Follow me on Twitter RSS FEED

Teoria da conspiração: minha alma por uma fraldinha

Nas categorias
Sabe que o Abílio Diniz é um cara bacanão, né? Ele é ziliardário, tem um mercadinho massa, escreveu um livro que ninguém leu e ele não tá nem aí, e tem dinheiro pra comprar tudo o que ele quiser, de político honesto (há) a jogador de futebol.

E já foi falado por aqui que eu costumo comprar as carnes que faço e as brejas que bebo num Pão de Açúcar mais perto da minha casa, e faço questão de dizer que não ganho nada do seu Abilhão, porque não ganho mesmo. 

Mas eu ando desconfiando de uma coisa séria. O Abílio anda me seguindo. Ele tá lendo isso aqui, sei lá, alguma esse cara tá me aprontando. Já assistiu o "Show de Truman"? Então assiste. No final, o Jim Carrey começa a sacar que tá sendo observado e tal. E é assim que eu tou me sentindo. Acho que o Abílio tá pagando uns arapongas pra ficar na minha cola. No maior estilo sai-da-minha-aba-sai-pra-lá, eu vou explicar, senta que lá vem a história:

- passa o sal, garotão!

Eu escrevo nesse blog porque eu gosto, única e exclusivamente por isso. Tou me cagando se alguém vai achar ruim porque eu escrevo palavrão. Tou me cagando se a ana maria braga vai me processar e, principalmente, tou me cagando pra qualquer estratégia que envolva dinheiro nesse blog. Isso aqui é uma diversão, e eu me cago de rir com os "blogueiros" estrelinhas mundo afora que ficam enchendo seus blogs de propaganda do google, torrando seus neurônios em estratégias e traquitanas pra "monetizar" seus blogs. Tô tocando um foda-se grandão pra isso. Quer dinheiro? Arruma um emprego, sabichão!

E o Abilhão é um cara sabido, tem visão além do alcance, sentidos aguçados, fica invisível, respira debaixo d'água e só não sabe voar, mas tem um helicóptero maneiro que resolve a parada. E antes que eu pudesse dizer o preço, ele sacou que esse blog aqui não se vende, mas o cara sabia que tinha uma dívida de gratidão para comigo. Afinal, eu falo do mercadinho dele aqui, e a gente sabe que ele tá estourando de venda na nossa conta :-)

E o Abílio não é do tipo de pessoa que gosta de ficar devendo, por mais que eu faça isso numa boa. Recentemente, tenho notado um comportamento estranhíssimo por parte do pessoal que trabalha pra ele. Acho que esse pessoal tá querendo me comprar. Medo, muito medo. Sente o drama.. 

PRIMEIRO SINAL: 
Já falei que fiz um churras pra 40 pessoas, certo? Nesse dia, fui no PDA e comprei quase todas as carnes lá. Como tinha um trampo de cozinha considerável, meti na conta uma caixa de breja, pois eu sou um filhinho de Deus, e se ele inventou a cerveja, eu quero um gole. Pois na hora de conferir a filipeta pra escrever o post, notei que a caixinha não havia sido cobrada. Lucky day, pensei eu. Mal sabia que este era apenas o primeiro passo de uma conspiração.

SEGUNDO SINAL:
Olha, se tem uma coisa que esse cara manja é de marketing. Ele conhece o seu público como ninguém. E ele sabe que eu gosto de cerveja, e decidiu que é assim que ele vai me comprar. Semana passada foi o aniversário de 79 primaveras da Dona Vovó, uma senhora de fina gala que me ensinou, entre outras coisas, a apreciar a boa alimentação, a comida saborosa que só a culinária de uma legítima mamma italiana é capaz de proporcionar. Nessa festa, a família se reuniu para uma feijoada, e a minha parte na realização de tal evento ficaria, claro, a cargo da compra das cervejas que a horda, digo, família, consumiria. Já no caixa, pude perceber que a garota do caixa contabilizou 5 caixas de latas, em detrimento às 6 que levava. Resumindo: mais uma caixa de graça.

[PÁRA TUDO AGORA] desculpe, mas é impossível continuar a escrever qualquer coisa sem registrar que eu acabei de ver foo fighters e JIMMY FUCKIN PAGE AND JOHN PAUL MOTHERFUCKER JONES tocando juntos no multishow. Quando eu secar as lágrimas do meu rosto, continuo.
[/PÁRA TUDO AGORA]

Bom, voltemos, pois, à programação normal.

TERCEIRO SINAL:
Agora ele começou a dar muito na cara. Saí tarde e faminto do trabalho. Tal qual o guepardo na savana correndo atrás da indefesa zebrinha, adentrei as portas do PDA mais próximo da minha casa. O objetivo era simples e direto: comprar um pedaço honesto de queijo gorgonzola e pão francês, pra amassar com azeite e degustar enquanto meu bravo Palmeiras se desdobraria em campo contra o Colo-colo (isso lá é nome de time?). Porém, meu já condicionado subconsciente me levou à prateleira de carnes do mercado, onde encontrei a prova de que esse senhor anda grampeando meu telefone, ouvindo o meu ronco e seguindo meus passos. Como ele sabia que hoje não faria churrasco, partiu pra uma estratégia mais agressiva. Bati os olhos na prateleira das carnes e dei de cara com uma linda peça de fraldinha, limpa e tudo. O preço? R$1,81. Exatamente, um pequeno real e oitenta e um pequenos centavos. Na etiqueta, estava escrito "coração bovino". E não era a única peça. Havia umas 5 bandejas com lindas fraldas, batizadas de coração de boi e a preços ridículos. Fiz uma ligeira conferência, só pra ter certeza de que aquilo não era mesmo uma porcaria de coração de boi, e meti no carrinho, ainda decidindo se contava tudo ao caixa e pagava os + - R$15,00 que a peça deveria custar. 

- num olha pra mim, comprei na promoção

Lembrando-me dos inúmeros centavinhos de troco que ele nunca me deu (porque raios os produtos tem que custar R$x,99?? Cade meu troco de um centavo?), decidi usar dos meus direitos de consumidor e passar pelo caixa. Pois tenho em minha geladeira hoje um belíssimo pedaço de fraldinha que me custou R$1,81. Menos do que uma embalagem de Halls. Menos do que uma coca-cola 2L, menos do que um pastel na feira.

MORAL DA HISTÓRIA: ele conseguiu. Comprou a minha alma por uma peça de fraldinha.

- manda um lá menor aí, Danny boy, senão eu tou na lama.

O mal disso é que eu me sinto o Daniel San no filme "Crossroads", quando ele percebe que o parceiro dele, Willie Brown, vendera a alma ao diabo. Naquele pedaço de carne está selado o destino da minha alma. Serei condenado a perguntar "O senhor é cliente mais? Nota fiscal paulista?" pra toda a eternidade. Fudeu. 


Linguiça de picanha

Nas categorias
Neste blog eu nunca escrevi sobre linguiça (exceto a cuiabana, que é outra história). E isso tem um motivo bastante lógico: linguiça não tem receita. Quer dizer, até tem, mas a gente não vai chegar no ponto de comprar tripa, moer a carne e colocar lá dentro e tal. Esse é um processo mega trabalhoso, meio nojento e nem um pouco amigável. Além disso, existem vários tipos legais de linguiça à venda por preços honestíssimos por aí. Ou seja: Não espere que nós vamos estimulá-lo a moer a carne, temperar, enfiar tripa de carneiro abaixo pra depois fazer o nozinho na ponta. Nada disso, corre no açougue, no supermercado, na geladeira de sogra e compre uma boa linguiça (exceção feita à geladeira da sogra, onde deve-se praticar o furto, mesmo).

Pois a boa notícia quando se fala de linguiça vem de um cara que tem um nome infame, mas um coração de ouro: O Rei da Linguiça. É, o Rei da Linguiça é aquele cara que começou de baixo, montou seu negocinho de encher tripa, cresceu e hoje é um cara foda nesse meio (sem trocadilhos, ok?). A única coisa em que ele não pensou foi que ele faria tanto sucesso, mas tanto sucesso, que o nome besta que ele escolheu pro negócio dele pudesse virar motivo de chacota. E virou. Pô, seu Linguiça, vacilou feio hein!



- Eu já falei pro Bill que lá em casa só entra a linguiça do Rei.

E eu resolvi experimentar a linguiça do Rei da Linguiça. E gostei.

ATENÇÃO: Antes de continuar a ler este blog, certifique-se de que está em dia com a sua sexualidade, seja lá ela qual for, e tire da sua cabeça todo e qualquer pensamento maldoso e/ou capicioso. O editor deste pergaminho informa que "experimentar a linguiça", no nosso vocabulário, significa única e exclusivamente ato ou efeito de saborear um alimento. Toda e qualquer interpretação diferente desta citada, será considerada inapropriada, afronta, provocação, PALHAÇADA E QUERO VER VIR AQUI FALAR ISSO NA MINHA CARA PORQUE AQUI O SISTEMA É BRUTO, MOROU!!

[Este site ficará fora do ar por motivos de força maior. Pedimos que aguardem o tempo da maracujina fazer efeito e releiam as regras acima dispostas, afim de evitar novos problemas]

Ok, acalmados os ânimos, voltemos ao assunto que nos interessa.

As linguiças do Rei da Picanha são diferenciadas, e é por isso que ele é Rei. Já viu o Pelé jogando? O cara era diferenciado, não? Por isso que é rei. E o Robertão? Cê acha que ele faz especial no fim de ano desde que a globo é globo porque? Porque é diferenciado! Lá em Cachoeiro do Itapemirim não tinha UM capaz de dar aquela risadinha sem-graça como ele, não tinha UM que usava uma pena no meio do cabelo que nem ele, e não tinha UM capaz de usar calça branca, camisa branca e paletó azul que nem ele, nem cantar de ladinho no microfone, nem dar aquela levantadinha brega na sombrancelha, enfim. Por isso que o cara é rei. Porque ele, o Pelé e o Rei da Linguiça são capazes de fazer um monte de coisas que eu e você não conseguimos fazer, e ainda meter gol, descer a Augusta a 120 por hora e enfiar a calabresa... bom, deixa pra lá.


- Deita na brasa, mora?

Essa conversa mole toda (sem trocadilhos, a brincadeira tá começando a ficar chata) era pra dizer que o seu Linguiça inventou um monte de tipos diferentes de linguiças recheadas muito bacanas. O preço não é dos mais baratos, mas a gente não tá falando de uma linguiça qualquer. É a linguiça do Rei, porra!

Neste post, estamos falando da linguiça de picanha. Comprei uma embalagem contendo 4 linguiças grandes (limpa essa mente AGORA), pesando 400g. O que eu mais gostei foi o tempero, dosado na medida, e a honestidade na picanha. Porque muitas vezes você vê produtos (hamburgeres e outras merdas) de picanha que não tem nem o cheiro da mesma, e aí os caras entopem de tempero pra enganar. Essa linguiça parece bem honesta nesse sentido, por isso o tempero é bem suave.

Pra preparar, é a coisa mais besta do mundo. Mete a linguiça na grelha (pensa bobagem agora, pensa) e deixa lá esquentando. Quando começar a ficar escura embaixo, é hora de virar. Como não é uma linguiça gordurosa, recomendo virar com cuidado pra não furar, senão ela pode perder todo o pouco líquido que tem e secar. Ficou escura do outro lado, mete na tábua, corta (tá vendo? pensou bobagem, ficou de linguiça cortada) e come.

Custo:
R$11,00 o pacote com 400g. Caro, mas trata-se de um produto de primeira. Não é pra servir num mega churras.
Rendimento: Ah, alimenta umas 4 pessoas, mas você tem que ter outras carnes.
Tempo de preparo: Umas 3 brejas de um lado, mais 2 brejas do outro: sirva alegre.


A costela do porco-cabrito

Nas categorias
Neste blog, nós adoramos os Simpsons. A razão dessa adoração toda tem nome e sobrenome: Homer Simpson, esse é o cara. Homer querido, você mora no nosso coração. Nós escolhemos você pra jogar no nosso time. Nós emprestamos a velha camisa da seleção de 70 pra você, dividimos a nossa cerveja e deixamos o controle da TV na sua mão. 

Isso porque o Homer é um cara que gosta de cerveja, e a gente gosta de cerveja. Hommer tem uma pança responsa, e a gente ainda não tá assim, mas é questão de tempo pra chegar lá. Homer é foda porque manda pensamentos como esses aqui:
"Filho, uma mulher é parecida com… [olha ao redor na cozinha] uma geladeira! Elas têm quase 1,90 m e uns 130 kg! Elas fazem gelo e… hum… [encontra uma lata de cerveja na geladeira]. Não, espere um minuto! Na verdade, mulher é mais como uma cerveja. Elas cheiram bem, são bonitas e você pisaria na sua própria mãe para conseguir uma! [Bebe a cerveja.] E você não consegue parar com uma só!
Você sempre quer beber outra mulher!"

Ou ainda:
"Ele já sabe como gosto do meu DRINK.... Com muito álcool!"
E Homer criou o porco-aranha, a fantástica criatura que compartilhou o meu imaginário esse final de semana. Tudo isso porque eu assumi o meu lado Homer e criei o... Porco-cabrito!!!




Sabe que eu percebi que nunca escrevi uma receita de costela de porco por aqui? Pois é, sabichão. Como é que você pensa que entende de churrasco, se nunca escreveu nada sobre uma das carnes mais fáceis de fazer? Pois é, maior furada, então corre ae, bora recuperar o tempo perdido. Mas, enquanto o sr. Homer caminha com o porco no teto, vamos convidar o leitãozinho até a área da churraca pra deitá-lo na caminha de carvão quente que preparamos pra ele. 

Na semana passada, eu tava numas de querer fazer um porquinho marinado, porque o cabrito tinha ficado massa, e eu sabia que dava pra fazer algo bacana com a costelinha. Corri no mercado e encontrei uma peça de costelinha de porco de 1,2kg bem carnuda, como há tempos não via. Comprei ela, a costela, e mais uma garrafa de vinho branco vagabundo. Tá, mas e agora, e o tempero?

Pois eu encontrei, num hortifruti lá perto de casa, uma pequena porção de felicidade desidratada. Estamos falando de um tempero chamado Chimichurri, que, na verdade é um molho, mas no nosso caso, estava desidratado. Explico:

Os argentinos não entendem nada de futebol, mas se tem uma coisa que eles entendem é de carne. E de churrasco. Lá na terra deles, a vaquinha come capim mais verde, faz cocô mais cheiroso e até o mugidinho dela é mais bonitinho. Portanto, quando um argentino falar de churrasco para você, escute. Mesmo que você tenha que fingir ignorá-lo. Pois eles inventaram o tal molho chimichurri, um molho à base de azeite, alho, vinagre, salsinha e mais um monte de coisas que ficam animais num churrasco. Mas o chimichurri dessa receita é outro: desidratado. 

Comprei uma pequena embalagem de "tempero chumichurri". Tinha cebola desidratada, alho, tomate, sal, salsa, bacon, pimenta calabresa e mais alguma coisa que não consegui reconhecer. Não se preocupe com o meu tempero, eu mesmo sei que não vou mais encontrar desse pra comprar. Sendo assim, siga minimamente os ingredientes do molho que funcionará bem.

Bom, joguei o pacotinho de chimichurri num pote e adicionei o vinho branco. Metade da garrafa foi suficiente. O porquinho bebe super bem o vinho, então você tem a vantagem de beber a outra metade da garrafa, e dane-se que o vinho é vagabundo. 

Misturei bem com uma colher, adicionei um golão de azeite e joguei sobre a costelinha, que a essa hora já estava deitadinha numa bandeja grande. Só pra caprichar, picotei meio maço de cheiro verde e joguei sobre a costelinha, sem misturar demais com o vinho. Antes disso tive o prazer de descobrir a diferença entre o cheiro verde e a salsinha: você coloca dois talinhos de cebolinha num maço de salsinha e voilá! Você tem um maço de cheiro verde.


Foi assim que o porquinho dormiu: vinho branco, tempero chimichurri e dois nana-nenéns.

Bom, daí pra frente foi bico. Cobri a bandeja com papel alumínio e botei o porquinho pra dormir lá no calor da minha geladeira.

No dia seguinte, segue-se o ritual de preparação de qualquer costelinha de porco. É só colocar a costelinha com o lado do osso pra baixo, deixar lá até parecer assado, virar, deixar assar, cortar e comer. Fácil!

E aí você me pergunta: porque porco-cabrito? Ah, eu te conto.

A costela de porco é uma carne rosada, que tende a ficar branca quando assada. O cabrito também. O cabrito bebe o vinho de um dia pro outro e fica com gostinho de vinho. O porco também. Cabrito e costela de porco são carnes bem macias, com a diferença que algumas pessoas torcem o nariz pro cabrito só porque não conhecem, e o porquinho todo mundo sabe quem é e come feliz. Além disso é mais barato e você prepara uma carne batuta com pouco cascalho. 

Na hora de servir, teve gente que pingou limão, mas eu preferi sentir o sabor do vinho. Fica bem legal e a galera come em segundos. Faça bastante.

Custo: R$15,00 por 1,2kg de costela. R$6,00 uma garrafa de vinho vagabundo.
Tempo de preparo: Meia garrafa de vinho vagabundo na cozinha, 2 latinhas na churraca.
Rendimento: Serve legal umas 5 pessoas, mas é legal ter outra carne pra compor o churras. 


Dá pra não amar essa mulher?

Nas categorias
E daí que a minha esposa tava me questionando esses dias porque eu pego tanto no pé da ana maria braga. Já disse que pago um pau pra esse negócio dela falar e não mexer a boca, da pele dela ser esticadona, de fazer receitas esdrúxulas e achar aquilo o máximo e, po, a tiazona até curte um churrasco. Qualquer um fica fã de uma peronalidade dessas.

A ana maria braga é pessoa tipo piada pronta. Não precisa arrumar motivo pra sacaneá-la, ela mesma faz isso por você. 

Pois eu batizo esse vídeo de "É por isso que nós amamos a ana maria braga". Prepare o seu estômago e veja com seus próprios olhos. Não assista esse vídeo na presença de outras pessoas.

Ana maria braga, obrigado por você existir.

Não deu pra resistir. Acabei vendo o vídeo mais uma vez e preciso comentar alguns momentos dessa pérola.

"Good morning boys!! Wake up guels!" Só esse começo apoteótico já mostra o que vem por aí.
Então o loro pergunta "cadê a minha mãezinha??". Então tá então, mamãe.

"- Se você pudesse mudar tudo e ser outra pessoa, quem você gostaria de ser?" pergunta a madame do botox de ouro, senhora dos nossos corações. Pois eu queria ser uma mosquinha nos bastidores do programa só pra saber quem teve essa idéia fantástica. Aliás, uma mosquinha não. Um mosquito da dengue, pra poder morder esse gênio e garantir que idéias como essas nunca mais sejam postas em prática.

Olha, dona ana. A gente ama a senhora, mas com a madonna a senhora não ficou parecida não. A minha responsabilidade jurídica me impede de falar o que me vem à cabeça agora, mas olha: se o Ronaldo fenômeno te vê assim, ele gama.


Peixe na churrasqueira: Lugar de tainha é na brasa

Nas categorias
A páscoa se passou, e com ela a antiga e dolorosa tradição de não comer carne na sexta-feira santa. Isso acontece porque a Igreja diz que a gente tem que passar por alguma penitência nesse dia em respeito ao sofrimento e Jesus e tal, e aí tem esse lance que a gente não pode comer carne nesse dia. Ainda bem que eles não falaram nada da cerveja, porque isso sim ia ser o maior sofrimento. Dói um pouco ficar sem comer carne num feriado, mas se tem um cara que a gente curte é o Papai do Céu: sabendo que a gente ia ter que passar por essa, ele chegou lá pelo quinto ou sexto dia e inventou O PEIXE e ensinou o pessoal da peixaria a pescar. Aí se o pessoal acha de bom tom sofrer um pouquinho e não comer carne, a gente come peixe e ele que sofra no nosso lugar. Tá fácil.

O peixe escolhido, não por Deus, mas por mim, foi a Tainha. Tenho boas lembranças da Tainha. Em Bertioga, existe uma festa que ocorre uma vez por ano, onde eles fecham um lugar grande e fazem uma festa regada a receitas diferentes de tainha e de derivados alcoólicos. É uma festa bacana e eu recomendo a visita no mês de julho. Tenho, como lembrança de infância, a família chegando tarde em casa, todo mundo embriagado enquanto a criançada fingia que dormia (o que nem precisava, pois eles estavam bêbados mesmo). Mas vamos aos finalmentes: eu SEI que a tainha é um peixe gostoso, então bora lá deitar a garota na brasa.

Comprei duas tainhas - limpas, porque eu limpo carne, mas tenho nhaca de peixe, que pesavam, mais ou menos 800g cada uma. Como peixe rola um puta desperdício (pele, escamas, rabo, cabeça, vc não come quase nada), 1,6kg de tainha não é lá um grande banquete não. 

Existem várias maneiras de preparar a tainha. Minha mãe fazia uma no forno com batatas, azeite e orégano que ficava bacanérrima (taí a dica, hã!). Mas aqui a gente deita os bichos na grelha e é assim que vai ser com a tainha: deitada lá, assadinha! Preparei um molhinho pra temperar, embrulhei e boa.

O temperinho ficou super suave e saboroso. Vamos a ele:

Num pote, esprema uns 5 limões. Não vai querer economizar nisso, o importante é o peixe estar bem temperado. No mesmo pote, manda umas 2 mãozadas cheias de sal grosso. Deixa o potinho de lado e vai cuidar dos outros ingredientes, e isso tem um motivo: o sal grosso vai começar a derreter no caldo do limão. E pode esquecer esse maldito pensamento prático: o sal grosso derretido não é igual ao sal fino. Ah, você já entendeu: deixa lá o sal descansando no limão e vai cuidar do alho. Alho? Que alho?

Esse aqui, ó: pegue 3 ou 4 dentes de alho, dos graúdos. Usando uma faca afiada e muito cuidado com a integridade dos dedos que tem na mão, triture o alho em pedaços bem pequenos. Olha, eu sei que a vida moderna é toda bacanona, e vende alho triturado no supermercado. Ok, se você pensa assim, pode fazer o peixe direto no microondas, e tenta a sorte ae. Entenda, ilustrado leitor: a qualidade dos ingredientes fazem a sua comida ficar melhor. Quanto mais frescos (ui!) os ingredientes que utilizar, melhor fica o sabor. Voltando ao ponto: tritura a porra toda e joga lá junto do sal grosso e do limão.

A tainha é um peixe muito carnudo, e eu acho que um pouco de manteiga pode fazer essa carninha aí mais feliz e saborosa pra preencher as crateras dos nossos cânions estomacais. Mas a gente sabe que se jogar manteiga de qualquer maneira lá não vai misturar nunca. Aí a gente te manda uma dica: pega uma colher, enche de manteiga, acende o fogo e segura a colher ali, durante alguns segundos. A manteiga magicamente derrete e agora você pode misturá-la com o limão, o sal e o alho. Faça isso. No caso, derreti umas 4 colheres de manteiga.

Pra completar, dê uma chacoalhada num pote de tempeiro. No caso, chacoalhei o de pimenta do reino. Mistura tudo e começa a passar no peixe.

Com o instrumento correto, abra a barrigada do peixe (note que já deve haver um bom corte ali, por conta da limpeza feita na peixaria) e sapeque umas boas colheradas dentro dela. Passe um pouco na parte de fora e embrulhe a tainha. Se você for malaco, vai fazer uma espécie de conchinha com o papel alumínio, e então poderá depositar uma ou duas colheres de tempero a mais antes de fechar o alumínio. Isso vai ajudar a sua amada tainha a beber mais limão, mais sal, mais pimenta, mais manteiga e mais alho, ficando mais... gostosa.

Embrulhada a nossa feliza nadadora, deita ela na grelha, no andar de baixo, tomando conta apenas do fogo não ficar muito alto. Cuidando pra não deixar a chama queimar o papel alumínio. Deita ela, enxuga 3 latinhas, vira com muito cuidado e enxuga mais 3. Você, à medida que vai bebendo, começa a sentir o cheiro da tainha ficando legal. Ok, findas as 6 brejinhas, abra o papel com a faca, sem necessariamente desembrulhar. Abre um corte na parte de cima e vai abrindo o papel que já tá bom. 

Pra servir, deite a tainha com papel alumínio e tudo na tábua. Ofereça um garfo para cada convidado e dê a largada: as pessoas vão voar sobre o seu peixe. 

Cuidado com as espinhas, a tainha tem montes delas. A boa notícias é que elas são grandonas, e só vai se engasgar aquele mais morto de fome. Mas aí, como dizem: apressado come cru e se engasga com a espinhona. Avise a ele que a sua parte tá feita.

O peixe fica bem legal. Pra provar isso, reproduzo aqui uma conversa telefônica gravada com autorização da justiça entre a minha esposa e a mãe dela, que por acaso é minha sogra:

- Mãe, tudo bem?
- Tudo, filha. Quer dizer, tudo menos o pedreiro que jhasck skdn kjnskdd;f bowjo aknx, cnskdj, o presidente lula que jksdn lsnjkdc kdnksdv ksjdvnbks e a ana maria braga que falou no programa dela que xzlkvs klvjx lcvnx jklcnv kxnv slkj e passou embaixo da mesa. Mas olha, como estava bom aquele peixe do Daniel ontem, hein! Mas não conta pra ele, senão esse moleque acha que eu sou mole. 

Alguns trechos dessa conversa foram retirados da transcrição por não ter absolutamente nenhuma relevância neste contexto, e, na verdade, em nenhum outro.

Ou seja, cumpra a penitência, asse o peixinho e ganhe o coração da sua sogra para todo o sempre. Mesmo que ela jamais admita isso. 

Rendimento: essas duas tainhas encheram o bucho de 4 pessoas, e ainda fiz uma pecinha pequena de lombo de salmão, que abordaremos em outros versículos.
Custo: as duas tainhas custaram R$18,00. Sei que paguei caro, mas estava em são paulo no meio do feriado, e sem a menor vontade de correr mundo atrás de peixe barato. Ah, 18 mangos tá bom, né?
Tempo de preparo: todas as latas que julgar necessário na cozinha, 3 de um lado do peixe e 3 do outro lado: sirva bêbado.

Este post é uma homenagem aos personagens desse post: Deus, minha sogra e a tainha, nessa ordem. Todos os 3 são seres vivos bacanas, com a exceção do peixe que eu prefiro morto.


Como eu fiz um churrasco pra 40 pessoas com R$175,00

Antes de iniciar, vou avisar: este post é longo, e pra caraio. Trata-se de uma epopéia, e eu tou dando a dica pra você mandar um churrasco responsa pra 40 esfomeados com menos de 200 mangos, ou seja, menos de 5 cruzeiros por pança. Se você não tá afim de ler, leva a sua galera na churrascaria de sua preferência e hipoteque a sua casa quando chegar a conta. Esclarecidos os fatos, vamos aos assuntos que nos interessam.

Eu não sou churrasqueiro profissional. E eu não quero ser churrasqueiro profissional. Me incomoda a idéia de fazer comida pra pessoas que não conheço. Incomoda também a idéia de fazer carne sem nenhum amigo pra bater um papo. Além disso, fazer carne sem enxugar umas boas brejas não faz o menor sentido. Eu, como churrasqueiro profissional ia passar vergonha. Ia encher a cara em todo churrasco, queimar o meu filme, e no final sairia breaco demais e nem ia lembrar de cobrar o meu dinheiro. Por isso que eu faço carne pras pessoas que eu gosto e tá bão por aí. Claro que existem excelentes profissionais por aí e eu acho super bacana. Pra eles. Pra mim, carne e trampo não se misturam.

Só que nesse final de semana eu fui churrasqueiro profissa por um dia. Foi o aniversário da minha queridíssima sobrinha Nicole. Vã, a mãe dela e minha prima-irmã, queria fazer um churras pra chamar a tiarada, primaiada, molecada, padrinhada, vizinhada, hunos, godos e visigodos. E me pediu pra cuidar da parte da carne. Eu não tinha como dizer não. É pra Nick, pô!! E aceitei o desafio de cuidar de um churras pra 40 pessoas. Peguei 200 cruzeiros com a Vã e  bora pro jogo. 

Vem comigo fazer uma continha. Aproveita que a minha filha teve prova de matemática ontem e eu estudei com ela, e a conta tá quentinha na cabeça: 200 fuckin mangos é um dinheirão, né não? Éééééé... opa, então sente o problema chegando:

Pedrinho foi ao açougue comprar carne pra 40 pessoas. Se o preço da picanha anda valendo R$30,00 em média, qual dos dois rins o Pedrinho vai ter que vender pra pagar esse banquete: o direito ou o esquerdo? Sem rim, como ele vai processar a cerveja do churrasco? Tem chance disso dar certo?

Pois então, foi assim que eu me senti. E ao contrário do Pedro Bial, encarei o paredão e dane-se os 300 milhões de votos (a globo acha que a gente tá na china. um paredão tem 50 milhões de votos num país de 200 milhões de habitantes. Um pra cada 4, Bial??). O primeiro passo foi pedir a grana ao vivo pra Vã, e isso teve um motivo. Seu eu faço o velho esquema de eu-pago-e-depois-vc-me-paga, eu ia acabar gastando mais, e absorvendo o preju. Claaaro que eu pagaria o quanto precisasse pela Nick, mas achei que valeria a pena abraçar o desafio. Meti as quatro onças-pintadas na mochila e era aquilo que eu tinha pra gastar. Pois eu fiz o milagre, e vou contar o santo.

Primeiro enfiei na minha cabeça que não ia ter picanha. A piqueta é uma delícia, mas é cara pra diabo e acaba em segundos num churrasco. Optei por fazer outras carnes mais baratas e igualmente saborosas. Minha estratégia se baseava em comprar pequenas peças de um monte de tipos de carnes diferentes. Depois pude ver que essa estratégia foi perfeita, mas foi puro chute. Vou destrinchar as peças compradas uma a uma daqui pra frente.

1 - A costela ponta de agulha: Foi minha primeira idéia. Primeiro porque eu tava com vontade (outra vantagem de não ser profissional, vc escolhe de acordo com a sua gula). Segundo porque é uma carne deliciosa e ridiculamente barata. Nos pão-de-açúcar da vida só vende pedaços pequenos, e eu precisava de um grande, ou seja: tinha que comprar em algum açougue, no horário comercial. Pois então, lá estava eu voltando de uma reunião na casa do chapéu, estressado com o trânsito, quando me surge um mercadinho de bairro que tinha belas peças de ponta de agulha penduradas. Parei o carro, peguei a peça que julguei mais bonita e comecei as compras. Moral da história: Uma belíssima peça de 2,5kg por R$12,50. Sacou?? 12 fuckin reais por 2 quilos e meio de carne fodona!! Na dinâmica de um churrasco de galera, já resolvi o problema do final do churrasco, quando ficam os mais chegados do seu lado. A ponta de agulha demora hoooooras pra ficar pronta e vale a pena tratar os que te acompanharam durante essa peleja com carinho. Ou seja: quando as tias esfomeadas forem embora, vais compartilhar com os amigos 2,5kg de pura felicidade.

Pronto, agora faltavam as outras carnes. A semana de trabalho acabou com meus glóbulos brancos, fez empretejar os meus glóbulos vermelhos e derreteu as minhas plaquetas, e com isso só consegui tempo pra comprar o resto das coisas no próprio sábado, lá pelas 13:00. O churras era às 16:00. Logo, fudeu. Decidi ir até o pão de açúcar da av. Ibirapuera com Rep. do Líbano (quem é de sp sabe, quem não é, trata-se de um dos poucos mercados grandes e com bons produtos do pda, e eu não ganho nada do abílio diniz pra falar isso). Lá, eu sabia que encontraria boas carnes.  Pega carrinho e empurra PDA adentro. Cheguei rapidamente a uma gôndola de congelados que tem brinquedos especialmente divertidos (perdiz, paleta de cordeiro, pernil do porquinho), mas principalmente peças de costela de porco congeladas. 

2 - Costela de porquito: Como o churras seria horas depois, comprei algumas congeladas, mesmo. Dei uma bela sorte de encontrar duas peças altas, com bastante carne, e da parte boa do osso, aquela em que se vê o vãozinho dos ossos direitinho. Em posts futuros, pretendo discorrer mais profundamente sobre a anatomia costelar suína. Por enquanto, entenda que acertei nas duas peças que comprei. Uma custou R$6,80 mangos e a outra R$4,90. Ou seja: mais 12 cruzeiros em carne boa. Costela de porco não tem segredo: hora que sair, geral come feliz e acaba num segundo. Foi o que aconteceu.

3 - A alcatra do porco fez a festa: Achei um belíssimo pedaço de alcatra de porco. Como disse no post sobre a alcatrinha, é uma peça barata, que ninguém sabe o que é, mas todo mundo come lambendo a cara. Comprei uma peça de 1kg e dividi em 3 partes. Servi com intervalos de mais de uma hora entre elas. Na boa, um monte de gente veio lambendo os dedos perguntando que carne era aquela. Disse que era carne de leprechaun e o pessoal desistiu de perguntar. Sabe quanto custou essa peça? R$14,50. Em três levas, fiz a festa com 3 tecos de carne de R$4,80.

4 - Linguiça de pernil ao alho: Neste blog eu nunca falei muito de linguiça. Primeiro porque eu sou espada, e pega mal ficar falando de linguiça. Segundo porque eu não sou um grande fã mesmo. Quando eu preparo linguiça, prefiro umas recheadas, mais caprichadas (e caras, infelizmente). Acho que, no meu tempo de moleque, fiz tanto churrasco de linguiça que enjoei. Bom, comprei uma embalagem de linguiça de pernil ao alho com quase 1Kg por honestíssimos R$6,30. Fui soltando aos poucos no churrasco, fazendo uma por vez. Ajuda a dar volume.

5 - Fraldinha: A fraldinha é uma carne perfeita pra churrascões. Fácil demais de preparar, e é uma carne saborosa, que agrada inclusive aos que acham que churrasco é significado de picanha e mais nada. A pecinha que fiz pesava 400g e custou R$6,10. Cheguei a cogitar a hipótese de preparar o rocambole de fraldinha, mas ia dar um trabalho monstruoso, e meu tempo tava curto. Optei por deitar a peça inteira mesmo, só com sal grosso. Funcionou lindamente.

6 - Drumet: Frango é bom em churrascão porque não dá trabalho e fica pronto logo. Se chegar um grupo de esfomeados, você lança uns drumets na grelha e serve rapidão. No PDA vende um drumet temperado honestíssimo. Nem pensei em preparar nada, comprei aquele mesmo e assim foi. Comprei duas bandejas que, juntas, pesaram 1,1kg e custaram R$9,50. 

Antes que você saque a calculadora, relaxa que eu faço as contas no fim do post. Mas vai vendo, só comprei coisa barata até agora.

7 - Coraçãozinho de frango: Esses dias vi uma reportagem sobre um inglês que mora no Brasil, e faz torta de rim de boi. O cara dizia assim: "Como vocês tem nojo do rim? Vocês comem coração de frango!!". Eu digo, companheiro: no coração do frango só passou colesterol e os mais puros sentimentos pela galinha sua mãe. No rim, passou mijo e eu tou fora disso. Pensando assim, comprei uma bandeja de coração que, incrivelmente, estava limpinho. Se eu tivesse que limpar não ia dar tempo. Foram 530g por R$5,80. 

8 - O famoso espetinho de contra-filé: esse já virou um clássico. Dá um mega trabalho preparar, mas vale a pena demais. E espetinho em churrascão é legal porque sai rápido. Chegou monstro faminto? Mete dois espetos, vira duas vezes e serve. Comprei 1,2kg de contra-filé por R$21,80, três embalagens de 150g de tomate-cer(v)eja por R$9,00. Tá, azeite e orégano eu não comprei, e ainda usei uma mostarda preta que eu tinha em casa. Dediquei todo o tempo que eu teria em casa a esta carne, porque eu sabia que ia fazer sucesso na festa. E, realmente, fez. A veiarada ficou doida hora que experimentou. 

Tanto para o coraçãozinho, quanto para o espetinho, eu comprei 3 embalagens de espetos de bambu (e pra que serve o bambu? haha). Custaram R$1,25 cada, totalizando R$3,75.

9 - O pão com alho do Daninho: Essa foi uma receita que veio em boa hora. O Daninho veio com essa idéia no meio da semana passada, e eu aproveitei pra arrebentar no churrasco. Fez um baita sucesso, o povo ficava louco com o pãozinho com alho e catupiry. Minha estratégia era ter pão saindo o tempo todo, intercalado com qualquer carne. Ajuda a encher as panças, e como é caprichado você não parece um picareta, que convidou a galera pra um churrasco mas tá enfiando pão goela abaixo. Usei um pote inteiro de maionese (R$2,80), um pote de 250g de catupiry (R$4,99), azeite e alho eu tinha em casa e comprei 20 pães (R$9,15). Como eu sabia que na casa da Vã só tem mulher e se tem coisa que mulher compra pra churrasco é pão, comprei só 20, mas na real acabei preparando uns 50. 

Parei o carrinho num corredor sossegado, e fiz rapidamente as contas. Fiquei surpreso ao perceber que ainda sobrava uma nota preta. Já tinha carne pra caramba no carrinho, os 200 mangos iam dar e sobrar. Diante disso, abri mão da minha estratégia de pão-durice. 

10 - Linguiça calabresa com provolone e orégano: Essa linguiça é legal mesmo. A marca é Rei da Linguiça, que apesar no nome infame, tem umas carnes bacanas. Depois vou escrever melhor sobre isso. A embalagem tinha 500g e custou R$12,50. 

11 - Aí sim, a picanha!! Bom, como tinha dinheiro sobrando, bora lá procurar se tem uma picanha pequeninha e barata. E olha só, não é que tinha uma sorrindo pra mim? A lindoca tinha 850g, uma capa de gordura perfeita e custava R$19,00. Não dá pra resistir, né? Bom, eu a preparei em bifes grossos, com o esquema do alho. Ficou sensacional.

12 - A breja, claro: Olha, eu também sou filhinho de Deus. Saindo do supermercado, teria uma trabalheira na cozinha pra preparar os espetinhos, e quando chegasse no churrasco eu tava verdadeiramente lascado. Já vou te avisando, num churrasco pra 40 pessoas, você não consegue parar um minuto, nem pra fazer xixi. Sabendo da labuta que me aguardava, comprei uma caixa de Itaipava pra tomar enquanto preparava tudo. Com o dinheiro da minha prima. Mas aí que vem o legal da coisa: verificando o ticket aqui, acabei de perceber que a garota do caixa passou apenas UMA cerveja. Ou seja: Abíliô, valeu pelas 11 de graça, parceiro!

Ainda corri num mercadinho próximo de casa e comprei 4 sacos de carvão por R$5,60 cada um, totalizando R$22,40.

Agora soma tudo isso ae que eu tou cansado de digitar. Vai dar marromeno R$175,00, porque eu ainda devolvi R$25,00 pra Vã, que acabaram se transformando em cerveja. E eu bebi.

Bom, o churras foi bem legal, trabalhei pra cacete, tive companhia o tempo todo (esse é o medidor: se tem muita gente em volta de você, é porque a carne tá boa, vai por mim). Tive uma grande ajuda do Hugo, que também manja de carne e matou a ponta de agulha comigo, e me ajudava quando eu precisava largar a churraca pra mandar um pipi.

Felizes leitores, taí a dica. Agora nós sabemos que você não precisa ir à falência pra mandar um churras densamente populado. Com R$200,00, você pode comprar 4 picanhas grandes, ou esse monte de coisa aí.

Esse post é especialmente dedicado à Ni, pelos seus 11 aninhos. Parabéns, lindinha. Você merece muito mais do que esse monte de carne aí, você merece o mundo!! Aliás, você descobre que tá sabendo fazer churrasco quando uma criança de 11 anos te pede um churrasco de aniversário :-)


Muitos Danis e um pão de alho

Nas categorias
Na minha turma tem Dani pra cacete. Eu sou Dani, a minha esposa é Dani. Tem a Dani do Pão (o Pão é uma pessoa, abordaremos esse assunto mais tarde). E tem o Daninho, o personagem desta fábula. 

Eu não sou de botar apelido, mas quando comecei a ver que a gente saía em 8 pessoas e apenas 4 nomes, achei que seria a hora de arrumar uma maneira de nos diferenciar. E chamei o Daniel de Daninho, afinal, eu sou grande e ele é pequeno. Mas o Daninho é um cara marrento, e na primeira oportunidade me chamou de Daninho de volta. E pegou o apelido. Nele e em mim. Ou seja, era pra diferenciar os dois, e confundimos mais ainda. E no final, temos 2 Danielas e 2 Daniéis que na verdade são 2 Daninhos, e no meio dessa bagunça a gente se entende. 

Pois ontem eu estava me preparando pro futebol quando o Daninho me ligou. Antes que você me pergunte, eu respondo: sim, eu jogo bola. várias vezes por semana. Lendo esse blog, dá pra imaginar que eu faço churrasco e tomo cerveja com uma certa frequencia, certo? Pois então, pra evitar que minha circunferência abdominal se assemelhe a de um barril, um cofre ou até um piano, eu jogo bola, no mínimo duas vezes por semana. Recomendo a todos os que lêem esse blog com o mesmo entusiasmo com que escrevo: pratiquem esporte! 

Voltando ao Daninho. Ele me ligou com péssimas intenções. Seguindo a nova lei do SAC, pedi a gravação e transcrevo aqui o diálogo:

Daninho ele: Daninhô, ce vai no futebas hoje?
Daninho eu: Vou, cara. Não sei se jogo porque meu tornozelo tá uma velha, mas pelo menos vou no campo.
Daninho ele: Tem certeza? (bote aí uma entonação maliciosa)
Daninho eu: Diz aí o que que você tem nessa mente maldita.
Daninho ele: Tem vinte e tantas cervejas na geladeira de casa pedindo pra serem consumidas.
Daninho eu: 20h30?
Daninho ele: 20h30.

Tá feita a merda. Na sequencia, chega um e-mail de daninho.thome@empresafodona.com.br (Daninho é um folião, mas no horário comercial se disfarça de advogado de uma mega empresa) sugerindo um tal pão de alho com uma receita anexa. Meu primeiro pensamento foi: receita é o escambau, pão de alho se compra pronto. Resolvi abrir o anexo e aí mudou tudo. O que se segue é uma receita de fazer a ana maria braga chorar! 

Façamos igual à novela, quando alguém viaja daqui pra Índia: entra no avião / cena de paisagem / desce do avião. Assim, pulemos para a pia da minha casa, já preparando o pão de alho. Só peça ao piloto pra fazer uma paradinha na padoca e providencie alguns pães. Como a receita é boa, compre logo uma dúzia. 

O lance é o seguinte. Você tem que fazer uma pasta nojenta pra passar no pão (o francês, e não o meu amigo).  Taque, num pote, 4 colheres de maionese. Sabe aqueles saquinhos de catupiry que tem uns 500g? Espreme meio daquele junto da maionese. Catupiry do bom ajuda a receita a ficar melhor, assim como todo e qualquer ingrediente que você usar. O próximo é o azeite, joga ali umas 2 colheres de sopa, mas não vá medir com a colherinha, hein! Macho que é macho põe os ingredientes no olho mesmo!

Picote 2 dentes de alho em pedaços bem pequenos. Seja paciente na hora de cortar, os pedaços menores ajudam a ficar mais legal. Se você é daqueles que adora um bafão de alho, pode colocar 3 dentes. Mistura tudo. 

Adendo => eu aaaacho que um tequinho de orégano ajudaria a ficar animal, mas eu não posso dar certeza, porque eu não experimentei.

Adendo 2 => eu também aaaaacho que passar uma manteiga na parte de fora do pão, e salpicar um pouco de alho frito deve ajudar a ficar mais animal ainda. Mas, como isso aqui é um adendo e eu não preparei assim, eu tou chutando e não posso garantir o sucesso.

Agora é o básico, abre o pão, passa isso lá dentro, manda pra churraca, quando começar a queimar a casquinha do pão, corta em pedaços pequenos e serve. 

Ah, as fotos dessa receita estão no celular do Daninho. Embora eu já as tenha pedido, ele ainda não mandou. Coisa de advogado, isso.. Quem quiser reclamar, daninho.thome@empresafodona.com.br.

Dica: Pão com alho faz o diabo de sujeira. Não seja besta de encher a tábua de migalha e depois deitar a picanha ali. É uma picanha, e não um sanduíche, ok? Não custa nada ter uma tábua e uma faca extras especialmente pra cortar o pão.

Preço: Pra mim saiu de graça, o Daninho comprou tudo. Chorem os que não tem um amigo desse. Quem quiser, me procura que eu passo o e-mail dele :-)
Tempo de preparo: Uma breja na cozinha, outra na churraca. Demore pra preparar e tome 2 brejas na cozinha.
Rendimento: Em 4 pessoas, comemos 6 pães, e ainda tinha carne. Se prepara porque é muito gostoso, a galera come de rodo.


Blog Widget by LinkWithin