Follow me on Twitter RSS FEED

Resenha de churrascaria vagabunda: Tramontana Grill

Este post foi escrito a 6 mãos, 30 dedos, 3 cabeças e outras coisas que eu nem quero citar aqui. Nesta empreitada, fui honoravelmente acompanhado pelos meus grandes amigos Luiz Caprioli e VinceVader, que meteram os seus cascos na produção desta resenha. Agradecimentos muito especiais pela boa companhia e pela ajuda com a primeira resenha de churrascaria vagabunda.

Dizem que futebol é uma caixinha de surpresas. Não é. Quem inventou essa bobagem não tem a menor idéia do quão surpreendente é a churrascaria que abre esta série. Uma surpresa atrás da outra, um lugar que, definitivamente, foi criado para alegrar os nossos malpassados coraçõezinhos. Vai vendo.

Se você já andou pelo metrô de São Paulo, provavelmente já passou pela estação Praça da Árvore. Pois o que você nem imagina é que logo acima da terra, nas imediações da estação Praça da Árvore, existe um gênio incompreendido, um verdadeiro templo da comida barata, antro da melhor gastronomia popular. Este mestre da culinária responde pelo nome de Tramontana Grill. Vai por mim, quando estiver no metrô, passando pela Praça da Árvore, cancele os seus compromissos, desça do metrô, caminhe pela rua Guaraú até o número 70 e separe $12,90 pra saborear o melhor churrasco que você pode comer com pouco dinheiro.

E a Tramontana Grill não é só excelente enquanto churrascaria, é um verdadeiro espetáculo, um local de diversão e arte. Entrenimento completo pra você pra toda a sua família.

Comecemos esta resenha pelo local. Pequeno, apertado, não tem placa na porta e não tem nada de mais. Mesas simples, toalha surrada, cadeira velha, enfim. Sinceramente, não esperava nada de luxuoso lá.

Sentamos na única mesa disponível, bem no centro da Tramontana, o que, pra quem conhece churrascarias, é uma boa estratégia, porque sempre tem garçom passando. Porém, na nossa mesa sentou-se também um cara, um desconhecido. Provavelmente devido à falta de lugar nas outras mesas. Azar o dele, teve de almoçar ouvindo a gente falar bobagem e comemorar os gols do paraguay. Mas como notei que, eventualmente ele segurava o riso, tudo beleza.

O atendimento foi um show à parte. Nada disso de fingir que você não existe, passar direto pela mesa, nada disso. Sem miséria, serviço 100%. Assim que chegamos, um simpático garçom paraibano veio nos perguntar, com sotaque gaúcho, quais as bebidas que gostaríamos de apreciar. Como não quis beber em horário comercial, pedi um guaraná com gelo e laranja, a melhor combinação de todos os tempos entre frutas e refrigerantes. Aliás, uma característica peculiar do local: todos os garçons, não importa de onde vierem, precisam ter sotaque gaúcho. Se a Tramontana contratar um garçom holandês, ele vai ter que aprender a falar bah, tche, chamar moleque de guri e levar guampo da patroa. O próprio Luiz notou que um dos garçons era barman do Madame Satã, e lá ele não usava sotaque gaúcho.

Isto posto, fomos checar a mesa das saladas. Peguei um prato, entrei na fila e coloquei nele algumas beterrabas. Foi quando eu me perguntei que diabos eu tava fazendo ali e larguei a fila pra lá, uma vez que eu não tinha ido à Tramontana pra comer salada. Pra quem gosta de desperdiçar espaço no estômago com salada em churrascaria, a mesa parecia bem completa, com folhas, verduras e todas as coisas coloridinhas que os nutricionistas dizem que fazem bem. O Vader foi mais saudável e acabou se servindo de alguns vegetais. Segundo ele, a mesa de saladas estava fabulosa, com picles, farofa e cebola aperitivo dignos de um manjar de rei egípcio, seja lá o que isso possa significar numa churracaria. Danem-se os vegetais, estamos aqui pra falar de CARNE.

Voltamos à mesa, e o ótimo atendimento já começou a mostrar os seus sinais. Os refris estavam na mesa, já no copo, excelência total. Porém, o meu guaraná com laranja não era um guaraná com laranja, e sim um guaraná com limão. Ficou ruim pra caramba, mas gostei do toque lúdico. Certamente, a primeira fanfarrice de uma equipe de garçons feita pra divertir você. Lembrei da propaganda da skol e achei redondo rir de mim mesmo. Ri redondo.

Imediatamente, um graçom bahiano com sotaque gaúcho me perguntou se eu queria alcatra. Sim, segurei um pedaço com aquele trequinho que eles deixam na mesa, e o garçom cortou um generoso pedaço pra mim enquanto a peça pingava na toalha. Deve ser pra deixar aquele cheirinho de carne no ar, coisa de gente criativa e solícita. Se meu companheiro Luiz sentisse vontade de comer mais alcatra, podia lamber a mesa. A carne, em si, estava razoável. Acho que a peça estava na mão do garçom há algum tempo, porque estava meio fria e, consequentemente, dura. Mas o sabor estava ótimo, carne bem no ponto, nota 7.

Na sequência, passou um garçom pernambucano com sotaque de gaúcho oferecendo um pedaço de fraldinha. Novamente segurei a carne com o trequinho, novamente pingou na toalha, enfim. Aí fomos surpreendidos novamente , porque a fraldinha estava sensacional. Temperada só com sal, sem nenhuma boiolice, mas muito saborosa. Dou a ela uma nota 9, sem pestanejar.

Depois da fraldinha, o japonês bateu o pênalti no travessão e a churrascaria levantou. Sensacional, acho que todo mundo lá na Tramontana estava com o mesmo sentimento que eu, aquele medo de ter que torcer "tcha, tcha" se algum time oriental ganhasse a copa. Enquanto isso, Vader dava nota 10 pra kafta.

Chegou a hora da picanha, trazida por um garçom alagoano com sotaque gaúcho. Enquanto a peça pingava na toalha, escolhi mais um pedacinho e peguei com o trequinho. Aliás, estávamos em 3 na mesa (fora o tiozinho desconhecido), e só tínhamos 2 trequinhos. Deve ser mais uma fanfarrice dos garçons. "Viu aquele cara pegando a picanha com a mão?", devem comentar os garçons no busão de volta pra casa. Entretenimento interno, coisa de gente alegre.

A picanha estava boa, como deveria ser uma picanha de churrascaria. Eles fazem aquele rolinho, espetam, salgam e deixam na churraca. Ela fica boa sempre. Se uma churracaria errar a picanha, corre dali que tem algum muito errado acontecendo. Nem vou avaliar, porque picanha é sempre nota 10.

Foi quando fomos surpreendidos novamente. Novamente. O gerente, um gaúcho com sotaque gaúcho, veio perguntar pra gente se a carne estava boa, se queríamos mais alguma coisa, se o atendimento estava divertido o bastante. Incrível, jamais imaginei que isso aconteceria num restaurante popular. Pedi mais um guaraná com laranja, o Vader pediu coraçãozinho (que depois se revelou outra iguaria) e o Luiz lembrou que não havia visto costela bovina. Quase pedi um pedaço de pão pra passar na toalha, aquilo devia estar delicioso.

O milagre do atendimento trouxe coraçãozinho enquanto o gerente ainda estava na mesa. 10 no coraçãozinho de frango, 10 no coraçãozinho da gente. Telepatia também é entretenimento. Se é entretenimento, é Tramontana Grill. O garçom rapidamente trouxe o meu guaraná, mas entregou ao Luiz. Definitivamente, não era o meu dia de tomar guaraná com laranja. Sorte que ele é um bom camarada e me devolveu o guaraná, desta vez com a laranja. Se fosse o tiozinho desconhecido, acho que eu ficava sem. Trouxe também um javali, que estava muito bom, nota 8. Tinha um temperinho especial nele, fabuloso.

A costela foi o ponto fraco do dia. Acho que, na tentativa de ser solícito, o gerente mandou tirar a costela antes da hora. Um garçom cearense com sotaque gaúcho trouxe um pedaço generoso, mas que não pingou na mesa, e parecia meio durengo, não tava legal, não. Nota 3.
Aqui temos uma discórdia, pois o Vader deu nota 10 à costela bovina. Ou seja: é loteria. No meio da costela boa, eles colocam uma duranga. Entrenimento é isso aí.
Pois é, se você pensa que acabou, fomos surpreendidos novamente, pela terceira vez. Um garçom maranhense com sotaque gaúcho apareceu com uma belíssima peça de cupim. Mais uma vez, repeti o procedimento com o trequinho e, antes que ele pudesse ir embora, gritei pra quem quisesse ouvir: pega um pedaço dessa porra!

A idéia era apenas comunicar ao Vader e ao Luiz que a carne estava muito boa, mas acho que exagerei um pouco no volume, e assustei o tiozinho desconhecido. Mas não pude me conter, aquele foi um dos melhores cupins que eu já comi na vida. Muito, mas muito melhor do que o meu cupim ao alho, famoso nos churrascos que faço. Macio, saboroso, carne bem molhada e com sal na medida, com uma casquinha por fora. Repeti duas vezes. Uma delícia, levou nota 10.

Enfim, chegou a hora de pagar a conta e levantar dali. Nos dirigimos ao caixa com a comanda na mão, dividimos a conta em 3. O custo final ficou em $17,00 pra cada um, uma bagatela. Preço de banana, mas é carne, que é muito melhor do que banana.

E se você pensa que a fanfarrice termina aí, está muito enganado. Eu pedi um cartão da Tramontana pro cara do caixa, que se assustou e deixou a máquina da Visa cair no chão. Sorte que eu já havia acertado a minha parte, porque a partir daí, ninguém mais pagou com visa. Enquanto isso, outro garçom deixava cair um copo d'água no Vader, acredita? Uma fanfarrice atrás da outra, só pra nos alegrar. E alegres ficamos, 100% de aproveitamento.

Pra finalizar, o site da Tramontana Grill é um espetáculo à parte. O preço tá errado (no site mostra 14,99, mas é 12,99), os garçons da fotos são os mesmos, o logo é o mesmo, mas o ENDEREÇO NÃO É O MESMO. Isso mesmo que você leu: o endereço, localização, mapa no site, fotos do local estão todos errados. Mas os garçons que aparecem na foto trabalham mesmo lá. Isso significa que eu não errei de site, o site que errou de churrascaria. Mais uma trapalhada meticulosamente calculada pra nossa diversão. Pensa que é num lugar, vai no outro. Sensacional, adorei! Deve ser por isso que não tem placa na porta.

Tramontana Grill é um lugar que eu recomendo. O Deitando o Gato na Grelha aprova, bate o carimbo e garante com o selo "ESSA CHURRASCARIA VAGABUNDA É 10".

Tramontana Grill, obrigado por você existir.


38 comentários:

Ricardo disse...

Começou bem! Realmente o Tramontana é uma pérola incompreendida. Trabalho a duas quadras do tal e meus colegas nunca conseguiram criar coragem para entrar, portanto frequento essa beleza sozinho. Grande reportagem para esse pequeno achado!

Daniel Rodrigues disse...

Fala Ricardo

Po, que bacana, então somos vizinhos. A Tramontana foi escolhida justamente porque fica pertinho da minha casa e do meu trabalho.

Mais alguma coisa a acrescentar, algo que me tenha passado despercebido, sobre aquele maravilhoso antro do churrasco barato?

Abs
Daniel Rodrigues

Emanuelle disse...

Oi Daniel! Conheci seu site hoje, através de um comentário que vc deixou no rainhas do lar(um blog pelo qual sou digamos viciada), enfim, não poderia deixar de comentar este post, meu... eu acho que nunca ri tanto na vida, achei um máximo sua forma de escrever, parabéns pelo seu jeito irreverente de ser! Vou sempre passar por aqui ok!
Um abraço,
Emanuelle (manu)

Daniel Rodrigues disse...

Oi Emanuelle, tudo bem?

Pois é, deixei um comentário lá no post do Rango Camp.. Puxa, que legal que veio nos visitar nessa pocilga :-)

Fico muito feliz que gostou. Mas a graça aqui nesse post nem é minha, é da Tramontana Grill. Você acredita que tudo isso aconteceu mesmo? Num único almoço, daqueles de dia de semana mesmo... aconteceu esse monte de coisa. Esses caras são demais hehehehe

Obrigado pelas palavras, fico muito feliz

Abs
Daniel Rodrigues

Emanuelle disse...

Oi Daniel, tenho certeza que é verdade todos os fatos, porém sei o quanto é difícil colocar em palavras, ainda mais escritas a emoção vivida, e você fez isto muito bem, parecia que eu estava na cena, dei muita risada! Na PNL, dizemos que a obrigação da comunicação é do comunicador... parabéns vc fez muito bem sua obrigação!
abraço
Emanuelle.

Daniel Rodrigues disse...

Emanuelle

Sabe que eu tenho muito mais facilidade em "contar causos" do que, necessariamente, inventar histórias?

Por exemplo: aqui no Gato na Grelha, por mais que eu invente e passe um photoshop nas palavras, na essência tudo aqui realmente aconteceu. Eu fiz as receitas que escrevo aqui, participo dos churrascos, enfim. A trama em si, tá lá, de mão beijada. ou seja: eu já tenho aqui o começo, meio e fim. Tudo o que eu tenho que fazer é achar uma maneira de escrever, dentro do estilo pé-na-lama do blog.

Uma vez eu comecei um blog sobre contos. Contos não partem da verdade, como receitas. Em mais de um ano, consegui escrever uns 3 contos. Ruins, ainda hehehe

Enfim, foi só uma observação. Obrigado, mais uma vez, que bom que gostou do estilão da casa :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Emanuelle disse...

... Se não fosse verdade, não passaria tanta verdade, me fazendo até mesmo imaginar a cena!

Obrigada à você por compartilhar experiências tão engraçadas e ao mesmo tempo nos dar uma boa informação!

Emanuelle

Daniel Rodrigues disse...

Tamosaê, moça!

se você acha que é boa informação, recomendo levar um guardanapo, se for lá! hehe

Abs
Daniel

Marina Vidal disse...

Daniel, não estou acostumada com esta tua postagem frenética... Já tinha perdido 2 posts...
Se era churrascaria de gaúcho tem que ter a costela, mas não aquelas coisas de costala 12 horas. Costela minga. Hmmmm, aqui na minha cidade tem a "matriz" dos Prazeres da Carne, mas pra vc ter noção, tem uma churrascaria na beira da estrada que é tão boa quanto (não vou falar melhor pq não tô recebendo nada pra isso). Então eu acredito no poder das churrascarias mais simples.
Um Beijoooo!

Daniel Rodrigues disse...

E ae Marina, tudo bem?

Todo mundo louco da vida com a eliminação da seleção?

Pois é, costela tem que ter paciência, tem gente que tira antes e nem fica legal. Mas uma vez, fui numa churrascaria de $9,00 e tinha uma costela fabulosa... hehehe

Quanto à postagem frenética, essa semana eu empolguei. Daqui pra frente, volto à lentidão normal :-)

Abs
Daniel Rodrigues

Cinemusique disse...

Dani, vc sabe que quando eu era pequena e morava em Niterói, a família saía em comboio pra uma churrascaria sujona na estrada, caminho para São Gonçalo, bem barata, com música ao vivo e tudo, cheia de poeira, garçons suados e com o melhor churrasco das redondezas? O nome era Churrascaria Columbadê. Nem sei se ainda existe!

Daniel Rodrigues disse...

Pois é, Gabi

Acho que quando o assunto é churrasco, surpresas como essas são bem possiveis. Tá cheio dessas churrascarias milagrosas no mundo por aí :-)

Abs
Daniel

Ayrton Torres disse...

Cinemusique, ainda existe sim!!!

Fui lá a uns 2 anos atrás com amigos e baseado na sua descrição, tudo continua igual. Se bobear, os garçons são os mesmos e com o mesmo "uniforme". A carne estava 10.

Demos sorte porque fomos na hora em que a orquestra (teclado Casio) estava desligada...rs

O nome correto é Churrascaria Colubande, na Amaral Peixoto.

Aí Daniel. Indo a Niterói, vale a visita.

Também gosto de arriscar em pé sujo.

Abração

Ayrton Torres disse...

Como meu comentário sumiu após eu logar e atualizar, repostando:

Cinemusique (Gabi), ainda existe sim!!!

O nome correto é Churrascaria Colubande, na Av. Amaral Peixoto.

Fui a uns 2 anos atrás com amigos e realmente surpreendeu.

O bom é que a "orquestra" (teclado Casio) estava desligada...rs

Daniel, fica a dica se você for a Niterói algum dia.

Eu também exploro "pé sujo", as vezes com ótimos resultados.

Como um caldo de mocotó que comi em frente a rodoviária antiga de Vila Velha-ES a muitos anos atrás, feito por uma senhora baiana (sem sotaque gaúcho). A noite era perfeita para uma comida light como aquela, porque estava fio e chovendo.

Só que comi antes de encarar 8 horas de viagem de lá para o Rio num ônibus muuuito velho da Itapemirim. Naquele dia, meu irmão teve certeza que eu não batia bem...rs

Correu tudo bem. Felizmente, porque ele estava na poltrona ao lado.

Abração

Personal Grill disse...

Infelizmente dentro de BH não tem (ou pelo menos não me lembro que tenha ou não sei) churrascaria rodízio do tipo "vagabunda". Normalmente são rodízios tradicionais com preços entre R$ 29,00 a R$ 45,00 por pessoa ou até mais como no caso do Fogo de Chão. Normalmente as churrascarias fora do sistema de rodízio trabalham com balança, ficando o preço um pouco salgado (média de R$ 28,90 o kg). Pelo que ouço só existem rodízios "vagabundos" de beira de estrada muito ótimas, mas todas fora de BH. Em BH prevalece os tira-gostos (rabada, fígado com jiló, dobradinha) e alguns buffets de comida mineira.

Personal Grill disse...

Meu comentário também não apareceu, mas vamos lá...
Infelizmente em BH parece que não existe este tipo de rodízio "vagabundo", somente os de praxe que costumam cobrar entre R$ 29,00 à R$ 49,00 por pessoa, além do Fogo de Chão que se não me engano deve ser na faixa dos R$ 75,00 mangos.
Já ouvi que existem churrascarias do beira de estrada que são muito bons, mas ainda não conferi. Aqui, é mais comum buffet de comida mineira aonde se paga um valor e come-se à vontade, mas sem churrasco. As churrascarias fora do sistema de rodízio cobram por quilo e o valor fica salgado, sendo a melhor opção o rodízio mesmo, pois o quilo sai por volta de R$ 28,90 e somente carne ao invés dos rodízios que entram com a mesa de frios que é meu lugar preferido por incrível que pareça. Acho que dou mais prejuízo atacando os palmitos e outros quitutes mais caros que o quilo de carne e que sempre é mais difícil de ter na geladeira.
Em BH prevalece mais são os tira-gostos de boteco, tipo, rabada, dobradinha, fígado com jiló e outros.

Daniel Rodrigues disse...

Ayrton

O Blogger teve um problema hoje de manhã, mas já voltou ao normal, por isso os comments não estavam aparecendo.

Olha que bacana, você conhece a churrascaria que a Gabi indicou!! Esse blog me surpreende todo dia, viu!! hehe

Faz uma visitinha lá e manda a resenha pra gente, parceiro!!

Valeu Ayrton

Abs
Daniel Rodrigues

Daniel Rodrigues disse...

Personal Grill, meu compana Raphael

Poutz, que preju hein!! Aqui em SP, tem churrascaria vagabunda pra todo lado. Algumas boas, algumas ruins, mas tem bastante opção, sim.

Tem os "fogo de chão" da vida, mas é caríssimo. Uma vez, decidi ir com a patroa numa dessa. Na porta, fiquei sabendo que o preço era $99,90 POR PESSOA. Me desculpem os donos das porsches que estavam sendo manobradas na porta, mas eu não aceito isso, não. É só a carne, porque a bebida é à parte. Fora os 10% de garçom.

Lamento, mas não sou capaz de gastar 350,00 num jantar com a esposa (claro que ela merece, mas não é o que está em questão).

Saímos de lá, entramos numa churrascaria vagabunda de 9,90 hahahaha
e fomos felizes para sempre

Abs
Daniel Rodrigues

Personal Grill disse...

Com $99 mangos alimento com picanha, até os 5 cachorros da minha mãe. Mas é sério e você sabe disso, com uma Garoupa dá para fazer churrasco para 20 cabeças ou melhor 20 barrigas.
Acho engraçado os "donos desses porches" estes comigo pechicham um churrasco em domicílio da melhor qualidade na faixa de $24 por cabeça e não pensam 2 vezes em ir ao Fogo de Chão pagando-se 4 vezes mais.

Daniel Rodrigues disse...

Cara, 90 mangos é mais que eu paguei no meu cachorro inteiro hahahaha

Sinceramente, eu não entendo isso, sabia? Combinei com a minha esposa, que numa data especial, nós iríamos num fogo de chão comemorar. Mas, sinceramente, tenho um baita medo de gastar esse caminhão de dinheiro, e não comer um churrasco melhor do que o que eu comi no interior, no último feriado, só pra dar um exemplo.

Churrasco é carne, sal e capricho no preparo. O que eles têm de tão diferente pra oferecer? Ok, carnes especiais, cortes diferenciados, tá legal. Mas não é pra tanto, né? A gente não vai na churrascaria pra comer picanha de coelho, a gente vai pra comer churrasco, que engloba isso, mas engloba tb picanha, fraldinha, maminha, costela.. que são iguais ali e em outros lugares.

Acho que esses caras cobram mesmo é o Hype de ter posrche parado na porta. Ou seja: "Você tá pagando 90 mangos porque dentro deste estabelecimento tem um cara que tem um porsche". Só isso.

mas é só minha opinião, eu sou meio bobo com essas coisas, mesmo.

Abs
Daniel Rodrigues

WeeBee disse...

Hahaha! Tá aí, gostei do blog do Daniel! Vai pros favoritos! (conheci via @catarroverde)

Daniel Rodrigues disse...

Fala WeeBee

Legal que vc curtiu. Apareça por aqui, de onde veio essa tem muito mais heheheheh

Vou ver o que o @catarroverde falou :-)

Abs
Daniel

Caio Racca disse...

Daniel,

Belezinha?

Então... Leio sempre est post. Não sei bem por quê. Mas nesta sexta, vou com 2 malucos do hospital fazer uma visitinha lá.

Tô ansioso para conhecer...

Abs,

Caio Racca

Daniel Rodrigues disse...

Fala Caio, beleza?

Não se esqueça de pedir o cupim!!

Que horas você vai? Tenho um compromisso, mas como é pertinho da minha casa, de repente consigo passar lá e tomar uma gelada com vocês!!

Ou melhor não, o dono da tramontana deve estar com a minha cara colada no cartaz de procurado hehehehehehe

Abs
Daniel

Caio Racca disse...

Cara,

Vou arrastar os colegas lá pelo meio dia. Eles não estão acreditando.

Vamos de metrô, prá mó di podê tomá uma. Tirando a brincadeira, acho que lá pelas 13:00, no máximo, já vou estar fincando os dentes no cupim. Aparece lá.

Abs,

Caio

Daniel Rodrigues disse...

Caio

Achei que você ia de noite.. Na hora do almoço ficou mais dificil, tenho um dia meio complicado nesta sexta.. Mas eu acho que consigo dar uma passada lá pra conferir!

Abs
Daniel

Caio Racca disse...

Cara,

Quem tem filho pequeno sabe: Balada pra mim é jantar às 22:00!!!

Sexta vamos fazer um almoço um pouco mais prolongado. A tarde tem mais trabalho e depois, vou pra casa. A breja já está tinindo na geladeira!!!

Abs,

Caio

Daniel Rodrigues disse...

Caio

Pode deixar, eu passo lá sim. Pena que não vai rolar de tomar uma gelada, tenho uma reunião depois.

Abs
Daniel

Ediclan disse...

eu me amarrei na dica. Já tenho planos com outros de minha espécie (carnívoros)para atacar essa vagabundice toda. Não vai ficar espeto sobre espeto. Nós fazemos parte de um bando de malucos que para poder ficar em paz com a carne, breja e cia., nós corremos.Então depois da corrida de revezamento do Pão de Açucar, nós vamos invadir aquela praia! Esta pocilga é um grande barato.

Daniel Rodrigues disse...

Fala Ediclan, beleza?

Pois é, precisamos manter o corpo em mínimo funcionamento, né? Pra poder me largar nas carnes, eu costumo jogar futebol.

Agora, um cupim depois de uma corrida, é tudo que o corpo precisa :-)

Abs
Daniel

Ediclan disse...

Daniel, estivemos com amigos na Tramontana. Foi de cair pelas tabelas. Preço justo, honesto e um atendimento esmerado, principalmente por parte do gerente/supervisor/chefe,cacique,o escambau chamado André. Gente finíssima tiramos até foto com ele. Ah, comentei com ele que chegamos até o endereço devido ao blog, e demonstrou surpresa, portanto escrevi num guardanapo o nome deste blog. Acho que voces vão se corresponder. se vira. . .Ká!ká!ká...
Um abraço e até lá.

Daniel Rodrigues disse...

Ediclan

Amigo, você deu tudo o que o Sr. Tramontana precisava pra me processar kkkkk

Ae pessoal da tramontana, já teve um monte de gente aqui que foi visitá-los só por causa da resenha, hein!!! Tá na hora de mandar um VIP aqui pra casa :-)

Ediclan, se você não se incomodar, manda as fotos pro meu e-mail?

Abs
Daniel

Anônimo disse...

A churrascaria é boa. Comecei a frequentar lá em Setembro e agora trabalho como garçom. Até o convívio entre os colegas é divertido.

Daniel Rodrigues disse...

Olha só que maneiro!!!!

Temos aqui a visita de um funcionário da Tramontana!!

Que legal, seja bem-vindo, parceiro!

Estive na tramonta há menos de um mês, o atendimento e a qualidade continuam muito bons.

Abração
Daniel

Armando Gomes disse...

SOU VIZINHO E SÓ NÃO ENTENDI SE VCS ESTÃO BRINCANDO OU QUEIMANDO ESSA CHURRASCARIA...

Daniel Rodrigues disse...

Armando, tudo bem?

No resumo, a tramontana tinha tudo pra dar errado, e deu tudo certo. É uma ótima churrascaria, comida gostosa, atendimento bom..

Vários leitores aqui do blog já visitaram a tramontana depois do post..

Acho que o saldo é positivo, não acha?

Já que é vizinho, vai lá... vc nao vai se arrepender.

Abs
Daniel

Anônimo disse...

ola moçada da resenha queria diser sobre o que voces comentarao sobre o preço e o endereço estar errado acho que voces entrarao na porta errada pois tem sim uma churrascaria na avenida santo amaro 2707 e esse o site que voces entrarao e desse endereço acho que voces deviam ir ate la para ver o que e a tramontana ,e sobre essa churrascaria ai da praça se ainda se chama tramontana so tem esse nome por que o atual dono fez o favor de nao tirar o nome,isso e fajuto.

Daniel Rodrigues disse...

Olha só, tá resolvida a bagunça das duas tramontanas...

Só fazendo um adendo ao seu comentário, a Tramontana da praça da árvore está longe de ser uma churrascaria de luxo, mas tem um atendimento e qualidade honestíssimos para o preço cobrado, viu...

Recomendo :-)

Abs
Daniel

Postar um comentário

Torrou a picanha? Fez a receita e não deu certo? Dúvidas, sugestões, vai encarar? Escreve aí o que quer, mas não coloca propaganda que isso aqui não é a casa da sogra.

Blog Widget by LinkWithin