mais um pouco.

No caso dessa costela, como era uma peça pequena, ficou de ossos pra baixo, mais ou menos umas 6 brejas, quase o tempo de um jogo de futebol.

Vai acompanhando, você vai notar que, à medida que a costelinha vai ficando pronta, a carne começa a querer soltar do osso.

Quando meu sexto-sentido me disse "i see dead people" eu me borrei todo. Não, nada disso, ele disse: "vira ela, filho". E eu virei, só pra deixar tostar um pouquinho a carne e o tempero que estava em cima. Alguns minutos depois, estava pronta para a degustação.

Recomendo seriamente. Facinho de fazer, e pode te ajudar a conquistar garotas, fazer amigos e influenciar pessoas.


Coisinha linda do pai.


Olha o bebê querendo levantar do osso.


Só virar com o osso pra cima, pra dar uma torradinha e o bebê tá pronto.


Custo: não lembro mais, desculpa ae. Mas não foi caro, não. Quer dizer, é uma carne cara, mas como o pedaço era pequeno, custou pouco dinheiro. Não faria num churrasco pra 200 pessoas.
Tempo de preparo: 2 brejas na cozinha e umas 7 na churraca. Todas na cabeça, na alma e no coração.
Rendimento: pouco mesmo, serve duas pessoas e olhe lá. É uma carne magrela, com bastante gordura e ainda tem o osso. Faça como eu: seja esperto e prepare para a sua garota :-)


45 comentários:

josi stanger disse...

Nunca comi costelinha de cordeiro, mas olha, deu água na boca! Ainda bem que não sou vegetariana, senão ia ter que me contentar com o hortelã, e isso ia ser meio estranho, hehehehe. Nesse fim de semana chuvoso como parece que será, separei um peixe que meu marido ganhou, um peixe espada. Pena que veio cortado, ou eu teria que agradecer pois também veio limpo, e daqui apouco vou dar uma procurada numa receita pra prepará-lo... será que vc tem alguma?

um abraço

Adriano Martins disse...

Cumpadi....
Além de churrasqueiro, sou veterinário...
Então tenho que corrigir duas coisinhas como tal no post...
O cordeiro leva esse nome até ao redor de 6 meses, quando atinge a puberdade (aquela época que dá espinha no rosto, calo na mão e desgaste nas páginas da playboy). Depois disso, vira carneiro..
Cabrito é outra coisa, produto da cruza da cabra com o bode (olha ele aí), de carne não menos saborosa, porém mais magra e de sabor mais acentuado [gourmet mode on].
Puxando a lousinha....
Ovelhinha assobia e fala:-Vem ne mim, carnerão....O bruto vai, e pouco tempo depois, temos o cordeiro ou borreguinho berrando nas pradarias...
Esse mesmo ser lindinho e de carne macia, se ninguem tomar uma atitude até ao redor dos seis meses, vai virar um machão com camiseta do YMCA e tudo o mais...começa a endurecer "as carne" e aí o bicho pega..
Agora entra o churrasqueiro prá fazer outra reparação ao pobre do cordeiro.
Carne de cordeiro pode ser temperada só no sal...
Como diz um amigo meu, "Fica tipo delícia". Dá prá sentir o sabor da carne, o que fica meio mascarado quando temperamos.
Não que eu seja contra o tempero, mas experimenta fazer um molhinho com hortelã, azeite, alho e mais uns troços quaisquer prá molhar a carne depois de assada..Fica de lamber os bigodes...
No mais, uma das vantagens de morar no interior é isso...Aqui eu compro cordeiro fresco (nada de boiolice, é sem congelar) por 12 pila... CÔDELÔCO...
Grande abraço

Adriano Martins disse...

credo...
parece um post..

Anônimo disse...

Daniel meu bródi, parabéns!! Pelo que ví ficou nota dez. Não sobra nada nunca.
Cordeiro, sem dúvida, é uma das melhores carnes, qq. jeito fica bom. Com tempero (marinado), sal grosso, fino, salmoura. Sempre fica caprichado.

Abraço

CSá

André Ogrodoy disse...

Cara, nao importa a filiaçao da materia prima da obra acima, o que importa eh o trabalho do artista.
Se para o Michelangelo, a obra ja estava dentro da pedra, pra gente, ela ja esta dentro da peça. A Terceira foto deste post me fez virar no sofa de fome.

Parabens

Daniel Rodrigues disse...

Oi Josi, tudo bem?

Olha, não sou um grande conhecedor de peixes, não.. Me disseram que o peixe espada é saboroso pra caramba.. Mas se tem um tempero que sempre fica bom em peixe, é a famosa combinação sal grosso + salsinha + limão.

Boa sorte, depois conta pra gente como ficou

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Ao Adriano:

Valeu pela aula de cabritagem e carneiragem, compana. Vou corrigir o post com as informações que vc passou. Valeu mesmo.

Quanto ao tempero, eu concordo e discordo de você ao mesmo tempo. Eu já comi o cordeirim só com sal e sei que fica mesmo animal, mas não sou contra temperar não. Experimenta essa aí que eu passei e depois me conta. Não sou muito adepto desse pensamento que carne tem que ser temperada com sal grosso e so.

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Carlão

É, se tem um bichinho que é bão demais é esse tal cordeiro. Fica bom com qq coisa.

Acho que se passar ele na areia fica bom, se jogar óleo de trator fica bom, se passar geléia de groselha fica bom.. hehehe

Abração
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Ogrodoy, beleza?

Olha, essa receita eu já tinha feito há um bom tempo, e tinha guardado as fotos pra escrever depois. Então, enquanto eu escrevia ontem, foi me dando uma vontade de fazer esse treco de novo que vc não imagina.. hehehe

Mas não achei a costelinha pra comprar, maldito pão de açucar.

Valeu a força.

Abração
Daniel Rodrigues

Adriano Martins disse...

Daniel, nem eu sou contra tempero.
Faço bastante..
Mas não costumo colocar hortelã no tempero não...
Mando alho, cebola, cheiro-verde, alecrim e uns belos goles de vinho branco seco..
E deixo normalmente de um dia pro outro.
Fica ducaráleo...

abraço

Anônimo disse...

Até com "PAVÊ DE GROSELHA" o trem é bão ... evidentemente que isso é baboseira.
A última vez que comi, fui em um churrasco e tinha um pernil de cordeiro sem temperar anteriormente e tal. Deixei dar uma dourada e coloquei somente SAL FINO, ficou porreta.
Voltando a vaca fria, qq. jeito fica bom.

CSá

Daniel Rodrigues disse...

Adriano

Eu sei disso, vi a tua posição lá na comunidade do orcute. Experimenta o hortelã, com a carne do cordeiro fica muito, muito bom. Com outras carnes eu não experimentei, e acho até que não ficaria gostoso, mas com o cordeiro é especialmente gostoso.

Tá aí o Carlos Sá que não me deixa mentir: até com pavê de groselha a carne do bichinho fica boa.

Abração
Daniel Rodrigues

André Ogrodoy disse...

Cara, na boa, sem contrariar o Mestre Ceguinho, mas vou dar uma de Churrasco-chato. Carneiro é com Hortela. Ja comi Carneiro com barbecue, com pasta de rucula, so com sal, com mostarda, com cerveja, com alho. Na boa, nada bate a clássica receita: Carneiro com Hortela.
Tudo bem, nao vou ai te esfaquear, nem dizimar sua familia se vc nao fizer com hortela, mas adicione todos os ingredientes do Adriano + Hortelã.

Adriano Martins disse...

e como fazer num dia como hj, que eu tinha uma linda paletinha prá fazer, cheguei de uma viagem ao exterior (Paraguai) com a familia às 4 da tarde e não tinha a porra da hortelã que de tanto vcs falarem já faz parte dos meus desejos????
liguei o foda-se os amigos e vamos pro que der e vier...
hehehhee
mandei uma marinada de cebola, alho, cerveja (Antarctica), cheiro verde, manjerona e uma caralhada de alecrim do canteiro...além de uma dedo de moça curtida no vinagre...
ficou animal...
as fotos estão no Yorgut...
Ah...Ogrodoy, entra na comunidade do churrasco no yorgut...aí vc vai ver o que é nego churrasco-chato..hehee

Daniel Rodrigues disse...

Há, muito boa, Ogro-brother.

Adiciono à sua reza um gole de vinho branco. Cordeiro + hortelã + vinho branco = alegria.

Adriano, muito show a tua receita. Mas adiciona hortelã e depois me conta. Vou lá no orcute olhar as fotos.

Ogrots, entra na comundade de churrasco no orcute que lá tem mta coisa legal mesmo

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Oiê, eu vou ao mercado, aqui em Copa, comprar a costelinha de cordeiro, que está em promoção (só assim mesmo!), mas eu comi num restaurante muito caro em Botafogo, na comemoração da formatura de meu filhão e adorei, aí me animei de comprar e fazer, mas antes vim até aqui no comp. pra ver algumas dicas no preparo, pois nnca fiz e, qual foi minha grande sorte,.. achei a sua dica, vou fazer no fds e depois lhe conto...tá!? abçs

célia freitas disse...

pois é, eu saí como anônima, pq eu não sei como fazer essas coisas, mas eu sou Célia Freitas.

célia freitas disse...

ah, vou entrar lá no orkut, na comu de churrasco, pq agora eu faço churrasco de picanha no forno e na chapa, pq moro em aptº e amo churrasco, se pudesse comeria todos os dias.....
abçs

Daniel Rodrigues disse...

Oi Celia

Respondendo ao primeiro post, e já unindo ao segundo.. Essa receita eu fiz na churrasqueira, mas acho que no forno pode ficar boa também.

Aí, se fizer no forno, recomendo embrulhar com papel alumínio, ou papel celofane e deixar por mais de uma hora. Depois vc tira e deixa mais uns 40min pra dourar...

Depois conta como foi. Boa sorte!!

Abração
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

meu caro, o cordeiro quando fica mais velho não ganha o nome de cabrito, cabrito é um caprino, muito diferente dos ovinos, mas a receita é boa

Daniel Rodrigues disse...

Pois é, parceiro. Já notei que fui traído pelo google, tu é o segundo que me dá esse esculacho.

Vou ter que fazer um update neste post. Valeu a bronca!

Abs
Daniel Rodrigues

Abel disse...

Essa do cabrito foi legal... provou q os leitores estão atentos. rsrsrssrrs Quanto à carne, o cheiro do cabrido e do cordeiro são completamente diferentes... Ou seja, entre ovinos e caprinos há diferença no sabor e no cheiro da carne.... mas valeu pela receita...

Daniel Rodrigues disse...

hehehehe

ce tá vendo só, Abel? eu não posso dormir de touca porque sempre tem um leitor pra me pegar no pulo. hehe

Abração
Daniel

bruna disse...

maravilhoso esse blog. que água na boca! vc devia juntar tudo num livro, os textos são tão deliciosos quanto o tema.
o duro é que sinto uma pena imensa de mim neste momento: moro na alemanha e a carne de vaca aqui ou é sola de sapato ou é caríssima - ou as duas coisas ao mesmo tempo (o mais comum)...
abraço
bruna

Daniel Rodrigues disse...

Oi Bruna

Brigadíssimo pelas palavras!

Tenho idéia de fazer isso, sim. Um dia sai o livro do gato na grelha. um dia...

Puxa, não sabia que na europa era assim, ruim de carne.. Conheço muitos blogs portugueses de churrasco e culinária.. Nossa, fiquei triste por você. Hoje é domingão, meio dia, acabei de acordar morrendo de vontade de preparar uma costela de vaca. hehehehe

Tchau, fui pro açougue!

Auf Wiedersehen!
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Tinha que ser veterinario mesmo pra escrever besteira. Cordeiro é animal que está mamando, quando é desmamado vira borrego, e quando entra na puberdade vira carneiro.

Daniel Rodrigues disse...

Parceiro

Não entendi muito bem a ligação entre o fato do cara ser veterinário com a besteira. Ele, teoricamente, não deveria entender mais de bicho do que a gente? Explica aí a diferença, compana!

Abs
Daniel

Jaime Rocha Jr. disse...

e aí Daniel , belê ?
ganhei uma peça de costeletas de carneiro ( ou cordeiro : vai saber quanto tempo de vida tinha o coitado antes de virar um saborso quitute )e entrei na net pra ver algumas receitas e achei seu comentário; gostei vou fazer desse jeito (principalmente seguirei a risca o tempo de preparo); valeu.
ah, em tempo : também sou taurino safra 62, palmeirense fanático e também 1/2 portuga e 1/2 carcamano, nascido e criado na Mooca.
um abarço.

Daniel Rodrigues disse...

Fala Jaime, beleza, companheiro?

Li teu comentário com aquele sotaque mezzo calabresa mezzo mussarela que só existe na mooca kkkk

Legal, tomara que a costeleta fique boa.. a pena mesmo é que essa receita rende super pouco, pq a costela do cordeiro é magrinha...

Abs
Daniel

Antonio Carlos Morosini disse...

Gostei do texto e da receita.Pena eu não ter hortelã.Nunca fiz a tal costelinha. Achei no supermercado ontem. Temperei com sal alho,vinho branco,alecrim e tomilho.Vou por fogo no carvão e ver o que acontece.O sotaque do Jaime me fez lembrar da Paes de Barros onde nasci.

Daniel Rodrigues disse...

Falae Antonio Carlos, beleza?

Olha só, a paulistanice da Mooca aparecendo por aqui :-)

O hortelã ajuda bastante nessa carne.. Mas vai na fé que funciona com o que você tem em mãos.

Abs
Daniel

Anônimo disse...

Boa tarde a todos !!!

Sr. Antonio Carlos Morosini favor entrar em contato no email - alexpaesdoces@hotmail.com - muito obrigado - Alex de Sao Paulo. E se alguem o conhece favor entrar em contato.

Daniel Rodrigues disse...

Atenção senhores leitores

O Deitando o Gato na Grelha, que sempre me pareceu um blog de churrasco, agora presta serviço de Achados e Perdidos.

Portanto, se você encontrar por aí algum Antonio Carlos Morosini, que também pode ser chamado de ACM, por favor, coloque ele em contato com o Alex de São Paulo, porque ele não tem condições intelectuais de encontrar uma pessoa no google.

Jisuis, cada uma que me aparece viu...

Boa sorte na busca, alex.

Abs
Daniel

Vitor Sandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João disse...

Daniel vc é muito ignorante cara,
E dai que é um blog de churrascos
o cara ta precisando falar urgente com o antonio
e quanto a não ter intelectualidade para achar na internet ,vc tem o e-mail especifico d ele pra passar pra ele ? Lammer

Daniel Rodrigues disse...

Falae Vitor

Infelizmente, eu não tenho o e-mail dele. Se eu tivesse, juro que passava. Juro!!!

O google tem todas as respostas. Tudo o que ele tem a fazer é a pergunta certa. E a pergunta certa é "qual é o e-mail do Alex da padaria?"

Simples assim kkkk

Abs
Daniel

Anônimo disse...

Muito bom. O sabor de qualquer alimento fica ainda melhor quando temperado com bom humor.
Acompanho esporadicamente seu blog. Parabéns!
E Feliz Ano Novo.
Octavio

Daniel Rodrigues disse...

Octavio, beleza?

Muito obrigado, parceiro!!

feliz 2012 pra você também!!

Abs
Daniel

Blog Remington disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raphael Paulino disse...

Parabéns não só pelo Blog mas pela forma agradável de escrever!
Me deu tanta vontade que hoje a noite vai ter costela na grelha aqui em casa!

um grande abraço

Daniel Rodrigues disse...

Raphael, beleza?

Obrigado, fico feliz que gostou.

Espero que a costelinha na grelha tenha ficado a contento.

Abs
Daniel

Pablo Carvalho disse...

Fala aê Daniel, li seu Blog e fiquei aguando desde então. Comprei hoje uma costela uruguaia e nesse fim de semana vou deitar ela na brasa exatamente vc recomendou, com sua benção vou a luta, depois aviso como ficou, valeu...

Daniel Rodrigues disse...

Fala Pablo

Cara, estou aguando por um cordeiro já faz um tempo.. quando teu comentário chegou na minha caixa postal, quase babei no teclado kkk

Boa sorte com a receita, parceiro. Keep calm and vai cordeiro!!!

Abs
Daniel

Pablo carvalho disse...

Cara, fiz duas costelas uma uruguaia e uma brasileira SWIFT acho que esse é o nome do "fabricante". A uruguaia ficou dez, deliciosa macia, gordurinha, carne, perfeita. Já a Swift ficou dez, dezgraça. Fiz uma ao lado da outra mas a BR quando tirei estava osso sem carne, a impressão que tive foi que a costela tinha osso e gordura, a gordura derreteu ficou só osso. Ja começou mau quando tirei o plastico tinha a costela mais uma peça de carne que vem ligada a cosrela parece ponta de agulha. Fiz uma de boi que ficou 6 horas, 5 de osso e uma de gordura, maravilhosa tbm, minha única decepção foi a SWIFT. Obrigado Daniel...

Daniel Rodrigues disse...

Fala Pablo, tudo bem?

Putz, difícil comparar as duas coisas, né? Todos aqui sabemos que a carne uruguaia é fabulosa, uma das melhores que se pode comprar.

Já a Swift, que não é nem a primeira linha da marca (eu acho que a primeira é maturatta, mas não tenho tanta informação assim).

Você pagou valores parecidos pelas duas peças?

Se pagou, aí sim as duas tem de ser avaliadas igualmente. Mas se não, podemos estar comparando um Uno a uma Ferrari :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin