Follow me on Twitter RSS FEED

Receitas de CANA: Como preparar uma caipirinha

Nas categorias
Mais uma vez, encontro-me exatamente tal e qual a sexta-feira pré-carnaval de 2009: sentado na cadeira do trabalho, dando a parecer que estaria trabalhando, mas contando malemolemente os últimos 106 minutos que ainda restam até que o verdadeiro grito de carnaval saia da minha alma e adentre a geladeira de cerveja mais próxima.

Geladeira esta que, por infortúnio, encontra-se sem cerveja. Paciência, mas eu encho ela logo, logo...

Dizia eu, que no ano passado, na malemolência pré-carnaval, nada conseguia escrever, e dei uma enrolada básica com algumas dicas pra churrasco de galera, o que mais ocorre no carnaval. Lê lá. Enfim, este ano, pretendo fazer a mesma coisa, já que conto os minutos pra ouvir o barulhinho da primeira cerveja. Barulho este que deve se tornar a verdadeira trilha sonora do meu carnaval.

Aliás, a grande dica deste carnaval é exatamente esta, sobre o álcool e seus excessos, atividades estas às quais devemos nos empenhar e aprofundar com propriedade durante os próximos dias. Vamos falar da cana mais preparada, querida e consumida destes quentes dias de fevereiro: A Caipirinha.

O Jo Soares tem uma teoria sobre o aparecimento da caipirinha muito interessante. Mas, como tudo o que ele faz, foi tão repetida (por ele mesmo) que perdeu a graça. A melhor representação da sua própria piada foi feita no filme "O Xangô de Baker Street", filme bem bacana do gordo. Na tela:
Droga, eu não queria escrever tanto assim, mas não tem no youtube, nem na internet inteira. Malditos direitos autorais. O lance é o seguinte: o sherlock holmes entra com o watson num boteco, e pede uma cachaça. Como tá calor, pede um limão, açucar e gelo pra refrescar. Aí o tiozinho do boteco olha pros dois e comenta com o amigo: "Qual dos dois caipiras inventou essa batida? Foi o caipirão?". O outro responde: "Não, foi o caipirinha", se referindo à baixa estatura do watson. Assim, piada boinha, mas se repetir muito, estraga. Foi o que o Jo fez. Estragou a própria piada.
Continuemos.

Existem dez milhões de receitas de caipirinha, todas elas envolvendo limão, açúcar, gelo e cana. Mas sempre se inventa uma boiolage pra se poder dizer: "A minha caipirinha é a mais foda do mundo". E sempre é, porque a caipirinha é um goró muito bom e fica boa de qualquer jeito. Vou, portanto, lhes contar como faço a minha própria dose de alegria.

Pra um copo razoável, daquele que cabe uma lata de cerveja inteira, use um limão e meio. Pense que o fato de deixar meio limão inutilizado servirá como estímulo para que prepare outra caipirinha posteriormente. Vai por mim.

Corte o limão na metade. Sem descascar nem nada. No máximo, lave o limão. Mas só quando houver alguma mulher por perto, elas detestam quando a gente não lava os vegetais. Ok, corte cada metade do limão novamente na metade. Pensando comigo, você tem 4 pedaços de limão. Bacana, não perca a concentração, corte cada pedaço na metade. Juntando com a outra metade de limão, você deve ter 12 pedacinhos de limão no seu copo. Foda-se a matemática, vai cortando e mete tudo no copo, porque essa batida é feita pra ajudar a gente a PERDER as contas.

Sugiro que não descasque o limão, por dois motivos: o primeiro, é a considerável economia de tempo e recursos que seriam dispensados descascando. E o outro, o mais legal: Pegue um pedaço de casca de limão, e esprema, como se fosse uma espinha. CUIDADO COM O OLHO. Caso contrário, não poderá mais ler este blog, nem ler mais nada. E eu perderei um leitor, coisa que muito me dói na alma e no coração. Bom, espremendo a casca, você notará que ela espirra um líquido, muito cheiroso e meio amargo. É ele que faz uma caipirinha batuta.

O segundo passo é jogar açúcar. Ponha açúcar de monte. Muito, até cobrir todo o limão. Vai por mim, não fica doce demais por conta do suquinho amargo da casca.

Antes de encher de cachaça, pegue o socador e amasse. Faça uma maçaroca daquilo lá. O atrito do açúcar com a casca do limão faz o mesmo efeito que a sua espremida. Com a diferença que o suco amargo e cheiroso se mistura com o caldo do limão e com o açúcar (pelo teclado brasileiro, dá um puta trabalho escrever açúcar, já percebeu? Tou quase escrevendo assucar).

Tá bem amassado, a parada toda virou um caldo? Então encha de cachaça. Ou vodka, embora eu prefira a caipirinha de pinga. Sem a viadage de tirar os pedaços de limão de dentro do copo. Deixa todo mundo lá. A vantagem é que você pode ir completando só com pinga e misturando depois. Pensa pelo lado prático, companheiro.

Agora mexe bem, muito bem. Sem aquela frescurada de meter um copo em cima do outro e bla bla bla. Isso é coisa de barman, e a gente aqui faz goró, e não drinkezinho. Mete uma colher lá dentro, mexe, dá uma lambida na colher e manda pra pia (a colher, não a caipirinha). Lambeu, tá gostoso?

Só jogar ali umas pedras de gelo e correr pro abraço.

PS1: De novo, este post não tem fotos porque a minha prima não devolveu a minha máquina. Vanessa, terceira semana e nada???

PS2: Estou escrevendo num novo blog, sobre futebol. Com o mesmo carinho e preocupação com a moral e os bons costumes que este aqui. É um blog coletivo, então existem outros autores. Meus mal-escritos caracteres estão sempre assinados como "Parmera". Pra quem se interessar, visite o Foot Loser.

Bom carnaval, crianças! Vão pela sombra, bebam toda a cerveja que conseguirem carregar e lembrem-se daquele ditado sobre o cu de bêbado.


9 comentários:

Francisco amado disse...

Muito boa valeuu!!!!

Daniel Rodrigues disse...

Francisco

É nóis, malaco!!

Agora larga esse computador e vai beber que eu já tou na breja!!! hehehehe

abs
Daniel Rodrigues, pensando que cachaça é agua

Carlos disse...

Bom Carnaval prá todos do blog.

"ANUS EBRIUM DOMINUS AUSENTIS"

Cuidado para não enxaguar demais.

Carlos Sá

Daniel Rodrigues disse...

Carlão

Valeu, bom carnaval a todos!!

Melhor pensar mais nisso, porque desde ontem eu tou numa bebedeira só hahahahaha

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

E aí cara? Zuzzu bem???

Pena que ví essa fórmula mágica agora...

Estranhamente ontem havia um casalzinho de bambis no velho boteco que frequento e a indignação del"a"s era justamente a falta de "opções" para a caipirinha...

Porra!!!

Caipirinha é Pinga + Gelo + Limão + Açúcar.. ..só isso e tudo isso...

Nada de morango, kiwi, cereja, lima da pérsia... ...só limão e pronto.

Ébrio por natureza, me infiltrei na briga entre o dono do boteco e as bibas e simplesmente disse que já havia muita "fruta" no lugar.

Bom, bastou para que saíssem indignadas e com a grata promessa de que jamais voltariam alí.

Ufa!!! Conseguimos!!!

Não é preconceito nem discriminação...

Mas cada um na sua, tem Sant Remy, Martini, Amarula e mais uma infinidade de bebidas pra elas e se mesmo assim estiver "forte" vão tomar leite.

Deixem minha caipora em paz porra!!!!

Um abraço e um copo cheio!

Ricardo.

Ricardo disse...

Bom Daniel, lí o texto acima e resolvi escrever algumas baboseiras. Resultado de um cérebro corroído pelo etanol (palavra em moda)...

Lí mais um pouco do blog (tomei uma cerveja), gostei, lí mais um pouco (tomei mais umazinha)... ...gostei mais... resumindo são 03h da manhã continuo lendo, bebendo e gostando.

Resolvi me inscrever como seguidor porque gostei muito e também porque sei que não me lembrarei da url. Bom, para minha grata surpresa sou o "Qüinquagésimo Primeiro", ou seja, fifty one, ou melhor ainda 51 !!! Será um sinal??? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tamo junto e misturado!!!

Um abraço e um copo cheio!!!

Ricardo.

Daniel Rodrigues disse...

Falae Ricardo, beleza?

Valeu aí pelas palavras. Fico feliz de saber que tem gente lendo isso aqui e bebendo cerveja. É por isso que eu mantenho o blog: pra poder escrever tomando cerveja. hahaha

51 é um sinal sim, vai por mim :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Anônimo disse...

Fala ai pço... seu blog é bom pra caralh.... vai pro mim vc tem talento (e ja deve saber disso)
Vim emprestar um pouco do meu conhecimento bebedeiro... (modesto + talvez ajude)
Eu faço caipirinha igual a vc, com uma única exceção, eu coloco o GELO PRIMEIRO, depois PINGA, eu encho de gelo e o espaço que sobra eu encho de pinga até transborda ehehe ai quando alguém falar CARALHO FICO MUITO BOM FAZ OUTRA PRA GENTE, vc tem a maior probabilidade de acerta no mesmo teor alcoólico.
abraço.

Milton Souza

Daniel Rodrigues disse...

Falaí, Milton!!! Firmeza, compana?

Valeu aí pelos elogios. Isso não é talento, não. Tenho vergonha de mostrar as coisas que eu escrevo aqui pra minha vó. hehehehe. Talento tem o paulo coelho, que escreve merda do mesmo jeito, mas sabe ganhar dinheiro com isso. hehehehe

Olha, você tá certíssimo. Depois vou fazer uma correção no post, porque faz todo o sentido.

Valeu a dica ae

Abração
Daniel Rodrigues

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin